Domingo de Pentecostes – Ano C – 2016

alt

Esta festa, que ora celebramos, marca o nascimento da Igreja. É com a vinda do Espírito Santo que nossa Igreja inicia a missão de Evangelizar “até o fim do mundo” (At 1,8). Importante percebermos que assim como o Verbo se rebaixou aniquilando-se de sua condição divina (Fl 2,7), a pessoa do Espírito Santo também se aniquilou e se rebaixou para habitar em nosso meio e em nós, para nos santificar.

A vinda do Espírito Santo é a manifestação de Deus no coração do homem. Com o Batismo, recebemos esta presença, e com ela somos ornamentados com Graças e Dons e participamos dos bens espirituais que Cristo conquistou na Cruz. Por isso que com a presença do Espírito recebemos a “graça santificante”, que é a capacidade de entendermos e participamos das realidades Divinas. O Espírito Santo se manifesta como DOM transformador, restaurador, impulsionador e nos capacita a entramos na glória, glória esta que se manifesta em nossa vida aqui na terra. É a ascese espiritual que nos leva à “Vida no Espírito”, proporcionando, a cada batizado, a possibilidade de uma “Vida Mística”. Esta vida está ao alcance de todos que queiram se entregar ao Consolo do Espírito e com Ele mergulhar na vida espiritual.

Precisamos refletir que somos seres humanos e que nesta humanidade participamos das realidades materiais, mas também das realidades espirituais e é sempre o Espírito Santo que nos impulsiona em uma e em outra. Certamente que a pessoa pode viver, neste mundo, sem a presença do Espírito, como pessoa simplesmente, agindo com sua vida e viver muito bem, ser um bom profissional, formar sua vida social, enriquecer mesmo de forma honesta, usar de sua inteligência, criar coisas, edificar… Enfim viver uma vida normal. E é o que acontece com a maioria das pessoas que estão no mundo, certamente que existe a presença de Deus em todos, mas uma vida vivida “No Espírito” necessita de uma adesão pessoal, clara e determinada para que o Espírito se manifeste em cada um com seus dons e carismas.

É Ele que forma o corpo de Cristo. Que é a Igreja, é Ele que coloca cada um de nós na parte do corpo que lhe convém: “Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos”. E é com Ele que recebemos o maior Dom que Jesus deu à sua Igreja: “A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”. A Igreja nasce para manifestar o amor misericordioso de Deus. Já imaginou se Jesus tivesse realizado toda a sua missão e não nos deixasse o perdão dos pecados de forma clara e objetiva como recebemos no sacramento da reconciliação? Certamente ninguém se salvaria. Como poderíamos ser salvos se não tivéssemos um perdão após o Batismo? E é o Espírito Santo que manifesta em nós esta graça e nos lava de todas as imundices que nos contaminamos na vida. Por tudo isso que sempre teremos que pedir – “Vinde Espírito Santo e enchei os corações de vossos fiéis…”. O Espírito Santo é o mestre de nossa alma e nosso companheiro de caminho, sejamos dóceis a Ele e estaremos a caminho da eternidade feliz.

Antonio ComDeus

 

Domingo de Pentecostes

1ª Leitura – At 2,1-11

Todos ficaram cheios do Espírito

Santo e começaram a falar.
e da terra toda a face renovai.
Ou:R. Aleluia, Aleluia, Aleluia,
2ª Leitura – 1Cor 12,3b-7.12-13
para formarmos um único corpo.
vos envio: Recebei o Espírito Santo!

 

Salmo – Sl 103, 1ab.24ac.29bc-30 31.34 (R.30)

R. Enviai o vosso Espírito Senhor*

Fomos batizados num único Espírito

Evangelho – Jo 20,19-23

Assim como o Pai me enviou também eu