Reflexão 2º Domingo do Tempo Comum Ano B – 2015

alt

Esta é nossa primeira reflexão deste ano, peçamos a Deus a graça de sermos mais santos neste ano e termos atitudes de novas criaturas, muitas vezes fazemos muitos projetos para cada novo ano e muitas vezes esquecemo-nos de colocar em nossas metas o caminho de santidade de encontro com o Senhor de forma mais clara e objetiva. Vemos Samuel ainda criança não sabendo distinguir a voz de Deus e confundindo com se fosse à voz do Profeta. Mas nós sabemos ouvir e distinguir a voz de Deus? Quantas vozes existem dentro de nós que gritam diariamente e que na maioria das vezes mais nos confunde? Isso quando damos tempo para ouvir essas vozes, por que na maioria das vezes agimos como “carneiros levados ao matadouro”, simplesmente seguimos aquilo que nos convém a buscamos mais os prazeres que a felicidade, isso os que sabem distinguir prazer de felicidade, pois os que não sabem simplesmente vão adentrando dentro de um túnel sem fim…

De outro lado vemos na segunda leitura, São Paulo mostrando que somos templos de Deus e que nosso corpo é sagrado. Puxa! O mundo muito nos envolve no campo da sexualidade desregrada ao ponto de toda a nossa sociedade se contaminar e prevaricar destruindo o próprio templo de Deus que somos cada um de nós. Estamos imersos no pecado e muitas vezes nos vemos afogados nos vícios dos pecados, isto em todo tipo de pecado, uns tem a fraqueza em certos tipos, outros em outros tipos, mas todos nós somos escravos dos pecados. Somente Jesus nos pode libertar, mas mesmo entregando nossas vidas a Ele, somos concupiscentes, soberbos, como nos diz São João: Porque tudo o que há no mundo – a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida – não procede do Pai, mas do mundo”. (IJo 2, 16). Assim temos que decidir a quem queremos servir a Deus ou ao mundo, pois na maioria das vezes queremos servir a dois senhores e isso Jesus já nos disse que é impossível: Não podeis servir a Deus e ao dinheiro”. (Lc 16,13). Mas certamente somos tragados pelo mundo a cada momento e muitas vezes trocamos Jesus e o Reino eterno por migalhas de prazeres, se Judas vendeu Jesus por trinta moedas de prata, nós, muitas vezes o vendemos por migalhas de prazeres, de vaidade, de gozos, de orgulho e de tantas outras maneiras que Judas se torna um santo perante nós.

João indica a seus discípulos quem é Jesus e perde dois deles, mas esta é a missão de João “Convém que Ele cresça e eu diminua” (Jo 3, 30). Dos que seguem a Jesus vemos André que passa à tarde com Jesus e experimenta o sabor do Salvador e vai até seu irmão e o apresenta a Jesus e imediatamente Jesus lhe confere a missão – Cefas (Pedra). Muitas vezes necessitamos de um João Batista ou de um André em nossas vidas para que nos mostre a Jesus e que possamos ter um encontro com Ele. Certamente você pode estar pensando, mas eu já conheço a Jesus e já passei por experiência com Ele. Então pergunto eu – Por que continuamos a pecar? E muitas vezes pecados absurdos? São João nos diz: “Todo aquele que permanece nele não peca; e todo o que peca não o viu, nem o conheceu”.(1Jo 3, 6). Muitas vezes nossa experiência ficou no passado. Necessitamos de experimentá-lo todos os dias, por isso que Jesus nos manda:Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca.(Mt 26, 41). Nossa prontidão, nossa atitude de atalaia vai definir que Cristãos somos nós.

Vem Espírito Santo e faça de nós semelhantes a Jesus, por favor!

Antonio ComDeus

 

 

2º Domingo Tempo Comum – Ano B 2015

 

1ª Leitura – 1Sm 3,3b-10.19

Fala, Senhor, que teu servo escuta.

 

Salmo – Sl 39,2.4ab.7-8a.8b-9.10 (R.8a.9a)

R. Eu disse: Eis que venho, Senhor, com prazer faço a vossa vontade.

 

2ª Leitura – 1Cor 6,13c-15a.17-20

Vossos corpos são membros de Cristo.

 

Evangelho – Jo 1,35-42

Foram ver onde Jesus morava e permaneceram com ele.