Reflexão 17º Domingo do Tempo Comum – Ano C – 2016

alt

A pessoa de Abraão, além de ser nosso pai na fé, é um exemplo maravilhoso de relacionamento com Deus. Vê-se em Abraão um homem maduro em sua fé, que dialoga com Deus em uma grande intimidade, mas sem exceder de sua posição de servo. É uma pessoa que conhece seu lugar, mas se atreve a ser um intercessor e se colocar a favor dos outros com uma suprema humildade e uma notória ousadia. Realmente é um exemplo e ao mesmo tempo a base de toda a fé. Temos uma base firme. De uma grandeza que sustenta toda a fé que vem depois dele. Quando Deus promete uma descendência como as estrelas do céu (Gn 15,5), realmente Deus sabe em quem pôs sua confiança.

Abraão almejou, mas não viu a vinda do salvador, mas certamente o Espírito Santo agia nele como uma força e o levava a comungar com Deus em sua intimidade. Agora! Nós estamos no tempo do Espírito Santo que Cristo conquistou na Cruz e somos agraciados com o Batismo que nos configura a Cristo em sua morte e nos ressuscita para uma vida nova. Temos muito mais que Abraão, então o que falta para temos a intimidade que Abraão tinha?

 Não falta nada. Somente a disposição de abandonar tudo, se desapegar de tudo e ter somente a Deus como meta, objetivo e serviço. Desdobrar todas as áreas de nossa vida no Senhor para sermos um com Ele em todos os nossos atos.

Temos tudo. Jesus nos ensina a orar. Os Santos nos dizem que quando rezamos o Pai Nosso Deus ouve a voz do Filho, pois foi Ele quem criou esta oração. E nos mostra no evangelho que a oração tem que ser perseverante, persistente, tem que ter um grande desejo no coração, tem que se colocar em atitude de comunhão profunda com Deus e perscrutar o seu íntimo, mas para isso necessitamos de insistir que nos dê em abundância a Pessoa do Espírito Santo.

Quando olhamos o texto: “quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate se abrirá. Será que algum de vós que é pai…”. Pensamos logo em pedir a Deus tudo o que precisamos e até o que simplesmente gostaríamos, mas ao final do texto Jesus deixa claro que só precisamos de uma só coisa: “quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!”. Precisamos somente do Espírito Santo e nada mais, Ele é o Mestre de nossa alma, nosso companheiro de caminho, nem podemos reconhecer Jesus como Senhor se não for por Ele (1Cor 12, 3), Ele vem em socorro de nossas fraquezas porque não sabemos orar como convém (Rm 8, 26-27), Ele opera tudo em todos (1Cor 12,6), nos dá força (At 1,8), nos ensina, nos fortalece, nos faz reconhecer-nos pecador… Ele é o operador a Santíssima Trindade e aquele que tem a missão de santificar o povo de Deus. Ele que nos impulsiona a ser mensageiros do bem e anunciadores das boas novas.

Só precisamos pedir. Peça com fé e deseje uma vida nova, o resto o Espírito Santo fará e nunca mais serás a mesma pessoa.

Antonio ComDeus

 

17º DOMINGO Tempo Comum

1ª Leitura – Gn 18,20-32

Que o meu Senhor não se irrite, se eu falar.

Salmo – Sl 137,1-2a.2bc-3.6-7ab.7c.8 (R. 3a)

R.Naquele dia em que gritei, vós me escutastes, ó Senhor! 

2ª Leitura – Cl 2,12-14

Deus vos trouxe para a vida, junto com 

Cristo, e a todos nós perdoou os pecados.

Evangelho – Lc 11,1-13

Pedi e recebereis.