Festa Dedicação da Basílica do Latrão.

alt

Irmãos, nesta liturgia, temos muitas referências de meditação vamos iniciar pelo Templo de Deus. No Passado Deus pediu para que lhe fosse construído um templo, um lugar de encontro onde Ele poderia acolher seu povo e ter uma proximidade de amor e carinho, onde seu povo pudesse lhe oferecer culto e adoração. Culto e Adoração que Ele próprio ensinou de como deveria adorá-lo, assim também Jesus, na última Ceia ensinou os Apóstolos de como deveriam fazer para estar em comunhão com o Mestre e como deveriam fazer para Adorá-lo. Bem, isto é importante, pois se inventássemos um jeito de adorar a Deus seria idolatria, por isso que Deus toma a iniciativa. Mas o Templo sempre foi o lugar estabelecido por Deus para o encontro d’Ele com seu povo. 

Assim, deixando de lado alguns problemas de época, vemos as Cruzadas em defesa da Terra Santa tal era a importância para o povo resguardar o Templo e a cidade que Deus escolheu para ser o centro de sua revelação, onde por mais de mil anos Deus se manifestou ao seu povo. O Templo, de Jerusalém e hoje o Templo que temos espalhados por todo o mundo é o lugar privilegiado do “Encontro” de Amor e Adoração. É a Casa de Deus.

 

Certamente que após Pentecostes, cada pessoa Batizada é Templo de Deus e carrega em si o Espírito Santo, os Padres do Deserto, século IV, diziam que estes Batizados são “Pneumatóforos”, isto é, portador do Espírito Santo – “homem remido que passa do velho modo de ser para o novo, remido por Jesus Cristo”. (Livro “Senhor a terra está repleta do seu Espírito”, pág 115). Por isso que Paulo diz: “Acaso não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus mora em vós?”. Somos o Santuário do Senhor e Templo onde o Espírito Santo reside. Afinal como estamos tratando o Espírito que mora em nós? Como temos nos relacionados com Ele? Qual a atenção que damos ao Espírito Santo na nossa caminhada de vida? Mantemos diariamente uma comunhão com Ele, consultando e nos deixando ser conduzido por sua vontade? Precisamos conhecer mais e ter mais experiências espirituais para gerar em nós uma intimidade que nos leve a viver mais as coisas do Céu que da terra.

No Evangelho vemos Jesus muito bravo e destruindo as bancas de animais e dos cambistas por causa do zelo pela casa do Deus. Vejamos o sistema que inventaram no Templo para levarem vantagem sobre o povo. Todos que tinham algum pecado ou que se tocasse em sangue (mulher menstruada, alguém machucado onde houve um corte e alguém tocou no sangue e muitos outros casos) a pessoa ficava “impuro” e tinha que ir ao Templo para fazer um sacrifício para ser purificado, para isso precisava de um animal (pomba, rolinha, carneiro…), mas não podia levar de casa tinha que comprar lá no Templo, pois era animal preparado pra isso, mas o dinheiro que usava no dia-a-dia não servia, pois tinha que ser dinheiro sagrado, então tinha que chegar ao Templo “cambiar” (trocar) seu dinheiro pelo sagrado e ir comprar o animal ali mesmo no templo para depois levar para o sacrifício. Pois bem o Sacerdote realizava o sacrifício com uma parte do animal e o resto era levado pra feira para vender a carne ao povo e quem detinha todo esse processo eram “os Sacerdotes”. Então era uma forma brutal de corrupção e usando o nome de Deus.

Hoje nós somos o Templo de Deus e cada pessoa humana está envolto com a graça de Deus por isso que temos que tratar muito bem o nosso próximo e cuidar para que todos tenham casa, alimentos, escola, saúde… Pois se desprezamos nosso irmão estamos ferindo a Deus. Por isso que não podemos nos conformar com qualquer forma de abuso que prejudique o outro.

Cada uma é responsável pelo Templo de Deus que é seu irmão.“Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá”.

 

Antonio ComDeus

 

Festa Dedicação da Basílica do Latrão.

 

1ª Leitura – Ez 47,1-2.8-9.12

Vi sair água do lado direito do templo, e todos os que esta água tocou foram salvos.

 

1ª Leitura – 1Cor 3,9c-11.16-17

Vós sois o santuário de Deus.

 

Evangelho – Jo 2,13-22

Jesus estava falando do Templo do seu corpo.