Reflexão 17º Domingo Tempo Comum – 2014

altCoisas novas e velhas do tesouro da vida.

“E aqueles que Deus predestinou, também os chamou. E aos que chamou também os tornou justos; e aos que tornou justos, também os glorificou”. O que é predestinação? Muitas pessoas falam que existe destino. Destino é o oposto da predestinação. Vejamos: destino é algo já pré-estabelecido que irá acontecer em nossa vida, pois já está destinado e isso irá acontecer queira ou não. Bem, se existe destino então não existe liberdade e também não existe mérito ou culpa. Se tudo já “está escrito”, então somos apenas marionetes nas mãos do criador, o que é absurdo. Mas, Jesus nos fala de predestinação e o Catecismo nos ajuda a entender: Para Deus, todos os momentos do tempo estão presentes em sua atualidade. Ele estabelece, portanto, seu projeto eterno de “predestinação” incluindo nele a resposta livre de cada homem à sua graça”. (CEC 600) (grifo nosso). 

Veja bem, para Deus tudo – início e fim – é um ato só, por isso que disse a Moisés – “Eu sou aquele que sou” – Desta forma Deus determinou em seu plano que nós participaríamos, com nossos atos livres, e construiríamos juntos com Ele à medida que fizéssemos as opções livres em nossas vidas. Assim construímos junto com Ele o Reino, somos membros ativos em seu projeto, e não passivos, estamos interagindo com Ele e com os irmãos construindo (ou destruindo) o mundo ao qual Ele nos deu para que pudéssemos adorá-lo e servi-lo, ativamente como parceiros de trabalho na construção de um mundo melhor. Mas não estamos sozinhos, isto é, deixados no mundo e agora Deus está longe e virá no final dos tempos para “ver o que sobrou”, por isso que o texto diz: que chamou, justificou (salvou) e glorificou. Portanto está junto conosco, mais ainda, está dentro de nós para que nossos atos também sejam seus.

Se formos espertos iremos pedir, como Salomão: Sabedoria, discernimento, coração capaz de amar. Pois o mundo depende de mim e também de você. Somos responsáveis pelo caminho que o mundo toma a cada dia. Estaremos sempre, no jogo da vida, ou no time A ou no B, certamente que muitos querem ficar nas arquibancadas da vida, mas esta posição não pertence a nós, simples mortais. Temos que escolher onde queremos estar, em qual time e assim, já definimos nossa sorte. Por isso que o Reino de Deus é como alguém que encontrou um tesouro, infelizmente nem todos conseguem encontrar e muitos são enganados adquirindo “ouro de tolo” entregam suas vidas nas mãos de homens que com boas palavras os levam para uma vertigem declinação, esperando um céu, fruto de suas ambições, e encontram a destruição total. Por isso que o Reino dos Céus é semelhante a uma rede lançada ao mar que encontra peixes de todos os tipos, bons e maus. Peçamos a Deus os Dons do Espírito Santo para que possamos saber direcionar os nossos atos, que eles sejam impulsionados pelo Espírito de Deus, somente assim saberemos tirar “coisas novas e velhas” do tesouro da vida.

Fomos criados para sermos felizes e esta está sempre a nossa frente, somente nossas opções irá certificar qual tipo de felicidade estamos buscando, a de Deus felicidade plena de amor que nos leva a Glória eterna ou a “felicidade” que o mundo oferece que na verdade é hedonismo que leva para o suplício eterno. “… fornalha de fogo. E ai, haverá choro e ranger de dentes”. E tem muita gente que diz que o inferno não existe ou que está vazio. Ignorantes! Não entendes a Escritura? Ou é Lobo com pelo de Cordeiro. Temos que ter sabedoria e estudar muito a revelação, conforme o Magistério, pois tem muitos lobos muito perto de nós.

“Senhor, nos dê o Espírito Santo para sabermos tirar coisas novas e velhas dos tesouros da vida”.

 

Antonio ComDeus

 

 

17º Domingo Tempo Comum 2014

 

1ª Leitura – 1Rs 3, 5.-712

Pediste-me sabedoria.

 

Salmo – Sl118,57.72.76-77.127-128.129-130 (R.97a)

R. Como eu amo, Senhor, a vossa lei, vossa palavra!

2ª Leitura – Rm 8,28-30

Ele nos predestinou para sermos conformes à imagem de seu Filho.

 

Evangelho – Mt 13,44-52

Ele vende todos os seus bens e compra aquele campo.