Reflexão 5º Domingo da Quaresma Ano B – 2015

altQue tipo de pessoa eu quero ser na eternidade? 

Neste período quaresmal, somos chamados a viver em profunda comunhão com o Senhor em todo seu mistério de salvação e somente assim chegaremos à páscoa com uma profunda comunhão com o Ressuscitado. Neste fim de semana somos orientados a refletirmos sobre o projeto do Pai de resgatar a humanidade mergulhada no pecado e impedida de ter uma relação de amor com Deus. Sabemos que após o pecado toda a natureza humana ficou banida da face de Deus, mas Deus em seu amor sempre buscou resgatar esse povo, senão de forma direta e jurídica, isto é, Deus poderia simplesmente dizer estão todos salvos e pronto toda humanidade estaria salva e sem nenhum pecado sobre a face da terra. Mas Deus sabe que isso seria uma afronta ao ser humano que decidiu afastar livremente d’Ele.

Por isso durante todo o Antigo Testamento Deus está fazendo alianças com os homens e este falhando no cumprimento dos compromissos com seu criador, mas Deus não desiste, vemos Jeremias dizendo as palavras proféticas de Deus: “imprimirei minha lei em suas entranhas, e hei de inscrevê-la em seu coração;serei seu Deus e eles serão meu povo”. Nosso Deus ama seu povo e quer reuni-los em torno de si. O senhor se mostra como um Deus de misericórdia e compaixão que perdoa os pecados e resgata seu povo não porque vê algum mérito neste povo, mas simplesmente o AMA. “… todos me reconhecerão do menor ao maior deles, diz o Senhor, pois perdoarei sua maldade”. Assim desde muito tempo somos chamados e conhecer as propriedades de nosso criador – Deus é amor (1Jo 4,8).

Mas para que essa salvação partisse da natureza humana e não de uma ação jurídica de Deus ele enviou seu único Filho que se encarnou assumindo nossa natureza humana e tornando-se um de nós passou por todas as fazes humanas e aprendeu, como homem, a sofrer todas as implicações do pecado. Sendo puro e perfeito homem sofreu como um pecador e na obediência ao Pai foi até o madeiro para cumprir até o fim a vontade do Pai. E desta forma nos fala: “tornou-se causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem”. Bem, temos que refletir. Assim como Jesus na obediência ao Pai cumpriu sua missão, missão que o Pai tinha para Ele, assim também cada um de nós foi criado por Deus com uma missão, e para que ela se cumpra em nós, necessitamos de sermos obedientes ao Pai até o fim. Por isso que Jesus nos diz: “Se o grão de trigo que cai na terra não morre ele continua só um grão de trigo; mas se morre, então produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a”. “Se alguém me quer servir, siga-me,e onde eu estou estará também o meu servo”.

Irmãos, literalmente, somos neste mundo uma semente em formação, muitos pensam que aqui é onde mostramos todas as nossas potencialidades e tudo o que somos. Veja bem, nem o conhecimento que adquirimos conseguimos tê-los em nosso consciente, na verdade não sabemos nem quem somos, pois a cada dia estamos mudando, ora pra melhor, ora pra pior. São Paulo nos fala da ressurreição dos mortos: “Insensato! O que semeias não recobra vida, sem antes morrer. E, quando semeias, não semeias o corpo da planta que há de nascer, mas o simples grão, como, por exemplo, de trigo ou de alguma outra planta. Deus, porém, lhe dá o corpo como lhe apraz, e a cada uma das sementes o corpo da planta que lhe é própria.(…) Uma é a claridade do sol, outra a claridade da lua e outra a claridade das estrelas; e ainda uma estrela difere da outra na claridade.Assim também é a ressurreição dos mortos. Semeado na corrupção, o corpo ressuscita incorruptível;semeado no desprezo, ressuscita glorioso; semeado na fraqueza, ressuscita vigoroso;semeado corpo animal, ressuscita corpo espiritual. Se há um corpo animal, também há um espiritual”. (1Cor 15, 39-44). Somos simplesmente uma semente em formação que irá se apresentar com toda a sua potência após a morte. O que devemos perceber ou conceber em nossos corações é: Que tipo de pessoa eu quero ser na eternidade? Por isso que aquele: “Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem faz pouca conta de sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna”.

Temos o melhor modelo de santidade para seguirmos e nos esforçarmos, na obediência a Deus, de sermos discípulos de Jesus fazendo exatamente o que Ele faria se estivesse em nosso lugar a cada momento de nossas vidas. E para isso não estamos sós o Espírito Santo mora em nós para nos moldarmos nos projetos de Deus.

Pense, qual o fulgor de santidade você quer resplandecer na eternidade, então se conforme ao projeto de Deus, pois é isso que Ele tem preparado pra você. Seja santo, seja feliz… Em Cristo.

Antonio ComDeus


 

Domingo Quaresma 2015 – Ano B

1ª Leitura – Jr 31, 31-34

Concluirei uma nova aliança e não mais lembrarei o seu pecado. 

Salmo – Sl 50,3-4.12-13.14-15 (R. 12a)

R. Criai em mim um coração que seja puro.


 

2ª Leitura – Hb 5,7-9

Aprendeu a obediência e tornou-se causa de salvação eterna.

Evangelho – Jo 12,20-33

Se o grão de trigo cair na terra e morrer, produzirá muito fruto.