Reflexão 26º Domingo do Tempo Comum 2013

altTemos três leituras, neste final de semana, que nos dá ótimas reflexões. Nossa liturgia é rica e cheia de mensagens que nos leva a refletir com tranquilidade na Palavra do Senhor. Toda a Sagrada Escritura é alimento para a nossa vida.

Na primeira leitura vemos Amós, um profeta, que trás ao povo palavras fortes em vista de suas ações pecaminosas. Ele profetiza no reino do Norte – Reino de Israel – Este reino está vivendo tempo de abundância e fazendo mais pobres pelas ações dos ricos, eles criaram vários templos o que era contrária a vontade de Deus e colocaram ídolos para ser adorado, Amós chama os poucos que ficaram fiéis ao Deus verdadeiro de “O Resto de José”. Em sua profecia fala sobre o castigo que receberão estes idólatras, o que aconteceu pouco tempo depois, com a invasão da Assíria e a destruição do povo do norte – Israel.

Olhando para esse fato devemos perguntar quais os ídolos que estão em nossas vidas e que tomam o lugar de Deus? Será que lutamos mais para “ganhar” a vida na aquisição dos bens? Será que lutamos em nosso dia, mais pelos bens materiais que os espirituais? Será que tratamos Deus como àquele que nos serve em nossas necessidades e não importamos de ser um com Ele no amor?

 

São Paulo nos coloca: “Combate o bom combate da fé, conquista a vida eterna”. Que combate nós estamos travando com nossos pecados, com nossos limites de amar o próximo? Muitas vezes nossas vidas estão mais cheias de ídolos que imaginamos, um deles é a si mesmo. Veja nosso Corpo. Estamos no tempo da idolatria do corpo, é academia, remédios, alimentos balanceados, energéticos… Tudo em prol do “culto do corpo”. E assim podemos ver: atores, cantores, místicos e principalmente o Dinheiro, não tem nada no mundo que seja mais idolatrado que o dinheiro ao ponto de Jesus dizer: “Não se pode servir a Deus e ao dinheiro”. Por isso Paulo fala a Timóteo e agora a nós: “guarda o teu mandato íntegro e sem mancha até à manifestação gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo”.

 

Assim vemos no Evangelho uma parábola com muitas verdades proclamada pelo Senhor. Primeiramente é um rico soberbo e idolatra do dinheiro e um pobre que sofre na miséria sem a compaixão dos que poderia ajudá-lo. Mas com a morte cada um segue imediatamente seu caminho de sorte. Importante imediatamente após a morte já se tem um julgamento, pois a família do rico ainda está na terra, então temos um juízo particular, o juízo final vem em outra ocasião. Lázaro está no coração de Abraão, por que Jesus ainda não salvou a humanidade e os bons ainda não podem entrar no reino dos Céus e estão na “mansão dos mortos”, ao passo que o rico já está em sua morada final, local de sofrimento eterno. Nesta condição em que se encontram – Lázaro no seio de Abraão e o rico no inferno – um pode ver o outro e o rico vê a felicidade de Lázaro, mesmo que ainda não esteja no Céu, e deseja um pouco de refrigério, mas isto é impossível: “há um grande abismo entre nós: por mais que alguém desejasse, não poderia passar daqui para junto de vós, e nem os daí poderiam atravessar até nós”. Então o rico pede que Lázaro vá até a sua família, aparentemente, parece que o rico ficou bonzinho, mas na verdade ele quer evitar mais sofrimento, pois se algum de sua família viesse para o lugar em que se encontra iria odiá-lo ainda mais e seu sofrimento seria maior. A resposta de Abraão é muito importante: “Eles têm Moisés e os Profetas, que os escutem!… Se não escutam a Moisés, nem aos Profetas, eles não acreditarão, mesmo que alguém ressuscite dos mortos”. Aos que estão na terra tem a Igreja e a Palavra do Senhor, ai está nosso caminho de vida eterna, sigamos sem parar e sem duvidar.

 

O Senhor é tudo para nós. Combata um bom combate não deixe o tempo passar e ficar olhando para os ídolos deste mundo. Conquiste o Céu, lute dia e noite sem parar. Somente quem chegar ao final, perseverando, será salvo.

 

 

 

Antonio ComDeus

 



 

26º DOMINGO Tempo Comum

 

1ª Leitura – Am 6,1a.4-7

 Agora o bando dos gozadores será desfeito.

 

Salmo – Sl 145,7.8-9a.9bc-10 (R.1)

 R. Bendize, minh’ alma, bendize ao Senhor!

 

2ª Leitura – 1Tm 6,11-16

Guarda o teu mandato até à manifestação gloriosa do Senhor.

 

Evangelho – Lc 16,19-31

Tu recebeste teus bens durante a vida e Lázaro os males; agora ele encontra aqui consolo e tu és atormentado.