Reflexão 33º Domingo do Tempo Comum – Ano C – 2016

alt

Estamos nos aproximando do final do tempo litúrgico, e neste período as leituras nos levam a refletir sobre o fim dos tempos. Muitas vezes queremos ignorar, ou, pelo menos, nos disfarçar em relação a este futuro acontecimento como se fosse uma utopia ou algo tão distante que não nos afeta em nosso tempo. Mas, na verdade, a história da humanidade se desenrola como que dentro de um funil, a cada dia que passa nós estamos mais perto do fim e a cada dia, os acontecimento finais, proclamados pela Palavra de Deus, se tornam presentes – Estamos nos últimos dias – Sim estamos nos últimos dias, desde a subida de Jesus aos Céus, em sua Ascenção, até o dia que Ele virá definitivamente. Por que nos últimos dias? Este tempo é o tempo da Igreja e tudo o que Deus tinha que fazer já foi feito. Agora é tempo de espera e já é o tempo final. Malaquias nos fala: virá o dia, abrasador como fornalha, em que todos os soberbos e ímpios serão como palha; e esse dia vindouro haverá de queimá-los”.

Diante do fim, que a cada dia fica mais perto, não é tempo de nos colocarmos na espera de forma passiva, “sentados esperando a banda passar”. Não! Temos que nos colocar em posição de batalha para que o Senhor, ao chegar, nos surpreenda no serviço do evangelho e na implantação de Seu Reino. São Paulo nos fala: ouvimos dizer que entre vós há alguns que vivem à toa, muito ocupados em não fazer nada”. O exemplo que recebemos dos Apóstolos e da Igreja é de sempre estarmos a caminho, servindo a Deus, na pessoa do próximo. No tempo de Paulo as pessoas ficavam “sem nada fazer” esperando a vinda do salvador e quando a fome batia saiam mendigando e até mesmo roubando para saciar a fome.

Neste “funil” em que a história humana se encontra, não podemos pensar em vida fácil, sem preocupações e perseguições, muito pelo contrário, Jesus não prometeu vida fácil a ninguém! A proposta é: “Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim”. (Mt 10,38). E Jesus não nos deixa sem avisos daquilo que irá preceder sua volta. Portanto, já sabemos que os dias são maus, mas os que vivem no Senhor estão salvos, mas não deixarão de passar pelas tribulações da vida. Uma coisa Jesus nos promete e já realizou isto em nosso meio – A Presença do Espírito Santo – que estará conosco, nosso advogado e consolador, que, estando em nós, nos defende de todos os ataques do inimigo e nos consola em toda tribulação.

Portanto, somente aqueles que pertencem ao Senhor conseguirão sobreviver para Deus em todas as provações que a vida apresentar. “É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!”. Aqui está à chave de toda nossa vida – PERMANECER – É o que a alegoria da Videira quer nos transmitir: “Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto, se não permanecerdes em mim”. (Jo 15,4).

Jesus também nos alerta aos falsos profetas que pregam que sua vinda será iminente. É como vemos hoje, pessoas Católicas ou não, anunciando e até colocando medo nas pessoas em relação à volta de Jesus. Precisamos entender que, a Palavra revelada, nos coloca diante de vários acontecimentos que irão preceder a volta de Jesus e muitos deles estão longe de acontecer. De outro lado alguns falam que já está acontecendo, pois temos guerras, terremotos, pais contra filhos e filhos contra pais, mas o que Jesus não disse é com que grau de intensidade estas coisas iriam acontecer.

Precisamos, sim, é de perseverar! Não importa quando Jesus virá definitivamente. Mas, poderá vir hoje, pra mim e pra você… o que precisamos é estar sempre preparados, como as “noivas prudentes” (Mt 25, 1-13), que estavam preparadas para o noivo, independente da hora em que iria chegar. Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora”. (Mt 25, 13).

Preparemo-nos.

Antonio ComDeus

 

33º DOMINGO Tempo Comum

 

1ª Leitura – Ml 3,19-20a

Nascerá para vós o sol da justiça.

Salmo – Sl 97,5-6.7-8.9a.9bc (R. cf. 9)

R.O Senhor virá julgar a terra inteira;

com justiça julgará. 

 

2ª Leitura – 2Ts 3,7-12

Quem não quer trabalhar, também não deve comer.

Evangelho – Lc 21,5-19

É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!