Os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai.

16º Domingo do Tempo Comum 23/07/2017

 “Quem tem ouvidos, ouça”. A Palavra de Deus, para nossa reflexão esta semana termina com essa afirmação. Podemos perguntar: temos sensibilidade para ouvir, não somente com os ouvidos, mas em permitir que a Palavra se torne alimento em nossa vida? Desejemos ardentemente que esta Palavra nos traga alimento de vida eterna.

“Mostras a tua força a quem não crê na perfeição do teu poder; e nos que te conhecem, castigas o seu atrevimento”. Caso não creia no poder de Deus verá a Tua força aqui ou na eternidade, mas se crê, prepare-se, pois se não conduzir sua vida no temor a Deus, receberás correções para que, se colocando em seu lugar, dê espaço a Deus para ser seu Deus. “Ensinaste ao teu povo que o justo deve ser humano; …que concedes o perdão aos pecadores”. Essas correções são para nos mostrar que somos seres humanos e não deuses, pois o pecado não é outra coisa a não ser quando queremos nos tornar deuses. Por isso Deus é misericórdia para nos educar a sermos justos, isto é santo, perdoando nossos pecados e nos lavando de todas as nossas imundícies.

Mas não para por ai. Ele também nos dá o Espírito Santo para nos conduzir em seu amor. “O próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis”. Sem o Espírito Santo não existe oração. Neste sentido temos que entender o que é oração. Nenhum de nós está apto a falar com Deus. Somente Deus tem acesso a Deus. Mesmo aqueles que estão na glória, participam das coisas de Deus porque estão envolvidos no Espírito Santo. Desta forma, que a promessa de Jesus, quando dizia, que nos daria o Espírito Santo, afirmou: E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. (Jo 14, 16). (grifo nosso). Assim a oração é uma ação do Espírito Santo em nós, que junto conosco leva-nos a banhar-nos nas coisas do Céu e termos experiência espirituais. Afinal somos seres humanos, temos um corpo material e uma alma espiritual. Por isso podemos nos relacionar com as coisas espirituais. Mas somente chegamos às coisas de Deus com o impulso do Espírito Santo.

Quais as experiências que você já teve das coisas espirituais? O quanto você conhece do Céu? Será que está vivendo toda sua vida somente envolvida com as coisas deste mundo? Mas o Céu é nosso fim. Não seria nele que deveríamos direcionar toda nossa vida? Não brinque com sua vida, não se deixe distrair com as coisas deste mundo como se tudo acabaria por aqui. Seja espiritual, afinal o Espírito intercede em favor dos santos”.

Veja bem. Ou somos Trigo ou Joio. E a colheita se dará, e será realizada pelos Anjos de Deus. E a diferença entre os dois é que o Trigo tem fruto. Não é por meio de espetáculos que o Reino será implantado, não será por meio de força e poderes humanos, mas pelo poder de Deus que age de forma a confundir os que se dizem donos do mundo. Por isso que o Reino é implantado como uma pequena semente de mostarda, insignificante, mas fará toda a massa levedar, como o fermento. Isso não depende dos homens ou do poder humano, mas por força de Deus que age da forma que lhe apraz e somente entenderá isso, aqueles que forem conduzidos pelo Espírito Santo. “Quem tem ouvidos, ouça”.

Não sei quantas experiências você já teve com Deus em sua vida, mas não pare de desejar as coisas do alto. Se entregue ao Espírito Santo e peça que Ele te leve as aventuras espirituais. E quanto mais desejar e se entregar irá perceber que nada mais vale a pena do que estar plenamente em Deus. Ai sim. Amaremos tudo e todos com um amor incondicional da forma que somos amados.

Busque.

Antonio ComDeus

Reze o Terço da Misericórdia ao vivo conosco, de segunda a sexta-feira às 15h em nosso facebook www.fb.com/editoracomdeus

——————-

16º Domingo do Tempo Comum 23/07/2017

1ª Leitura – Sb 12,13.16-19

Concedeis o perdão aos pecadores.

Salmo – Sl 85,5-6.9-10.15-16a (R. 5a)

  1. Ao Senhor, vós sois bom, sois clemente e fiel!

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos 8,26-27

O Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis.

Evangelho – Mt 13,24-43

Deixai crescer um e outro até a colheita.