Reflexão 21º Domingo Tempo Comum – 2014

alt

Reflexão Dominical – Nossa vocação é ser Católico.

Somos convidados neste final de semana a refletir sobre a Igreja, sim sobre a Igreja, pois falar de Pedro e de sua vocação é falar da Igreja que Cristo instituiu neste mundo. Certamente que o Pai desde toda eternidade quis criar um povo que o conhecesse e o servisse e toda a criação foi feita para que os homens, criados a imagem e semelhança, pudessem livremente comungar das coisas do alto, mas o pecado impediu que houvesse esta comunhão, mas nem por isso Deus desistiu de nós. Certo dia chamou um homem, se revelou a ele mostrando que toda criação foi realizada por um Deus, somente um, o criador de todas as coisas, este homem acreditou naquela revelação e caminhou em sua fé e Deus o constituiu pai de um povo – o povo de Deus. Aqui já nasce a Igreja. A palavra Igreja vem de Ekklésia que quer dizer: Chamar de fora, convocação. Pois bem é somente Deus que convoca a cada pessoa a participar de “sua” Igreja. Assim fez com Abraão e com sua descendência.

Em todo Antigo testamento Deus dirigiu seu povo dando leis, normas, forma de culto, levantando profetas conforme sua vontade. “O Pai eterno, por libérrimo e arcano desígnio de sua sabedoria e bondade, criou todo o universo; decidiu elevar os homens à comunhão da vida divina”. (CEC 759).É sempre Deus, com sua iniciativa, que vem aos homens falar e fazer o que Ele quer. Nunca a iniciativa é dos homens. Quando o Verbo se encarna, também vai criar o seu povo, á partir de uma nova aliança, convoca os que ele quis, ensina, fortalece, institui, dá normas, reveste de graças, dá-lhes poder e envia a formar Seu povo derramando o Espírito Santo sobre eles para que façam a obra que o Mestre começou. Ninguém pode dar a si mesmo o mandato e a missão de anunciar o Evangelho. O enviado do Senhor fala e age não por autoridade própria, mas em virtude da autoridade de Cristo; não como membro da comunidade, mas falando a ela em nome de Cristo. Ninguém pode conferir a si mesmo a graça; ela precisa ser dada e oferecida. Isto supõe ministros da graça autorizados e habilitados da parte de Cristo”. (CEC 875).

Jesus criou sua Igreja na pessoa dos Apóstolos tendo Pedro como chefe, importante verificarmos que a autoridade de Pedro nunca foi questionada pela comunidade nascente e nem mesmo por Paulo que era muito mais estudado, melhor formado e que constituiu muitas comunidades, em todas as cartas nem por um instante é questionada o papel de Pedro, isto quer dizer que ficou muito claro o que Jesus realizou entre eles. Outro aspecto importantíssimo é que a, hierarquia da Igreja, como temos hoje, não foi criada mais tarde como muitos falam. Já vemos nas cartas do Novo Testamento todos os graus da hierarquia – Diáconos, Presbíteros e Bispos – Isto foi criado no período apostólico foi uma necessidade. A Igreja tem dois aspectos muito claros: Primeiro é o aspecto invisível – a Graça – Esta é o que movimenta a Igreja pela força do Espírito Santo onde “as portas do inferno não prevalecerão sobre ela” uma promessa de Jesus que garante toda a assistência do Espírito a Igreja. Segunda é a hierarquia que sob o poder do Espírito é dirigida por mãos de homens, que mesmo sendo pecadores e passíveis de erros o Espírito Santo garante a existência desta Igreja e a conduz pelas sendas da história a mantendo intacta, perfeita e sem ruga.

Muito se fala, hoje, do termo igreja e realmente está muito deteriorado, pois os homens criaram tantas e deturparam o que de mais sublime Deus deixou no mundo a Sua Igreja. Certamente que é uma ação do inimigo que confunde as pessoas e prostituem o nome da Instituição onde Deus convoca seu povo. E fazem igrejas, colocam seus meios, criam suas normas e são verdadeiros idolatras usando o nome do Senhor. É desprezível o que fazem com o Nome do Senhor.

Veja bem, nesta Igreja instituída pelo Senhor só fazemos o que Ele mandou fazer. Toda nossa doutrina é calcada na obediência ao Senhor do jeito que Ele mandou, não temos uma doutrina para agradar aos homens e sim a Deus e todos os que o querem seguir tem que andar por estes trilhos de fé, por isso que em qualquer lugar do mundo onde existir uma Igreja Católica se professa a mesma fé, o mesmo culto mostrando, assim a unidade da Igreja e a fidelidade ao mandato do Senhor. Não temos uma fé moldada aos interesses dos homens para massagear suas consciências aceitando qualquer regra e normas como se a igreja fosse dos homens para Deus. A Igreja é Deus que vem aos homens para levá-los a comunhão com Ele.

Por isso que hoje olhamos para o Papa, sucessor autêntico de Pedro e esta autenticidade esta na sucessão ininterrupta de Pedro até Francisco. Quem está nesta Igreja está na casa do Pai, é verdadeiramente filho, herdeiro e tem plenamente o Reino, por que é Jesus que faz seu Reino acontecer no meio dos homens. Assim ser Católico é vocação, sim é um chamado e é Deus quem chama, que bom que Ele te chamou a ser Católico e estar em Sua Igreja conhecer toda a verdade e participar da mesa Eucarística. Se você é de família católica é muito bom, então Deus chamou toda a sua família a estar em Sua Igreja.

Vamos nos colocar na evangelização para mostrar aos outros a verdadeira Igreja de Jesus.

Antonio ComDeus

 

21º DOMINGO Tempo Comum 

  

1ª Leitura – Is 22,19-23

Eu o farei portar aos ombros a chave da casa de Davi.

 

Salmo – Sl 137,1-2a.2bc-3.6.8bc (R. 8bc)

R. Ó Senhor, vossa bondade é para sempre! completai em mim a obra começada!


2ª Leitura – Rm 11,33-36

Tudo é dele, por ele, e para ele.

 

Evangelho – Mt 16,13-20

Tu és Pedro e eu te darei as chaves do Reino dos céus.