Afinal, quem é o Espírito Santo?

Um resumo completo sobre a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, a partir do Catecismo Ilustrado de São Pio X

O resumo de toda a fé de um católico é proclamado no “Credo” – precisamente por isso é que esta oração-declaração tem esse nome, cujo significado é “Eu creio“. Ao professarmos o Credo católico, uma das afirmações que fazemos é esta: “Creio no Espírito Santo“.

Mas, afinal, quem é o Espírito Santo?

O Catecismo Ilustrado, resumo explicativo da fé da Igreja publicado sob o pontificado de São Pio X, nos ensina:

 

1. O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, que procede do Pai e do Filho.

 

2. O Espírito Santo é Deus; a Igreja definiu esta verdade, dizendo nos seus símbolos que o Espírito Santo deve ser adorado conjuntamente com o Pai e o Filho.

 

3. A mesma verdade nos ensina também a Sagrada Escritura, que dá ao Espírito Santo o nome de Deus. Quando São Pedro repreendeu Ananias e Safira por terem mentido ao Espírito Santo, exprimiu-se nestes termos: “Não mentiste a homens, mas a Deus”. (Atos V, 1-11)

 

4. As seguintes palavras de Nosso Senhor ensinam-nos que o Espírito Santo procede do Pai e do Filho: “Quando vier o Consolador, esse Espírito de verdade que procede do Pai, e que u vos enviarei da parte de meu Pai, Ele dará testemunho de mim”.

 

5. O Espírito Santo é pois igual em tudo ao Pai e ao Filho; é como eles todo poderoso, eterno, de uma perfeição, grandeza e sabedoria infinitas.

 

6. Chama-se ordinariamente ao Espírito Santo:

  • 1º Dom de Deus, porque é o dom mais precioso que Deus tem concedido aos homens;
  • 2º Consolador, porque nos consola em nossas aflições; 3º Espírito de oração, porque nos ajuda a orar.

7. Chama-se “Santo”, porque Ele é santo por sua natureza e porque é Ele que nos santifica.

 

8. A santidade do Espírito Santo difere da santidade dos santos que nós honramos com o nosso culto:

  • 1º o Espírito Santo é santo por si mesmo e por sua natureza, enquanto os santos por si mesmo e por sua natureza, enquanto os santos se tornam tais pela Graça de Deus;
  • 2º o Espírito Santo é infinitamente santo, enquanto os santos apenas o são em certo grau.

9. O Espírito Santo desceu muitas vezes sobre a terra de um modo visível. Desceu em forma de pomba sobre Nosso Senhor Jesus Cristo no dia de seu Batismo e sobre os Apóstolos e discípulos em forma de línguas de fogo no dia de Pentecostes.

 

10. “No dia de Pentecostes, diz a Sagrada Escritura, de repente, veio do Céu um estrondo, como o de vento que sopra impetuoso, que encheu toda a casa onde estavam os Apóstolos. E apareceram-lhes repartidas umas como línguas de fogo, das quais pousou uma sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo, e começaram a falar várias línguas”. (Atos II, 1-4)

 

11. Depois de terem recebido o Espírito Santo, os Apóstolos foram pregar o Evangelho a todas as nações.

 

12. Antes da pregação dos Apóstolos, todos os povos da terra, à exceção dos Judeus, adoravam criaturas.

 

13. Da pregação dos Apóstolos resultou a conversão duma multidão imensa de Judeus e pagãos, que abraçaram a religião cristã.

 

14. A religião cristã não se estabeleceu sem obstáculos; foi combatida durante trezentos anos, e milhões de cristãos sofreram toda a espécie de torturas e a própria morte em nome de Jesus Cristo.

 

15. A destruição das falsas religiões, na maior parte do mundo conhecido, foi o maior milagre que o Espírito Santo operou por meio dos Apóstolos, bastando por si só para provar a divindade do cristianismo.

 

16. O Espírito Santo também se nos manifesta de modo invisível pelas graças que derrama nas nossas almas a fim de as santificar.

 

17. O Espírito Santo habita em nós, quando nos achamos em estado de Graça; por isso São Paulo diz que somos templos do Espírito Santo.

 

18. O Espírito Santo governa a Igreja, dando-lhe força para resistir aos seus inimigos e preservando-a de qualquer erro no seu ensino.

 

19. O Espírito Santo dá ainda à Igreja todas as graças e todos os dons necessários à sua conservação, como o dom dos milagres e o dom de profecia.

 

20. Devemos orar muitas vezes ao Espírito Santo porque, sem o seu auxílio, nada podemos fazer de útil para a nossa salvação.

 

21. Devemos evitar afastar o Espírito Santo da nossa alma pelo pecado mortal, e contristá-lo pelo pecado venial.

 

A gravura sobre o Espírito Santo

Catecismo Ilustrado

Esta gravura representa o Cenáculo onde os Apóstolos e discípulos se reuniram depois da Ascensão do Senhor, aguardando a descida do Espírito Santo e orando em companhia da Santíssima Virgem e de muitas santas mulheres.

Gostaria de saber mais sobre o Espírito Santo? Deixe nos comentários suas dúvidas que iremos entrar em contato!

 

Fonte: Aleteia