Como ter fé na confiança diante do infortúnio?

Confiança em Deus tem muito mais a ver com o que você conhece sobre o que Ele é capaz de fazer, do que sobre Ele saber o que você é capaz de fazer.

Nossa história de relacionamento com Deus é um convite constante à confiança n’Ele, e são inúmeros os exemplos bíblicos, incontáveis as experiências pessoais dos santos acerca da confiança absoluta no Senhor. É quase que uma espécie de “lei” o exercício da confiança em Deus.

E por quê?

Quem tem confiança em Deus até o fim não se decepciona, mas se fortalece.

 

Apesar de o salmista Davi dizer: “Que coisa é o ser humano, para dele te lembrares. No entanto, o fizeste pouco menor que os anjos, de glória e de honra o coroaste” (Sl 8,5 – 6), somos frágeis e limitados, sem confiança em Deus, o sucesso naquilo que empreendemos, enfrentamentos que a vida nos impõe e combates espirituais pelos quais passamos, não haverá garantia de sucesso.

É preciso deixar que o que rezamos se encarnem em nossas atitudes, decisões e nossos comportamentos, pois dizer “Jesus, eu confio em Vós” é mais fácil do que realmente confiar.

Decepção nunca foi o resultado final na vida dos que confiam até o final.

Quem pratica a confiança no Senhor não caminha baseado no que vê, mas no que Ele faz com o que vê. Quem está na “fila” da confiança inabalável no Senhor se mantém convicto de que a decepção nunca foi o resultado final na vida dos que confiam até o fim.

O Apóstolo Paulo, no desejo de afoguear o coração do jovem bispo Timóteo, que enfrentava grandes tribulações na administração da Igreja na Ásia, lhe escreveu:

“Eu sei em quem eu depositei a minha fé, e estou certo de que Ele tem poder para guardar o meu depósito até aquele Dia”. (2 Tm.1,12).

Era o apóstolo relembrando àquele grande aluno, na fé, que a tribulação é uma grande escola de santificação.

Praticamos confiança em Deus não só em assuntos de ordem espiritual; a confiança em Deus é para a vida, por isso, exercitá-la só nas questões extraordinárias e não nas ordinárias é limitar o agir de Deus.

 

Tempos de tribulação nos preparam para tempos extraordinários

 

Oraram-se para evitar cair em tentação, devemos saber que não há oração que evite a tribulação; a oração nos fortalecerá para sabermos viver em Deus dentro da tribulação. Ninguém ora desejando tribulações. Oramos desejando sobrepor tribulações para que, ao final, entendamos o quanto saímos mais fortes de tempos que, num primeiro momento, entendíamos não suportar.

Cresce quem testifica com a vida o quanto a confiança e a obediência cega ao Senhor lhe deu resultados magníficos. Não paremos na tribulação. Ali na frente, o céu inteiro já está posicionado, esperando para nos dizer: “Eu não falei que você conseguiria?”.

Fonte: Canção Nova