Reflexão 25º Domingo Tempo Comum – Ano B – 2015

altÉ o Senhor quem sustenta minha vida!

A cada dia que passa o Joio e o trigo vão se distinguindo ao ponto de não termos muita dificuldade de reconhecer quem é um e outro. Em nossa sociedade está cada vez mais nítido, o joio com suas vagens vazias e o trigo com grãos de amor e caridade. Isto está causando desespero naqueles que são do mal e a todo custo querem marcar a história da humanidade com seus espetáculos de morte cruéis. A história tem registrado tantas épocas, com tantas calamidades, fruto do ódio que Satanás implanta nos corações daqueles que se acham deuses. Vejamos a primeira leitura – Armemos ciladas ao justo, porque sua presença nos incomoda”, sim somos incomodo a todo aquele que está nas trevas e quer, a qualquer custo, destruir os filhos de Deus. Quando a Sagrada Escritura nos diz que os pensamentos dos homens são diferentes dos de Deus está nos dando pista de que nunca iremos entrar em acordo com os homens das trevas. Nossas armas são diferentes é o amor ao próximo, à caridade, o perdoar sem limites, servir a todos sem olhar a quem, dar a própria vida para salvar uma alma para Deus, isto o mundo não entende nem irá entender.

Veja o que acontece nas terras do Oriente Médio, norte da África, berço onde nasceu o Cristianismo, os povos que primeiro receberam o anúncio do Evangelho, estão sendo esfolados pela sua fé e continuam professando o amor a Jesus Cristo mesmo que suas vidas sejam levadas a tortura e ao sacrifício. O Demônio está desesperado, pois quanto mais busca destruir o Cristianismo mais Cristãos dão testemunho de sua fé, onde morre um Mártir nascem centenas de Cristãos.

“Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito”. Essa é a paga dos maus, serão destruídos pelo próprio ódio que cultivam, são presas do Demônio e o fim desses é servir Satanás, no inferno por toda eternidade. Que Deus tenha piedade deles e os converta antes de suas mortes.

De outro lado vemos que Deus quer santos no Céu e por isso permite que seus filhos lhes dê a vida por amor e santifique suas vidas na entrega total ao seu Deus. Talvez, esses mártires, caso vivessem suas vidas normais poderiam não chegar à santidade e Deus proporcionou que pelo sacrifício chegasse à glória dos Céus. Certamente que isso é um devaneio, mas devemos ver que está chegando muitos santos no Céu. O Céu está em festa, muitos foram lavados pelo sangue do Cordeiro estão tendo um encontro com o Pai. Glórias sejam dadas ao nosso Deus por toda eternidade.

“Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!”. A exigência do Evangelho é radical, não tem meio termo, não adianta querer mudar as regras, Deus não é democrático. Sua Palavra é uma só. Seu amor é infinito, sua misericórdia é eterna, mas sua Palavra é irrevogável. Ou entramos na totalidade de sua Palavra ou seremos mornos e vomitados da boca do Senhor (Ap 3,16). Temos que fazer uma escolha radical, não tem como ficar em cima do murro, ou protelando, é agora, é hoje. Que seu sim seja sim e o não seja não, mas é agora…

Maranathá! Vem Senhor!

Antonio ComDeus

 

25º Domingo Tempo Comum – Ano B – 2015

 

1ª Leitura – Sb 2,12.17-20

Vamos condená-lo à morte vergonhosa.

 

Salmo – Sl 53,3-4.5.6.8 (R. 6b)

R. É o Senhor quem sustenta minha vida!


2ª Leitura – Tg 3,16-4,3
O Filho do Homem vai ser entregue… Se alguém quiser ser o primeiro, que
seja aquele que serve a todos!

 

O fruto da justiça é semeado na paz, para aqueles que promovem a paz.

 

Evangelho – Mc 9,30-37