Reflexão 12º Domingo Tempo Comum – Ano B – 2015

alt

Seja amigo de Deus

Na primeira leitura vemos o livro de Jó. Este livro quer nos apresentar um personagem de fé, uma pessoa que atormentada pelo anjo tentador que o coloca a prova. Primeiro em retira seus bens, depois sua família e depois a sua própria saúde, buscando leva-lo a contrariar sua fé e, além disso, tem outros personagens que sendo seus “amigos” buscam fazer o papel de advogados mostrando que não é homem de tanta fé. Com essa trama acontece um grande diálogo entre Deus e seu servo Jó, mostrando as verdades de que Deus é o Todo Poderoso e que nada escapa de suas mãos. Jó permanece firme em sua fé e isso lhes trás de volta as bênçãos de Deus e em quantidade superior ao que tinha antes. Bem! Dessa estória, de um lado,vemos que a nossa fé pode ser tão segura ao ponto, de mesmo sendo questionado pelos “amigos”, continuamos acreditando que Deus está no timão de nossa vida e tudo o que acontece será sempre para o nosso crescimento e para que nos aproximemos de uma maior intimidade com Ele.

De outro lado, temos que nos ater que Jó recebe em vida os méritos de sua fé, o que na vida nem sempre assim acontece, isso por que na época da elaboração deste texto, eles não tinham consciência de sansão pós-morte – Céu e Inferno – daí o ditado “aqui se faz, aqui se paga”, mas sabemos que não é assim, pois a vida após morte pode nos trazer a sorte que não tivemos em vida ou a perdição do esbanjamento de uma vida frívola. Que duro se ouvirmos de Deus: “Até aqui chegarás, e não além; aqui cessa a arrogância de tuas ondas”. O Homem é medido, pela sociedade, pelo seu poder e capacidade de ser o “primeiro” e deixar os outros pra trás, mas, em Deus, é medido pela capacidade de levar consigo o maior número de pessoas e, muitas vezes, sendo suporte para os irmãos. Onde haverá maior glória?

Por isso que “O amor de Cristo nos pressiona”, somos levados por esse amor a esquecermos de nós e nos lançarmos ao serviço dos irmãos, pois “Cristo morreu por todos, para que os vivos não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou”. Isso para o mundo é perda, mas para nós é lucro, pois já recebemos a maior, de qualquer que seja a vitória, que alguém possa desejar, pois Cristo preenche nossa vida de tal forma, que qualquer que seja o desejo deste mundo, nada pode se aproximar da vitória da Cruz, a qual nos resgatou da perdição eterna.

“Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?”. Quantas vezes fazemos isso, em nossa caminhada, pressionando Jesus a fazer a nossa vontade ou a realizar milagres, mesmo sabendo que Ele está em nossa barca (nossa vida)? Nossa experiência com o ressuscitado é muito débil, que não tem consistência nenhuma, ao ponto de em qualquer tempestade nos escabelar e querendo ficar livres, logo, do problema e na maior parte das vezes nem nos importa com o que vai acontecer, mas queremos ficar livres do problema. É nessa hora que o Demônio se apresenta com facilidades, com soluções rápidas, e nos deixamos levar pelo nosso egoísmo, e trocamos os ensinamentos de Deus, que está nos preparando para entrarmos na Vida Eterna, pela facilidade, com caminho da perdição eterna, e somos levados a sermos plantadores das desgraças na vida dos irmãos e “levar vantagens” nos mostrando como “Bons”. Que pena! E tudo isso, só por que não exercitamos nossa fé em uma vida de oração pessoal, que nos pode levar a uma profunda relação de amizade com o Senhor e conhecer seus planos de nossa salvação e assim ficamos na periferia de nossas vidas mesquinhas sem saber o que plantar e o que iremos colher. Puxa! Se nossa vida for conduzida assim somos os mais infelizes de toda a terra.

Acorda! Ainda dá tempo. Mude de vida. Busque uma relação de intimidade com Deus, seja amigo de Deus, pare de ser parasita na vida, querendo ser o Cristão light. Tudo passa. Temos que ver onde estamos colocando nossa vida. É hora de conversão, de mudança. Não importa a que grau você chegou o que importa é que está vivo, então ainda tem muito que ser feito. Levante e avance, seja promotor do Amor de Deus.

Antonio ComDeus

 

12º Domingo Tempo Comum

1ª Leitura – Jó 38,1.8-11

‘Aqui cessa a arrogância de tuas ondas’

 

Salmo – Sl 106,23-24.25-26.28-29.30-31 (R. 1b)

R. Dai graças ao Senhor, porque ele é bom, porque eterna é a sua misericórdia!

2ª Leitura – 2Cor 5,14-17

Tudo agora é novo

 

Evangelho – Mc 4,35-41

Quem é este a quem até o vento e o mar obedecem?