Reflexão Domingo de Pentecostes – Missa do Dia Páscoa

Celebramos o nascimento da Igreja com a vinda do Espírito Santo. Jesus antes de sua Paixão e Morte prometeu aos Apóstolos que iria enviar “outro Paráclito” (Jo 14, 16), o primeiro é Ele, que ficaria conosco por toda eternidade. É bom meditar na Pessoa do Espírito Santo, Ele é uma pessoa e seu nome é Espírito Santo e como pessoa é consubstancial ao Pai e ao Filho e com Eles deve ser adorado e glorificado (Credo Niceno-Constantinopolitano). A vinda do Espírito Santo é também seu rebaixamento, assim como o Filho se rebaixou e assumiu nossa natureza, o Espírito se rebaixou e veio morar em nossa natureza. Bem, neste sentido, como somos templo do Espírito Paráclito Consolador devemos nos perguntar – Como estamos tratando o Espírito Santo que mora em nós e tem a missão de nos santificar? E veja bem, Ele não nos santifica sozinho, mas nos move a querer a santidade e muitas vezes estamos amarrados em nossas mazelas de posse, nas coisas materiais dentro de um consumismo que só pensamos em ter, ou estamos buscando os prazeres do mundo, ou até mesmo o poder sobre as coisas e as pessoas que nos cercam. Devemos pensar qual é o efeito da vida do Espírito Santo em mim? O quanto quero ser santo? Como quero chegar ao Céu? Se é que penso nisso. Bem, em todas as situações de nossa vida temos um companheiro de caminhada e mesmo sendo Deus – o operador da Trindade – Ele fica esperando o nosso sim para que possa nos conformar a Cristo.

Mas esse Grande Mestre de nossa alma um dia foi enviado pelo Filho com o Pai para que pudéssemos entender as coisas de Deus e sem Ele nada poderíamos entender de Deus, por isso que Paulo nos fala que “Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor a não ser no Espírito Santo”.E com sua vinda tudo acontece na Igreja instituída pelo Senhor. Ele anima, fortalece, ensina, faz testemunhas, recorda, santifica, eleva a alma ao Céu mesmo estando na terra, é capaz de nos levar as alturas dos Céus, a tocar a eternidade, a experimentar as maravilhas do Céu, a ver a Deus e saborear sua divindade, a contemplar a Glória de Deus e entrar nos átrios eternos e aterrorizar-se diante da estupenda Glória de um Deus de Amor e Misericórdia e tudo isso sem tirar os pés da terra. Talvez, ainda não compreendemos quem é que vive dentro de nós e nos dá a capacidade de experimentar as coisas do alto e por isso ficamos muito na periferia da vida espiritual e não penetramos nas profundezas do Amor de Deus.

Deus, em seu amor pelos homens, quis dar a sua Igreja um Dom, o maior dos dons,e que Jesus dá a sua Igreja. Naquela noite, no dia de Páscoa, Jesus aparece e entra na sala, mesmo as portas estando fechadas, sopra sobre eles o Espírito Santo e diz: “A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes,
eles lhes serão retidos”
. Isso! O Dom de perdoar os pecados. Jesus deixou de forma sacramental (sinal sensível, real) o perdão de nossos pecados. Nossa Igreja é a casa da misericórdia. Onde Deus realiza a obra de salvação santificando seus filhos lavando suas feridas e curando de todas as enfermidades da alma para que possa entrar no gozo: “Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo”. (Mt 25, 34).

Irmãos e Irmãs temos nos preocupado muito com as coisas do mundo e que nada nos servirá para a eternidade, devemos buscar a sabedoria do Espírito para separarmos as coisas de nossa vida. O que realmente está nos proporcionando à santificação? O que, em minha vida, está sendo um fardo, que muitas vezes, está tão pesado que não consigo ser mais santo, me abrir mais a Deus e ser livre para Deus? A vida foi nos dada por Deus e somos responsáveis por ela, temos que dar cabo de todas as nossas opções. Deus, não faz as coisas, em nossas vidas, sozinho e sim junto conosco, a iniciativa é d’Ele, mas a decisão é nossa. Você é realmente responsável pelos seus atos, mas não está sozinho, temos: Deus Pai, Filho e Espírito Santo, os Santos, os Anjos, a Santíssima Virgem Maria, todos estão conosco em nossa caminhada de santidade, basta dizer: “SIM” e o Espírito Santo plenificará sua alma e subirá aos Céus e como Paulo – “foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que não é permitido a um homem repetir”, (IICor 12, 4) assim poderá acontecer conosco.

“RuahEffeta”. Abre-te ao Espírito e verás as coisas do alto.

Antonio ComDeus

 

Domingo de Pentecostes – Missa do Dia Páscoa

1ª Leitura – At 2,1-11

Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar.

Salmo – Sl 103, 1ab.24ac.29bc-30 31.34 (R.30)

R. Enviai o vosso Espírito Senhor e da terra toda a face renovai.

2ª Leitura – 1Cor 12,3b-7.12-13

Fomos batizados num único Espírito para formarmos um único corpo.

Evangelho – Jo 20,19-23

Assim como o Pai me enviou também eu vos envio: Recebei o Espírito Santo!