O semeador saiu para semear.

15º Domingo do Tempo Comum 16/07/2017

“A palavra que sair de minha boca:não voltará para mim vazia;antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la”. Esta afirmação é maravilhosa. Deus tudo realiza conforme a sua vontade e nada, nem ninguém, vai impedir que sua vontade seja realizada. Puxa! Se todos tomassem conhecimento desta verdade pensariam muito antes de realizar qualquer obra fora da vontade de Deus. Mas “… o coração deste povo se tornou insensível”. O homem procura fazer a sua vontade: na soberba agindo como Deus; na corrupção; nos desmandos de sua autoridade; enfim NÃO HÁ TEMOR A DEUS.

Até a criação “está gemendo como que em dores de parto. E não somente ela, mas nós também”. Diante disso vemos as consequências do pecado em nossa sociedade.

Na parábola, vemos vários tipos de terrenos, onde a mesma semente é lançada. O semeador lança a semente sem distinção nos mostrando que Deus não faz acepção de pessoas. Mas diante desse ensinamento de Jesus temos que ver duas coisas de suma importância – O semeador e o terreno. Sabemos que a semente é a Palavra de Deus e esta é a mesma, não muda. Mas os semeadores são inúmeros, são todos aqueles que semeiam a Palavra – Papa, bispos, Padres, Religiosos, Leigos. E sabemos que os terrenos também são inúmeros e de vários tipos – conforme Jesus relata na parábola.

Então estamos diante de duas situações – o semeador e o terreno – mas como podemos dizer que é culpa do terreno se este é assim e até então nada foi feito para que fosse diferente?  Certamente que a Palavra tem poder, mas porque esta Palavra não transforma o terreno? A culpa é do terreno? Mas ele nasceu assim ou está assim diante de tudo que se passou em sua vida. Então este terreno está fadado à perdição total?

Vejamos: Se a Palavra tem poder para tudo realizar, ela pode transformar qualquer terreno. São Paulo nos diz: Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?”. (R 10, 14). Então o problema está no semeador. O problema não é jogar a semente indiscriminadamente, mas “como” jogar esta semente. O poder da Palavra está ligadoà unção do semeador. Um engenheiro age com técnica; o padeiro age com técnica; o médico age com técnica; Mas aquele que semeia a Palavra age com um coração embebido do Espírito Santo que no ato de semear a unção é manifestada. Devemos lembrar que Deus quer que seu Reino seja implantado com a nossa colaboração e somente assim o Reino será manifestado, então – depende também do semeador e não somente da semente.

Todos aqueles que estão semeando a Palavra devem ter conhecimento desta verdade e dobrar os joelhos diante do Senhor, serem embebidos da Graça para que a Palavra possa penetrar em todos os terrenos e arrancar tudo o que impeça dela realizar seu efeito.

Certamente que muitos deflagram na fé e anunciam um Deus pobre que não transformam terreno algum. É uma pena. Temos que ter cuidado com esta palavra: “Porque aqueles que foram uma vez iluminados saborearam o dom celestial, participaram dos dons do Espírito Santo, experimentaram a doçura da palavra de Deus e as maravilhas do mundo vindouro e, apesar disso, caíram na apostasia, é impossível que se renovem outra vez para a penitência, visto que, da sua parte, crucificaram de novo o Filho de Deus e publicamente o escarneceram”. (Hb6, 4-6).

Nosso testemunho de fé e nossa adesão ao Senhor em uma vida de oração pessoal e uma busca incessante de renovação do coração é condição fundamental para sermos verdadeiros anunciadores da Palavra em qualquer terreno. Certamente que muitos “…ouviram com má vontade e fecharam seus olhos,para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração,de modo que se convertam e eu os cure”. Mas não será por culpa do semeador.

Todo Batizado é um semeador cuide-se.

Antonio ComDeus

Reze o Terço da Misericórdia ao vivo conosco, de segunda a sexta-feira às 15h em nosso facebook www.fb.com/editoracomdeus

 

15º Domingo do Tempo Comum 16/07/2017

1ª Leitura – Is 55,10-11

A chuva faz a terra germinar.

Salmo – Sl64,10.11.12-13.14 (R. Lc 8,8)

  1. A semente caiu em terra boa e deu fruto.

2ª Leitura – Rm 8,18-23

A criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus.

Evangelho – Mt 13,1-23

O semeador saiu para semear.