Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Reflexão 34º Domingo Tempo Comum – Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Celebramos, no final do Ano Litúrgico, Cristo o REI DO UNIVERSO, durante o ano litúrgico nossa Igreja busca contemplar todos os mistérios da vida de Jesus e ao chagar ao final de nosso Ano Litúrgico proclamamos Jesus como o Rei do Universo, pois: “Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos. E toda língua confesse, para a glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é Senhor”. (Fl2, 9-11). Ele é o Nosso Rei, Senhor e Salvador e terminamos o ano nesta grande proclamação e entramos no ano novo na espera do Senhor que vem – celebramos o Advento – e tudo se inicia, e ano-a-ano nós vamos vivendo a cada momento os mistérios de Cristo. Nestes Mistérios vivemos o Kayrós, isto é, o tempo da graça e não o “cromos” – o tempo do cronômetro. Pois todas as ações de Cristo tem um valor eterno, assim não celebramos olhando para o passado, mas atualizando em nosso tempo todos os atos de Jesus. Por isso que todos os anos celebramos estes mistérios no hoje de nossa história. Então vamos terminar este ano com muita alegria esperando o Rei do Universo que virá resgatar tudo o que foi conquistado na Cruz e Ressurreição.

Jesus como Rei irá colocar “um ponto final” em toda a história humana e um dia Ele virá em glória para terminar sua obra e com isso separar todos aqueles que lhe foram fiéis, confiaram e seguiram os passos do Mestre. Este dia será o Juízo Final, onde cada um receberá o resultado de sua campanha neste mundo, “pois; porque nada há de escondido que não venha à luz, nada de secreto que não se venha, a saber,”. (Mt 10, 26). Podemos até perguntar: Se haverá um Juízo Particular após a morte como vemos na parábola do rico opulento e do Lázaro (Lc 16, 19-25) que logo após suas mortes já tinham sido decidido suas sortes, por que um Juízo Universal onde todos estarão juntos e serão julgados? “Assim diz o Senhor Deus – eu farei justiça entre uma ovelha e outra, entre carneiros e bodes”.

Vejamos, somos uma raça, raça humana em que todos somos frutos uns dos outros e que estamos entrelaçados, juntos, queiram ou não, tudo o que fazemos pode vir a ajudar o outro ou pode prejudicar, ninguém é uma ilha e assim somos responsáveis uns pelos outros e com os nossos atos edificamos ou destruímos nossa própria raça. Pois bem é justo que nos final dos tempos quando Jesus vier por um fim em nossa história cada um saiba realmente o que fez de bom que edificou a humanidade e o que fez que destruiu, desarmonizou desiquilibrou nossa própria raça. Este será o Juízo Final, momento de verdade em que cada irá saber o quanto o pecado do outro lhe prejudicou e o quanto o bem de outros o favoreceu. Certamente que este mistério só se encontra em Deus, mas um dia será revelado. É justo que aquela pessoa que procurou ajuda médica nos hospitais e não encontrou ou foi tratado pior que um animal, é justo que saiba quem foram os responsáveis, aqueles que têm o poder nas mãos de fazer leis, de administrar os bens públicos em favor do bem comum, mas roubam, enganam, olham somente para si ou para seus grupos, quem são esses e que eles paguem pelo mal que cometeram.

É doido olhar assim, mas não será diferente é a Palavra que nos fala e a Igreja que nos orienta, então façamos o bem e busquemos servir, amar, perdoar e ser para o outro um canal de bênçãos. Este dia virá e todos estarão lá. Puxa! Não será algo agradável para muitos, mas plantemos bem para estarmos do lado do Senhor como ovelhas queridas de nosso Pastor. E veja bem o que irá contar neste momento é a CARIDADE, somente a caridade poderá nos dar um bom juízo e isso não é fazer o bem diretamente a Deus, mas ao próximo, este é o caminho de semearmos a salvação na busca da santidade, que é – Deus se manifestar nos corações sensíveis para atingir seus filhos mais distantes.

Plantemos o Amor de Deus no próximo para que Deus possa plantar em nós a vida que dura por toda eternidade.

Antonio ComDeus

Reze o Terço da Misericórdia ao vivo conosco, de segunda a sexta-feira às 15h em nosso facebook www.fb.com/editoracomdeus

 

Liturgia 34º Domingo – Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo Tempo Comum

1ª Leitura – Ez 34,11-12.15-17

Quanto a vós minhas ovelhas: farei justiça entre uma ovelha e outra.
Salmo – Sl 22,1-2a.2b-3.5-6 (R.1)

O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.
2ª Leitura – 1Cor 15,20-26.28

Entregará a realeza a Deus-Pai, para que Deus seja tudo em todos.
Evangelho – Mt 25,31-46

Assentar-se-á em seu trono glorioso e separará uns dos outros.