Reflexão 32º Domingo Tempo Comum – Ano B – 2015

alt

Conversão em quatro etapas.

Somos chamados, em nossa liturgia dominical, a dar tudo para Deus. Esse tudo é mais que imaginamos – tudo é um despojamento total de si, onde nada lhe pertence e tudo o que faz é para o Senhor e tudo pertence a Ele. Não há apego a nada e a ninguém, mas tudo é do Senhor e para o Senhor. Talvez, falar dessa forma é fácil, mas se em nossa vida tirarmos a segurança do salário mensal, já é o suficiente para nossa “casa” cair.

Vemos o papel da viúva de Sarepta em acreditar na palavra do profeta e que nem era de sua raça e de sua divindade. Mas acreditou e foi lhe dado em conta, de forma que o óleo e a farinha se multiplicaram, durante todo tempo de seca.  Aprendemos aqui que saber ouvir a voz de Deus na pessoa do outro é uma sensibilidade a ser alcançada e com muito exercício de fé. Afinal como anda a nossa fé? Ela está sendo experimentada ao longo de cada dia?

Em hebreus vemos que “O destino de todo homem é morrer uma só vez, e depois vem o julgamento”. Duas verdades o homem vive uma só vida, então não existe reencarnação e outra é o julgamento que será realizado, sem dúvidas, onde haverá a separação dos bons e maus. A Palavra quer nos orientar e nos entregarmos por inteiro ao Senhor.

Como também observamos no Evangelho Jesus mostrando aquilo que os doutores da lei, que eram os responsáveis a instruir o povo, e ao contrário ostentam a riqueza e o luxo, oprimindo o povo e retirando deles o pouco que tem para viver. E neste relato Jesus já aplica a sentença: Por isso eles receberão a pior condenação”. Mas, na sequência, Jesus nos mostra o que devemos almejar para agradar a Deus, aquela “viúva deu tudo”. Qual é o nosso “tudo” para dar a Deus? Havia um homem que se consagrou a Deus, pelo batismo, e não soube dar tudo para Deus, colocou sua confiança nos bens e quis ignorar a Deus. Certo homem chamado Ananias, de comum acordo com sua mulher Safira, vendeu um campoe, combinando com ela, reteve uma parte da quantia da venda. Levando apenas a outra parte, depositou-a aos pés dos apóstolos. Pedro, porém, disse: Ananias, por que tomou conta Satanás do teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e enganasses acerca do valor do campo? Acaso não o podias conservar sem vendê-lo? E depois de vendido, não podias livremente dispor dessa quantia? Por que imaginaste isso em teu coração? Não foi aos homens que mentiste, mas a Deus. Ao ouvir estas palavras, Ananias caiu morto. Apoderou-se grande terror de todos os que o ouviram. Uns moços retiraram-no dali, levaram-no para fora e o enterraram. Depois de umas três horas, entrou também sua mulher, nada sabendo do ocorrido. Pedro perguntou-lhe: Dize-me, mulher. Foi por tanto que vendestes o vosso campo? Respondeu ela: Sim, por esse preço. Replicou Pedro: Por que combinastes para pôr à prova o Espírito do Senhor? Estão ali à porta os pés daqueles que sepultaram teu marido. Hão de levar-te também a ti. Imediatamente caiu aos seus pés e expirou. Entrando aqueles moços, acharam-na morta. Levaram-na para fora e a enterraram junto do seu marido”. (At 5, 1-10).

Dar tudo a Deus não é fácil, na maioria das vezes colocamos nossa vida, na segurança dos bens materiais e vivemos uma religiosidade aparente em que Deus é tudo, exceto os bens que nos dão segurança.

Por isso que nossa conversão tem quatro etapas. A primeira é a conversão do coração, aceitar Jesus como seu Salvador e Senhor; a segunda é a conversão da mente, aceitar a doutrina, a Igreja e a revelação como tal; a terceira conversão é do “bolso” ser desprendido dos bens materiais, pagar o dízimo, dar esmola, ajudar os pobres e colocar seus bens a serviço de Deus; a quarta conversão é a morte, aceitar a morte como prêmio, como conquista da eternidade feliz em Deus.

Resta saber em que etapa nós estamos.

Antonio ComDeus

 

32º Domingo Tempo Comum – Ano B – 2015

 

1ª Leitura – 1Rs 17,10-16

A viúva, do seu punhado de farinha, fez um pãozinho e o levou a Elias.

 

Salmo – Sl145,7.8-9a.9bc-10 (R.1)

R. Bendize, minh’alma, bendize ao Senhor!

 

2ª Leitura – Hb 9,24-28

Cristo foi oferecido uma vez, para tirar os pecados da multidão.

 

Evangelho – Mc 12,38-44

Esta viúva pobre deu mais do que todos os outros.