Reflexão Domingo de Páscoa Ano B – 2015

alt“Se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto…”.

Já ressuscitamos com Cristo no Batismo, portanto nossa busca em tudo o que fizermos será, sempre, a busca das “coisas do alto”. Deus se fez homem para nos dar esta vida – A eternidade feliz junto com o Pai – E nossa celebração da Páscoa não é um olhar para o passado, mas a celebração do Cristo Ressuscitado no hoje de nossa história, assim a palavra de Paulo é o fundamento de nossa fé – “Pois vós morrestes, e a vossa vida está escondida, com Cristo, em Deus”. Fomos resgatados por Cristo Ressuscitado e assim temos uma nova vida. Mas será que a nossa vida expressa isso? Será que nossas atitudes, nosso modo de ser, falar, se portar diante da sociedade é tão diferente que as pessoas notam e comentam, criticam? Ou temos uma vida tão normal quanto aqueles que estão longe do caminho de Deus que não se vê a diferença? Como iremos proclamar o Cristo Ressuscitado se em nossa vida não trazemos as marcas de Cristo? (Gl 6, 17).

Pedro ao se apresentar ao povo no dia de Pentecostes dá testemunho de Jesus –“Deus o ressuscitou no terceiro dia… E nós somos testemunhas…”, O mesmo Pedro que o havia negado agora é testemunha viva do Cristo Vivo, agora Pedro é marca de Deus no mundo, é manifestação do ressuscitado. O caminho de Pedro mudou não é mais pescador de peixe, mas de homens, é testemunha e anunciador ao ponto que cinco minutos de pregação converteu três mil pessoas. É isso que Deus espera de nós ao celebrarmos a Páscoa. Não é uma tradição de festas de nossa Igreja e sim uma proclamação do que vivemos em nosso dia-a-dia em nosso testemunho e em nossa pregação, sim pregar com a vida e com palavras. Sermos semeadores do Ressuscitado: na Família, na escola, no trabalho, no meio social e em todos os lugares. Sabermos dizer sim se é sim e não se é não isto conforme nosso Mestre Jesus.

Somos as pessoas mais agraciadas por Deus. Muito pelas graças, curas, libertações, bênçãos,que recebemos todos os momentos, mas muito mais por Ele nos ter escolhido e se revelado a nós para que conhecêssemos a verdade e participássemos efetivamente de Sua vida. Por isso que proclamar a Páscoa é para nós o regozijo de alma na alegria de filhos de Deus que passam por esse mundo com os olhos fixos na eternidade.

Celebrar os mistérios de nossa redenção é viver a experiência do amor em seu mais alto grau. Muitas pessoas pensam que mistério é algo que não se sabe explicar então diz: “mistério”, como algo absurdo, irracional, mas veja bem o mistério é algo ininteligível, mas compreensível com o mistério, sabemos que Jesus é filho de Deus, que ele é Deus e que assumiu nossa humanidade para nos resgatar do pecado e da morte eterna e sabemos que Deus se fazer homem é mistério, isto por que nossa inteligência não consegue abstrair tal conhecimento, mas sabemos quem é Jesus e sua obra por que Ele disse e provou com seus atos e nos dá a experiência de Seu amor. Assim quando estamos diante de um mistério é como tocar em uma grande muralha intransponível, vemos a muralha, tocamos sentimos e diante de tão grande Mistério só temos um posição a ficar – prostrado em Adoração. Nossa Páscoa é momento de adorar ao Senhor três vezes Santo – Pai, Filho e Espírito Santo – Um amor tão incompreensível que nos deixa atônitos e só temos o silêncio aterrorizante como resposta a este Amor.

Feliz Páscoa.

Antonio ComDeus

 

Domingo da Páscoa – Ano B – 2015

 

1ª Leitura – At 10,34a.37-43

Comemos e bebemos com ele depois que ressuscitou dos mortos.

 

Salmo – Sl 117,1-2.16ab-17.22-23 (R.24)

R. Este é o dia que o Senhor fez para nós: alegremo-nos e nele exultemos!

 

2ª Leitura – Cl 3,1-4

Esforçai-vos por alcançar as coisas do alto, onde está Cristo.

 

Evangelho – Jo 20,1-9

Ele devia ressuscitar dos mortos.