Reflexão 34º Domingo – Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

altTu o dizes: eu sou rei.

Com esta celebração encerramos o Tempo Litúrgico. Este tempo se inicia com o advento (que começará na próxima semana), que é o nosso ano novo. Durante todo ano celebramos os mistérios de Cristo, culminando na festa de Cristo Rei do Universo. Em nosso ano vivemos todos os atos de Jesus, desde a Anunciação, até sua Glorificação, onde Jesus recapitulou n’Ele, toda a vida humana, fazendo novas todas as coisas. Assim, Jesus passou por todas as fazes de nossa vida e experimentou as dificuldades humanas, suas dores, alegrias, esperanças, expectativas, suas relações, incompreensões, sofrimentos… enfim, viveu como um verdadeiro homem, em tudo, com exceção do pecado. Sofreu as consequências do pecado dos homens, por seu amor, ao resgatar a humanidade perdida pelo pecado.

“Eu sou rei”. Esta é a afirmação de Jesus a Pilatos. Interessante que Jesus se declara Rei somente a ele. Certamente que Pilatos ficou atemorizado com esta afirmação e queria soltá-lo. E quem não ficaria? Diante de um homem todo chagado das flagelações que havia tomado dos Judeus e dos Romanos e se declara Rei, não é fácil para quem escuta Jesus dizer: “Se o meu reino fosse deste mundo, os meus guardas lutariam para que eu não fosse entregue aos judeus”.

Mas foi para isso que Jesus veio: “dar testemunho da verdade”. E todos os que são da verdade escutam a voz de Jesus. Você escuta a voz de Jesus? Então você foi escolhido por Deus para estar na verdade, para viver a verdade. Esta verdade é o próprio Cristo e a Verdade para nós é o caminho da santidade. “Jesus é o caminho, a verdade e a vida” – por isso que os que escutam sua voz estão a caminho da salvação.

Este Jesus voltará em glória, que bom se já estivesse chegando, para separar os bons e maus e retirar toda iniquidade da face da terra, transformando este mundo como era antes do pecado de nossos primeiros pais. “Olhai! Ele vem com as nuvens, e todos os olhos o verão”. Neste dia, Jesus aparecerá glorioso e todos os homens o verão, os mortos ressuscitarão, os que estiverem vivos serão arrebatados ao encontro do Senhor. Será momento de júbilo para muitos e de desespero para uma maioria. Será o fim dos tempos, o julgamento final. O Rei se apresentará diante de todo ser criado – “Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do céu e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro. Depois nós, os vivos, os que estamos ainda na terra, seremos arrebatados juntamente com eles sobre nuvens ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor’. (1Tes 4, 16-17). Neste dia haverá “…um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra desapareceram…”. (Ap 21, 1). E Toda criação será libertada da escravidão que o homem colocou sobre ela – “Pois sabemos que toda a criação geme e sofre como que dores de parto até o presente dia”. (Rm 8, 22).

Volta logo Jesus! Maranatha!

Antonio ComDeus

 

34º Domingo – Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

 

1ª Leitura – Dn 7,13-14

Seu poder é um poder eterno.

 

Salmo – Sl 92, 1ab.1c-2.5 (R.1a)

R. Deus é Rei e se vestiu de majestade,

 

1ª Leitura – Ap 1,5-8

Fez de nós um reino, sacerdotes para seu Deus e Pai.

 

Evangelho – Jo 18,33b-37

Tu o dizes: eu sou rei.