Reflexão 25º Domingo Tempo Comum – 2014

alt

“Estás com inveja por que sou Bom?”

Observando a primeira leitura e com ela temos o costume de dizer que os pensamentos de Deus são diferentes dos nossos, mas vejamos que o texto fala dos ímpios, daqueles que estão apartados da graça e assim tem os pensamentos puramente humanos com visão extremamente material e chegam a serem injustos e egoístas em seus pensamentos e ações, por isso Deus os chamam a conversão. Certamente, para que os nossos pensamentos sejam iguais aos de Deus temos que viver uma vida de total intimidade no Espírito Santo, pois a misericórdia de Deus chega até nós pela nossa busca de seu amor. Se estivermos pensando coisas desagradáveis a Deus é por que falta em nós a presença do Espírito de Deus.

Neste sentido vemos São Paulo totalmente imerso em Deus ao ponto de dizer:“Cristo vai ser glorificado no meu corpo” e isto na vida ou na morte. Esta deve ser a nossa meta – permitir que a presença de Deus seja de tal forma em nós que nada mais importa, viver ou morrer, pois em tudo a glória de Deus deve ser manifestada. Certamente que não somos Paulo, mas que devemos ter um desejo e uma busca incessante de santidade e de serviço ao Reino. “Só uma coisa importa:vivei à altura do Evangelho de Cristo”.Será que já pensamos: Que santidade queremos alcançar em nossa vida? O quanto queremos estar imersos em Deus já neste mundo? Que tanto da vida espiritual queremos tomar posse, na intimidade com Deus? Veja bem! Em tudo, na vida, fazemos planos, arquitetamos passos a serem dados, criamos metas e lutamos para atingir, mesmo, muitas vezes, sem respeito aos direitos dos outros. E na fé? Na experiência de Deus? Na vida de santidade? Até onde queremos chegar? Paulo é para nós uma grande referência.

Na parábola do dono da vinha tem algumas verdades que Jesus quer deixar para a nossa caminhada. Primeiramente, é o dono da vinha que vai atrás dos trabalhadores, isto é ninguém vai a Deus é Ele quem busca cada um para fazer parte de seu Reino. Outra coisa que busca trabalhadores o dia todo não somente no inicio da jornada, assim Deus nos busca incessantemente para que estejamos em sua companhia e no serviço do Reino. E o salário é o mesmo para todos – A Salvação. Agora! Por que o dono da vinha começa a pagar dos últimos para os primeiros? Será que quer provocar os primeiros? Será que esta atitude é injusta por parte deste senhor? Vejamos. Imaginem uma pessoa que possui uma família e está o dia inteiro sem trabalhar, esperando que alguém o contrate para que possa levar alimento para casa e o dia já está terminando e o trabalho não chega e a família irá ficar sem alimento. Imagine o sofrimento deste trabalhador que não tem dignidade e é mal visto pela sociedade, pois não consegue dar aos seus filhos o mínimo de sustento. Certamente que passa pelo sofrimento o dia inteiro.

E mesmo depois de contratado fica pensando que trabalhou uma hora somente, fica imaginando que receberá o salário de um dia dividido por oito e que isto não será suficiente para alimentar seus filhos. O Senhor da vinha quer tirar o sofrimento daquele homem e recompensá-lo pelo peso que experimentou naquele dia. Ao passo que aquele que trabalhou o dia todo estava protegido pelo dono da vinha, garantido seu salário do dia e se beneficiou das estruturas que a vinha lhe oferecia – dignidade, comida, bem visto pela sociedade, um trabalhador de respeito – e ainda não passou pelo sofrimento da ausência de trabalho e não ficou o dia sem comer. Vemos que o Senhor da vinha é justo e muito mais ainda – é misericordioso, sabe recompensar a cada um, não pelo trabalho executado, mas pelo sofrimento, pela angustia, pelos maus tratos recebidos durante a vida e que apesar de tudo não perdeu a esperança de ser alcançado por uma graça, por pequena que seja, para que, nesta oportunidade pudesse agarrar o pouco que a vida lhe ofereceu e fazer disso o tudo que sempre desejou.

Nosso Senhor não olha pelas realizações dos trabalhos de nossas mãos, mas pela luta de permanecer com Ele, mesmo que cheguemos à última hora. O que importa é fazer com Ele e não para Ele. Muitos se cansam dos trabalhos na igreja ou se acham que são melhores e maiores que outros é que lhes falta a Vida no Espírito, sem a intimidade com o Espírito Santo distanciamos de Deus e ficamos legalistas, cumpridores de leis, Fariseus e neste sentido diremos: “tu os igualaste a nós, que suportamos o cansaço e o calor o dia inteiro”. Afinal! Faz tantos anos que dou minha vida aqui nesta comunidade?

Cuidado pra não ouvir do Senhor: “estás com inveja, porque estou sendo bom?”.

 

Antonio ComDeus

 

25º Domingo Tempo Comum 

  

1ª Leitura – Is 55,6-9

Meus pensamentos não são como os vossos pensamentos.

 

Salmo – Sl 144,2-3.8-9.17-18 (R. 18a)

R. O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

 

2ª Leitura – Fl 1,20c-24.27a

Para mim, o viver é Cristo.

 

Evangelho – Mt 20,1-16a

Estás com inveja porque eu estou sendo bom?