Reflexão 19º Domingo do Tempo Comum 2013

alt

Estamos celebrando neste final de semana a Família e também o dia dos Pais. O Pai como chefe da Família que Deus o constituiu, dando, a cada um, uma responsabilidade na formação da Família como célula da sociedade, onde o Seu povo pudesse crescer e edificar o mundo segundo seu plano de vida para a humanidade. Infelizmente a sociedade tenta descaracterizar os planos de Deus deformando a família usando do aspecto mais rico dos planos de Deus, que quis dar ao ser humano o poder de gerar e perpetuar sua espécie, algo que não deu aos Anjos.

E que o inimigo de Deus tenta a todo custo destruir, por isso a família sempre foi alvo do Demônio em todos os tempos, sempre vemos os ataques na família e nestes últimos tempos esse ataque cresce e a adesão de grupos sociais aumenta pelo fato do mundo estar distanciando de Deus na busca de uma sociedade hedonista, relativista em que o homem busca sua própria ascensão no egoísmo, no orgulho, no individualismo distanciando de Deus. Hoje falar de fé é como apresentar um absurdo para a sociedade que busca na matéria a resposta para sua vida e mesmo quando fala de Deus é um deus que está favorecendo a vida material e não consegue perceber a transcendência como ideal a ser conquistado. A fé chegar ao ponto de ser absurdo proposto por pessoas que não tem consciência do que seja a vida, pois para estes viver é possuir os bens deste mundo e que somente os espertos conseguem ascender na sociedade.

 

Mas temos que mudar essa situação, afinal, somos pessoas de fé, recebemos de Deus este dom e aderimos a ele, assim temos que refletir muito naquilo que falta ao mundo e mostrar a sociedade que a fé é a razão do bem viver. Muitas vezes vemos a definição de fé como: “Crer naquilo que não se vê”, mas podemos mudar essa definição: “Fé é crer naquilo que se vê”, pois somente a pessoa de fé vê aquilo que os que não têm fé não vêem. Crer é ver, é sentir, é ter uma certeza que isso deve ser feito, é algo que brota no coração e que somente a pessoa sabe que esta é a certeza do que deve fazer. Abraão acreditou, porque ele viu, sentiu o chamado e a certeza estava em seu coração, não tinha a visão material, mas a visão espiritual e foi, e à medida que caminhava a visão espiritual tomava forma. É o espírito de Deus que nos convence, e no coração a pessoa sabe, que aquilo que ela não entende, é Deus que a impulsiona e a certeza, na fé, é visão de caminho. Deus sempre vai exigir de nós a fé, não porque não vemos, mas porque vemos o que os outros não vêem. Sempre digo, em nossa comunidade, que “fé é por o pé sabendo que Deus põe o chão”, mas é por o pé porque estamos vendo que é hora de colocá-lo, não é apenas se arriscar no sentido de “vamos ver se vai dar certo”, isso seria infantilidade, é brincar com Deus, mas, para a pessoa de fé, é a certeza do que se deve ser feito por que está vendo espiritualmente que é assim que se deve proceder. Mas como somos humanos queremos ver, com os olhos e pegar com as mãos. Pra isso não precisa de fé. A fé além de exigir a certeza ela exige a paciência, sabemos em quem colocamos nossa fé, assim a pessoa caminha na fé com “aquele” em quem depositou a fé e a vida e nesta comunhão deve-se manter firme para não vacilar. A fé nos mantém em prontidão por que conhecemos a quem servimos e sabemos que Ele confiou a nós tarefa a ser cumprida e que voltará para que prestemos conta de todo o nosso trabalho. Isso não é para que fiquemos temerosos de prestar as contas, mas de termos a alegria de realizar esta prestação dando ao Nosso Senhor bons resultados de nosso trabalho, mesmo que nossas mãos estejam vazias, mas que estejam cheia de calos de um trabalho intenso de alguém que lutou a vida toda buscando realizar a vontade de Seu Senhor. E não é difícil saber o que Ele deseja: “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei”. Ame a faça o que quiseres dizia Santo Agostinho.

 

Antonio ComDeus

 


 

 

19º DOMINGO Tempo Comum

 

1ª Leitura – Sb 18,6-9

 

Aquilo com que puniste nossos adversários, serviu também para glorificar-nos.

 

Salmo – Sl 32,1.12.18-19.20.22 (R.12b)

 

R.Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!

 

1ª Leitura – Hb 11,1-2.8-19

 

Esperava a cidade que tem Deus mesmo por arquiteto e construtor.

 

Evangelho – Lc 12,32-48

Vós também ficai preparados!