Reflexão 22º Domingo Tempo Comum – 2014

alt

O que temos feito para conquistar o Céu?

Você já se perguntou – Por que Deus me criou? Qual foi Seu propósito? Será que viemos no mundo apenas como mais um e que estamos aqui para trabalhar, passar por dificuldades, enfrentar problemas, lutar para sobreviver, fazer um monte de coisas que não queríamos fazer e depois morrer. Puxa! Que vida horrível. Nem vale a pena viver, se assim for. Mas nossa existência não é uma consequência natural fruto de uma bola que gira e as coisas acontecem independentes de quem a impulsiona. Fomos desejados por Deus desde toda eternidade para estarmos no aqui e agora de nosso tempo e para realizar uma missão. Todos nós temos uma missão a realizar neste mundo. Já descobriu a sua? Você sabe qual é a sua missão? Fique sabendo que é o que você faz e é a vida que você tem, mas talvez precise de alguns ajustes de rota. Só realizaremos verdadeiramente nossa missão se estivermos conduzidos pelo Espírito Santo e para isso precisamos estar mergulhados em uma vida de oração.

Veja bem. Jeremias, um profeta da desgraça, que só proferia Palavras de destruição por causa da perdição do povo e, cansado de tanta perseguição, se cansa e tenta desistir de sua missão, mas Deus veio em seu socorro – Senti, então, dentro de mim um fogo ardente a penetrar-me o corpo todo: desfaleci, sem forças para suportar”. Imagine o que é desfalecer sem forças para suportar a grandeza do amor de Deus, que experiência! Devemos desejar uma experiência profunda com Deus ao ponto de desmaiar, desfalecer no amor. Por isso que a segunda leitura nos falar de renovar toda nossa vida constantemente em Deus a “vos oferecerdes em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus: Este é o vosso culto espiritual”. Nosso culto é colocar toda a nossa vida nas mãos do Senhor e segui-lo pelos caminhos da vida realizando sua vontade cumprindo nossa missão. Afinal foi Ele quem nos deu a missão e somente n’Ele que saberemos o que temos que fazer.

Mas temos que tomar consciência que não estamos prontos e que não chegamos ao tudo que devemos ser, portanto necessitamos de caminharmos, irmos ao encontro do novo de Deus em mim, precisamos sair do comodismo de nossas vidas e buscar o que o Espírito deseja de nós, para isso precisamos de mais vida de oração. Quantas vezes que temos uma relação com Deus apenas para atender nossas necessidades. Veja bem nossa vida em Deus é de crescimento, não podemos ficar eternamente crianças espirituais saboreando um “leitinho” de graças para atender nossas mazelas, precisamos crescer, assumir nossa missão, ser maduros na fé, buscar uma santidade mais autêntica. “Não vos conformeis com o mundo, mas transformai-vos, renovando vossa maneira de pensar e de julgar,para que possais distinguir o que é da vontade de Deus, isto é, o que é bom, o que lhe agrada,o que é perfeito”. Nossa vida tem muitas fases e de forma natural nosso corpo vai naturalmente passando pelas fases da vida por que alimentamos e damos ao corpo todas as condições para que desempenhe seu papel (naturalmente é isso que fazemos), mas e nossa Alma? Esta é espiritual e precisa de crescimento e quando não a alimentamos fica fraca e raquítica, é o que acontece com muitas pessoas que são adultas de alma raquítica.

A grande pergunta de Jesus no Evangelho – O que poderá alguém dar em troca de sua vida? Ou nos conformamos à vontade de Deus ou seremos os mais infelizes dos homens. Pedro fala com Jesus como um homem e não como um discípulo, mas a ele damos um desconto, pois ainda não recebera o Espírito Santo, mas e para nós? Vamos continuar falando como homens em nossas vidas? Vamos continuar pensando como homens que não sabem distinguir a vida no mundo da vida eterna? Vamos nos deixar conduzir por essa sociedade consumista, hedonista, materialista, egoísta que busca seus interesses próprios tentando “levar vantagens sobre os outros” produzindo uma selvageria, na busca do ter, ao passo que nada disso irá servir para o encontro definitivo com o Criador? Puxa! Como os racionais são irracionais. Corrompem suas razões nas razões destrutivas de suas próprias razões por que nenhuma razão pode ser mais absurda que fugir daquele que O ama e simplesmente quer que experimente as maravilhas de ser amado.

Feliz quem descobre que buscar a Deus em primeiro lugar vale mais que todos os reinos da terra, afinal TUDO É D’ELE.

Antonio ComDeus

 

22º DOMINGO Tempo Comum 

1ª Leitura – Jr 20,7-9

A palavra do Senhor tornou-se para mim fonte de vergonha.

Salmo – Sl 62,2.3-4.5-6.8-9 (R. 2b)

R. A minh’alma tem sede de vós, como a terra sedenta, ó meu Deus!

2ª Leitura – Rm 12, 1-2

Oferecei-vos em sacrifício vivo.

Evangelho – Mt 16,21-27

Se alguém quer me seguir renuncie-se a si mesmo.