A história de Santa Gianna: padroeira das mães, médicos e crianças

 Gianna (Geana ou Joana) Baretta nasceu em de outubro de 1922, em Magenta, Itália. Filha de uma numerosa família de treze filhos. Por causa da gripe espanhola, o número dos irmãos reduziu-se a oito. Entre os oito, Gianna era a penúltima. Filha de um lar cristão, ela e seus irmãos seguiram o caminho da fé e suas vidas foram exemplos para muitos.

 Em sua cidade natal se formou como médica cirurgiã. Especializou-se em pediatria. Porém apesar da especialização, preferiu o exercício da clínica geral, visando atender os idosos abandonados e sem recursos. Para Gianna, tudo era sagrado. Ela dizia sempre que: “Quem toca o corpo de um paciente, toca o corpo de Cristo”.

 Ela fazia questão de participar ativamente de um movimento que visava unir as mulheres em torno da fé e da vida cristã na sociedade. Se chamava Associação Católica Feminina. O movimento preparava retiros espirituais que eram momentos preciosos de forte interiorização e descoberta da presença de Deus. Também colocava a serviço do movimento sua missão de médica.

O casal Gianna e Pedro Molla tiveram três filhos, e o quarto filho já estava gerado que descobriu um fibroma no útero, foi internada e o caso foi se agravando. A única solução para a sobrevivência da santa seria interromper a gravidez, para que seus três filhos não ficassem sem a mãe.

Tinha os valores cristãos profundamente enraizados em seu coração. Por isso ela colocava sempre em primeiro lugar, o direito à vida. Assim, ela decidiu ter o bebê sabendo como médica que pagaria por esta decisão com o preço da própria sua vida. E assim aconteceu, Joana Manuela nasceu. Santa Gianna segurou-a nos braços antes de falecer. Era o dia 28 de abril, de 1962. Sua morte se tornou uma mensagem do amor de Cristo para o mundo.



Foto ilustrativa: Internet



Após a morte de Santa Gianna, seu marido Pedro Molla encontrou anotações pessoais da esposa. Essas anotações eram feitas antes dos retiros espirituais. Nas notas de Santa Gianna descobre-se uma conexão indestrutível de seu coração com o amor, com o sacrifício e com a fé inabalável. A opção de Santa Gianna pela vida da filha em seu ventre foi totalmente consciente, repleta de amor e respeito à vida. Santa Gianna Baretta Molla foi canonizada pelo Papa João Paulo II em 2004. Na ocasião, o Papa exaltou não só seu heroísmo final, mas também sua vida inteira como exemplo mulher, esposa, mãe, profissional e evangelizadora. Um verdadeiro exemplo para as mulheres e os casais modernos.

 A filha Joana Emanuela, por ocasião da canonização de sua mãe ela fez um pronunciamento do qual se destaca o seguinte: “Sinto em mim a força e a coragem de viver, sinto que a vida me sorri”. Em seguida, rendeu eterna homenagem à mãe dizendo: “dedicando a minha vida à cura e assistência aos anciãos”.

 

 Os dois milagres para a beatificação e canonização de Santa Gianna aconteceram no Brasil. O primeiro foi em Grajaú, no Maranhão, em 1977, num hospital onde a própria Santa Gianna gostaria de ter vindo prestar seus serviços como médica e missionária. O segundo aconteceu em Franca, SP, quando uma gestante cujo filho corria perigo de morte em seu útero, por ausência total de líquido amniótico desde o terceiro mês de gravidez. A mãe, Elisabete Arcolino Comparini, não quis abortar, assumindo todos os riscos e pedindo a intercessão de Santa Gianna. A gravidez progrediu sem líquido amniótico, o que, por si só, não tem explicação científica. Ao final da gravidez, o bebê nasceu perfeito e foi aceito pela Igreja como milagre válido para a canonização de Santa Gianna.



Novena à Santa Gianna Beretta Molla

 

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amém!

Deus Pai, que nos deste Santa GIANNA como exemplo de esposa amorosa, que cercou de amor a sua família construindo uma verdadeira “Igreja Doméstica”, faz-me assimilar esse mesmo amor incondicional, consagrando minha vida ao Teu serviço junto aos que me cercam.

(Pai Nosso)

(Ave Maria)

(Glória ao Pai)

 

Jesus, Redentor da humanidade, que chamaste a Santa GIANNA à missão de médica do corpo e da alma, vendo o Teu sofrimento no irmão doente, fazei que, seguindo o exemplo da Tua serva, possa eu entender a minha dor e a do meu irmão, participando do sacrifício da Tua Santa Cruz.

(Pai Nosso)

(Ave Maria)

(Glória ao Pai)

 

Espírito Santo, fonte de todo o Amor, que infundiu no coração de Mãe da Santa GIANNA a coragem dos mártires, de testemunhar com a própria vida o amor à criança que trazia no seu ventre, colaborando de maneira extraordinária no Teu plano de criação, e que, durante toda a sua vida foi um exemplo de cristã de fé, esperança e caridade, faz-me torná-la com o exemplo para um autêntico caminho rumo à santidade.

(Pai Nosso)

(Ave Maria)

(Glória ao Pai)



Oração para todos os dias

 

Ó Deus, Amante da Vida, que doaste à Santa Gianna Beretta Molla responder com plena generosidade à vocação cristã de esposa e mãe, concede também a mim (pessoa para quem quer obter a Graça), por sua intercessão (… FAZER O PEDIDO…) e também seguir fielmente os Teus Desígnios, para que resplandeça sempre nas nossas famílias a Graça que consagra o amor eterno e à vida humana.

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Teu Filho, que é Deus, e vive e reina Contigo na unidade do Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos. Amém!

 

Santa Gianna Beretta Molla, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova/Cruz Terra Santa