Reflexão 6º Domingo da Páscoa Ano B – 2015

altNa Igreja nascente, havia muitas dúvidas que pairavam sobre os Apóstolos, eles eram de cultura judaica enraizados na doutrina judaica que estava totalmente apoiada na lei e se fechavam em relação a outras pessoas – os Pagãos ou Gentios. Após a ressurreição e a vinda do Espírito Santo, achavam que: para uma pessoa aceitar Jesus teria que aceitar primeiro o Judaísmo e com isso exigiam que fossem circuncidados, o que faria deles um Prosélito, para depois serem batizados e se tornarem Cristãos. Mas isso não era necessário, e Pedro que estava apegado à lei ainda não tinha entendido a mudança que Jesus fez. Por isso que o Senhor o enviou a casa de Cornélio, que era pagão, e lá quando Pedro começou a falar o Espírito Santo já realizou a obra naquela família. Pedro então exclamou: “Podemos, por acaso, negar a água do batismo a estas pessoas que receberam, como nós, o Espírito Santo?”. Um ponto importante é que Cornélio e sua família receberam o Espírito Santo antes de receber o Batismo sacramental, isto nos mostra como Deus age de todas as formas para a salvação de seu povo. Assim também os Apóstolos foram batizados no Espírito Santo em pentecostes e não sabemos quando foram batizados na água sacramental. Como essa. Outras problemáticas aconteceram na comunidade nascente, mas o Espírito Santo achava uma forma de consolidar a comunidade na verdade proclamada por Jesus.

No evangelho, vemos Jesus, em sua pregação de despedida, dando conselhos e ordens. Dificilmente vemos Jesus ordenando algo durante todo o Evangelho, mas agora Ele diz: “Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros”. Nesta despedida Jesus nos dá um novo mandamento: “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei”. Este mandamento supera o antigo: “Amai a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a ti mesmo”. Jesus nos ordena em amar como Ele, em amar com seu amor, por isso que Ele diz “permanecei em mim”, esta é a nossa meta de vida – permanecer em seu amor – somente assim poderemos ser para o outro o amor que eles esperam, pois somente Ele pode completar o que falta em nós e através de nós chegarmos ao outro.

Jesus não quer servos, mas amigos. Mas também não quer crianças ao sabor do vento que não sabe para onde vão– “É semelhante a meninos sentados nas praças que gritam aos seus companheiros: Tocamos a flauta e não dançais, cantamos uma lamentação e não chorais”.(Mt 11, 16-17).

“Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai”. Jesus se deu a conhecer e revelou a nós tudo o que ouviu do Pai. Amigo é assim: se dá a conhecer para gerar amizade, irmandade, compromisso, comprometimento, amor, adesão… E tudo isso Ele tomou iniciativa. Puxa! Ser amigo de Jesus, ser amigo de Deus, isso é um privilégio. Por isso que o Pai escolhe os amigos para o filho, por que o Pai ama infinitamente o Filho e quer o melhor para Ele. Você sabia que fomos escolhidos pelo Pai. Jesus diz: Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou não o atrair” (Jo 6, 44). E agora!? Como estamos tratando esse amigo? Qual está sendo nosso esforço para cultivar essa amizade? Afinal Ele é Deus e Salvador. Do circulo de amigos que você tem quem se compara a Jesus? É! Temos que rever nossas ações e métodos de amizade e de como devemos nos portar diante d’Ele e de como nos devemos nos relacionar. Ter um amigo que é Deus e Salvador é um grande privilégio, mas uma grande responsabilidade. Devemos amá-lo como se nada mais de importante existisse no mundo ou que tudo o que há no mundo só tem razão de ser se for para me aproximar, amar e adorar ao Senhor. Somente assim encontraremos a verdadeira felicidade o que muitos buscam e encontram somente o prazer.

Antonio ComDeus

 

6º Domingo da Páscoa

 

1ª Leitura – At 10,25-26.34-35.44-48
 
Salmo – Sl97,1.2-3ab.3cd-4 (R. cf. 2b)
2ª Leitura – 1Jo 4,7-10
Evangelho – Jo 15,9-17

O dom do Espírito Santo também foi derramado sobre os pagãos

R. O Senhor fez conhecer a salvação e revelou sua justiça às nações.

Deus é amor

 

Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos amigos