Reflexão Domingo de Pentecostes – 4 de Junho de 2017

Assim como o Pai me enviou também eu vos envio: Recebei o Espírito Santo!

Celebramos o dia do nascimento da Igreja, dia em que o Espírito Santo foi enviado para santificar a obra de Cristo. Vemos dois fatos, como já havia comentado o pentecostes dos Apóstolos que se dá no Evangelho, onde durante quarenta dias Jesus instrui os Apóstolos e o Pentecostes do nascimento da Igreja onde o Espírito é derramado sobre o povo e neste cenáculo se encontram os Apóstolos, Maria Mãe de Jesus e um número de discípulos em número de 120 pessoas (At 1,15).

Na vinda do Espírito sobre os Apóstolos o Senhor dá a Igreja o maior dom – A Misericórdia de Deus – Dando o poder de perdoar os pecados Deus quer que seu povo experimente o Amor Misericordioso como sinal sensível de seu perdão através de um sacramento. No Pentecostes do nascimento da Igreja o Espírito se manifesta com prodígios derramando seus Dons. É uma entrada triunfal do Espírito no mundo que veio para ficar, morar e renovar a face da terra, se manifestando entre nós e em cada batizado. Coroando seus filhos com Dons e Carismas.

É nesta manifestação que o Espírito assombra todo povo que estava em Jerusalém. A cidade estava cheia de estrangeiros para celebrar a festa da Quinquagésima, festa essa que os Judeus celebravam cinquenta dias após a páscoa, comemorava a Aliança do Sinai entre Deus e Israel. E foi neste dia que Deus enviou seu Espírito com fruto do sacrifício de Cristo e neste palco da manifestação todo povo se admirou, se encantou e ficaram espantados, pois os que receberam, eram homens simples “da galileia” – pessoas da roça, lugares dos pobres, camponeses e pescadores. Mas foram eles os escolhidos por Jesus para serem as testemunhas do Ressuscitado.

Estes homens, antes medrosos e covardes, abandonaram o Senhor quando foi preso, se esconderam no cenáculo por medo dos Judeus, mas agora são pessoas cheias de força, coragem, com dons extraordinários, anunciam e manifestam a força de Deus com prodígios, milagres, curas e vão até a morte, dando a vida pelo nome de Jesus. Que coisa extraordinária! Que exuberância de presença! O mundo está nas mãos do Espírito Santo, é Ele que realiza a obra de Cristo levando a salvação a todos os cantos da terra, motivando homens e mulheres a anunciar a Boa Nova, espalhandoa Palavra e fazendo chegar à salvação a todos os povos.

Certamente, muito ainda tem que se fazer, mas o Espírito Santo não quer realizar a obra de Deus sozinho, Ele conta conosco por que é através de nós que Ele irá transformar a face da terra. Em nós e conosco para que participemos da implantação do Reino de Deus neste mundo.

Assim o Espírito Santo distribui: “a cada um é dada a manifestação do Espíritoem vista do bem comum”. Ele dá os dons e age através deles edificando a Igreja de Cristo. Muito pensam ou agem como se o dom fosse uma propriedade, mas não, os dons são do Espírito e ele age conforme sua vontade. E também ele dá o dom que ele quer e não o que gostaríamos de receber a não ser que o que deseja seja o que ele já suspirou no coração.

Abrir-se ao Espírito e aspirar aos dons para que ele nos conforme a Cristo e sejamos outro cristo na terra.

“Vinde Espírito Santo…”

 

Antonio ComDeus

 

 

Liturgia Domingo de Pentecostes – 4 de Junho de 2017

1ª Leitura – At 2,1-11

Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar.

 

Salmo – Sl 103,1ab.24ac.29bc-30 31.34 (R.30)

  1. Enviai o vosso Espírito, Senhor, e da terra toda a face renovai.

 

2ª Leitura – 1Cor 12,3b-7.12-13

Fomos batizados num único Espírito para formarmos um único corpo.

 

Evangelho – Jo 20,19-23

Assim como o Pai me enviou também eu vos envio: Recebei o Espírito Santo!