Reflexão 16º Domingo Tempo Comum – Ano B – 2015

alt

Sejamos verdadeiros pastores conforme o coração de Deus.

Hoje a Igreja nos convida a meditar sobre o Bom Pastor. Certamente que este grande e único Pastor é Jesus, mas Ele nos constitui também pastores e cada um de nós somos pastores de uma parcela de seu grande rebanho. De um lado temos que ter a atitude de ovelha que segue o Mestre e quer sempre aprender com Ele e tendo os olhos fixos n’Ele mergulhamos em seu amor misterioso e pela força do Espírito Santo somos capacitados a exercermos o papel de pastor junto com o Mestre ao implantar seu Reino. Mas, também, temos que ter atitudes de pastor para conduzir as ovelhas confiadas a nós e isto pode ser: na família, na comunidade, na igreja, no grupo de amigos onde temos que ser sal e luz e assim sempre terá alguém vindo a nós buscando um pouco de água para saciar sua sede. “Quem crê em mim, como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de água viva”. (Zc 14,8; Is 58, 11; Jo 7, 37). Estando em Jesus nos tornamos fonte de água de vida para nossos irmãos.

Agora! Quando olhamos para primeira leitura vemos Jeremias exortando os pastores que não pastoreiam, mas usam das ovelhas para atender “a malícia de vossas ações” fazendo das ovelhas seus servos e as oprimindo. Mas o próprio profeta diz que Deus enviará o salvador da casa de Davi. Sabemos que este salvador já veio e nos trouxe uma vida nova ao ponto de nos formar uma igreja em que todos – Judeus e gentios – devem formar seu novo povo.

É! Jesus já fez sua obra. Mas, como vemos os pastores ainda continuam a agir da mesma forma que no passado. Talvez nós estejamos precisando de outro Jeremias em nosso tempo. Vejamos a quantidade de “igrejas” que nascem de todos os tipos, com todas as formas de doutrinas, umas nem doutrina tem é só enganação usando o nome de Jesus. Quantas pessoas sem formação nenhuma e com boa oratória arrebanham grande número de pessoas e as conduz. Mas, para onde? Qual será o fim destas pessoas que sendo enganadas, são levadas como carneiro ao matadouro? São ignorantes sim, mas são soberbas e gananciosas, pois lhes são oferecidas um deus que irá resolver seus problemas e vai lhes cumular de dinheiro e sempre a prosperidade material está em foco em toda pregação.

Esses “pastores” são verdadeiros demônios fantasiados de pastores, são mercenários que só querem conduzir o povo ao encontro de satanás. Estamos em guerra contra os espíritos e potestades espalhadas pelos ares (Ef 6, 12), e precisamos, sim, fortalecer nossa pregação, sair pelas ruas proclamando o nome de Jesus, não podemos ficar somente dentro das igrejas esperando as ovelhas aparecerem. Enquanto estamos parados dentro do templo o demônio esta solapando o povo de Deus que está perdido sem saber onde reclinar suas cabeças. Somos maus pastores, conhecemos a verdade, comungamos na mesa do Senhor seu Corpo e Sangue, vivemos dos sacramentos que é sinal sensível e palpável da ação do Senhor em nossas vidas e mesmo assim nos calamos e quando temos que testemunhar nossa fé nos sucumbimos e frios somos indiferentes. Cuidados pastores – os mornos serão vomitados pela boca do Senhor. (Ap 3, 16).

Jesus instituiu “sua” Igreja em Pedro e nos Apóstolos e nessa Igreja as portas do inferno não prevalecerão. Assim essa Igreja tem a assistência plena do Espírito Santo e por mais que, em sua história, passou por grandes problemas e tribulação ela se manteve sempre em pé, graças àquele que a rege. Isto não quer dizer que não temos pastores que agem como mercenário, mas que esse joio é rapidamente podado e a Igreja continua sua caminhada.

Jesus levou os discípulos para descansar, mas o povo estava lá em grande número, isto representa para nós que na evangelização não tem férias, não tem descanso, não se pode colocar o “burro na sombra” e muito menos “dar um tempo”. É puro serviço, é pura evangelização. Deixemos de sermos fracos, egoístas, individualistas, egocêntricos, de sermos aproveitadores. Quem age assim é por que não tem vida de oração pessoal e não conhecem a Deus. Está servindo a si mesmo e enganando os outros. 

Sejamos verdadeiros pastores conforme o coração de Deus.

Antonio ComDeus

 

16º Domingo Tempo Comum

 

1ª Leitura – Jr 23,1-6

Reunirei o resto de minhas ovelhas. Suscitarei para elas pastores.

Salmo – Sl 22,1-3a.3b-4.5.6 (R. 1.6a)

R. O Senhor é o pastor que me conduz: felicidade e todo bem hão de seguir-me!

2ª Leitura – Ef 2,13-18

Ele é a nossa paz; do que era dividido fez uma unidade.

 

Evangelho – Mc 6,30-34

Eram como ovelhas sem pastor.