Reflexão 34º Domingo – Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo – Ano C – 2016

alt

Estamos no final de nosso Ano Litúrgico. É o fim de ano católico ou de nossa liturgia e na próxima semana se inicia nosso ano novo, com o período do advento. Neste final de ano nossa liturgia nos leva a refletir sobre a pessoa de Jesus como o rei do universo. Jesus resgatou o mundo decaído pelo pecado, pecado este cometido pelos primeiros pais e que nos afastaram definitivamente de Deus e trouxeram a ruina para todo ser humano e para todo o universo material. O Verbo de Deus, o filho único de Deus, aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens”. (Fl 2,7), tomou nossa condição humana para que, a partir de nós, ele pudesse nos libertar da morte eterna.

Hoje estamos na espera do Senhor, que virá para colocar um fim em toda a iniquidade, todo o pecado, e restaurar o mundo decaído, por isso que, ao final de nosso tempo litúrgico, celebramos o Cristo Rei do Universo, pois tudo pertence a Ele! Com sua vitória sobre o mal se tornou dono de tudo e estamos aguardando sua volta para retirar definitivamente o Mal de todo universo. Neste sentido, entra a percepção de um dos condenados que foi crucificado junto com Jesus – Dimas – este percebeu quem era Jesus e o proclamou Rei – “Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reinado”.

 Esta profissão de fé realizada por Dimas é confirmada por Jesus – “Em verdade eu te digo: ainda hoje estarás comigo no Paraíso”. Jesus se declara Rei aqui, neste momento diante de Dimas, como também diante de Pilatos Tu dizes que eu sou rei”. (Jo 18,37).

O Povo de Israel esperava um rei aos moldes do Rei Davi, que durante o seu reinado colocou paz em Israel. Era um rei que não colocou taxas e impostos pesados sobre o povo, tinha seu exército próprio (mercenários), que lutava com os estrangeiros e retirava deles os impostos para a sobrevivência de seu reinado (1Sm 22, 1-2). Este rei era desejado pelo povo, pois depois de Davi não houve um rei que pudesse promover tal paz a Israel. Quando veio Jesus, pensavam que iria restaurar Israel aos moldes de Davi, mas este Rei era diferente e o povo, o sinédrio e os doutores da lei não souberam acolhê-lo e até rejeitaram suas propostas e o mataram. Mas por outro lado vemos que muitos perceberam que Jesus se apresentava como as profecias e que se enquadrava naquilo que Deus havia falado pelos profetas, ao ponto que Nicodemos foi falar com Ele: Rabi, sabemos que és um Mestre vindo de Deus”.  (Jo 3, 1ss).

Isto também acontece hoje em nosso meio. Muitos se abrem a Deus e iluminados pelo Espírito Santo percebem quem é Jesus e seguem o seu caminho; outros, porém, O ignoram, duvidam de sua divindade e até perseguem aqueles que nele colocam sua esperança. Queiram ou não! O pecado entrou no mundo por desobediência, Jesus veio e resgatou a humanidade pelo sangue derramado, o Espírito Santo foi enviado e a Igreja nasceu. Isto é uma verdade. Agora cada um escolhe seu lado e sofre suas consequências.

Mas na verdade Jesus é o REI DO UNIVERSO.

Antonio ComDeus

 

34º Domingo – Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

 

1ª Leitura – 2Sm 5,1-3

Eles ungiram Davi como rei de Israel.

Salmo – 121,1-2.4-5 (R. Cf.1)

R.Quanta alegria e felicidade: vamos à casa do Senhor! 

2ª Leitura – Cl 1,12-20

Recebeu-nos no reino de seu Filho amado.

Evangelho – Lc 23,35-43

Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reinado.