Festa do Batismo do Senhor

alt

Com a festa do Batismo de Jesus terminamos o tempo do Natal, tempo de alegria e esperança. Deus se faz presente em nosso meio assumindo nossa natureza humana e nos elevando a uma condição da qual não somos dignos tudo isso por amor, como é difícil entender o amor de Deus que em sua onipotência nos cria a sua imagem e semelhança nos dá o mundo material como presente e mesmo o homem negando tudo isso Ele ainda envia seu único filho para nos tirar do corredor da morte eterna assumindo nossa humanidade e sendo um, como nós, nos resgatar para a vida verdadeira em Deus.

Isso tudo não é motivo de alegria? Ter o Deus em nosso meio com a nossa cara e viver como nós sem privilégio nenhum? Certamente o Amor de Deus é incompreensível. Mas pode ser experimentado, vivido, saboreado e isto é o mais importante, talvez nunca iremos entender a grandeza deste amor, mas somos capacitados pelo próprio Deus a mergulhar neste amor e conhecer a Deus da forma mais agradável – amar com seu amor.

Deus já no Antigo testamento expõe o que virá: “Eis o meu servo – eu o recebo; eis o meu eleito – nele se compraz minh’alma; pus meu espírito sobre ele, ele promoverá o julgamento das nações”. É Ele – Jesus – que nasce na simplicidade de uma manjedoura que vive uma vida simples e anônima de forma que ninguém percebe quem é o “filho do carpinteiro”, mas que ao chegar ao Jordão onde João batizava, se apresenta como uma pessoa comum, mas neste momento o Pai se manifesta e acontece uma teofânia, a Trindade se faz presente, se ouve a voz de Deus e o Espírito Santo unge Jesus a missão. Mas porque isso aconteceu? Era necessário Deus agir assim? Certamente que não, bastasse Deus querer e tudo estaria em seu lugar. Mas Deus quer salvar o homem a partir do homem. Por isso a encarnação do verbo, por isso a manifestação no Batismo. Imaginem você no Jordão naquele momento em que Jesus é batizado e poder ouvir a voz do Pai. Seria algo fantástico, maravilhoso, inebriante, seria… Não tenho palavras para descrever a grandeza da felicidade.

Mas Jesus foi batizado de forma que, como nos dizem os Santos Padres, Ele santificou a água da qual nós seriamos batizados. E hoje recebemos o mesmo batismo. Somos banhados na água, recebemos o Espírito Santo, apaga em nós o pecado original e todos os pecados cometidos e nos tornamos filhos de Deus. Nós hoje somos filhos no Filho, fazemos parte de Seu corpo então somos um com Ele na Trindade, assim como o Pai está todo no Filho e o Espírito Santo está todo no Pai e no Filho nós estamos totalmente na Trindade.

Mas o que falta? Por que não ouvimos a voz do Pai? Por que nossos atos ainda não correspondem aos atos de um filho de Deus? Por que fomos ungidos no Batismo e nossa vida não representa a de um santo? Somos concupiscentes, isto é, temos a tendência para o pecado, nos degradamos pelos vícios e não formamos em nós o filho que deveríamos formar.

Olhando para o Batismo de Jesus compreendemos o quanto devemos lutar para manter a luz de nosso batismo acesa. Se somos batizados pelo mesmo batismo de Jesus então deveria manifestar em nós as mesmas obras que manifestaram em Jesus. Isto nos leva a refletir – O que estamos deixando de fazer? Qual é a nossa luta diária para mantermos na santidade? O quanto temos lutado com nossos vícios, costumes errados, o quanto temos nos empenhados na oração pessoal? Quanto tempo tiramos de nosso dia para conversar com Deus na intimidade? Na verdade temos uma necessidade que Deus nos atenda, e não uma comunhão de amor com Ele.

“Veja, caro irmão, não amar a Deus provém da insuficiência da fé, e a causa desta insuficiência é a recusa em estudar a ciência verdadeira e sagrada, a indiferença para com as luzes da alma. Em uma palavra, se você não tem fé, você não pode amar; se você não estiver convencido, você não pode amar, e para chegar à convicção é preciso um completo e exato conhecimento do problema. Pela meditação, pelo estudo da Palavra de Deus e pela observação de suas próprias experiências, você despertará em sua alma uma sede e uma impaciência, ou, como alguns o chamam, uma “perplexidade” que leva ao insaciável desejo de ver as coisas mais de perto e mais completamente, a fim de penetrar mais profundamente em sua natureza”. (relatos inéditos do Peregrino Russo).

Oremos: “Ó Deus, tornai-me capaz de vos amar hoje tanto quanto no passado amei os meus pecados”.

Antonio ComDeus


Leitura – Is 42,1-4.6-7
Leitura do Livro do Profeta Isaías 42,1-4.6-7
Salmo – Sl 28,1a.2.3ac-4.3b.9b-10 (R.11b)
1aFilhos de Deus, tributai ao Senhor,*
3bSua voz no trovão reboando!*
2ª Leitura – At 10,34-38
Leitura dos Atos dos Apóstolos 10,34-38
Evangelho – Lc 3,15-16.21-22
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 3,15-16.21-22
Naquele tempo:
Palavra da Salvação.

 

Eis o meu servo: nele se compraz minh’alma.

Assim fala o Senhor:

1’Eis o meu servo – eu o recebo;

eis o meu eleito – nele se compraz minh’alma;

pus meu espírito sobre ele,

ele promoverá o julgamento das nações.

2Ele não clama nem levanta a voz,

nem se faz ouvir pelas ruas.

3Não quebra uma cana rachada

nem apaga um pavio que ainda fumega;

mas promoverá o julgamento para obter a verdade.

4Não esmorecerá nem se deixará abater,

enquanto não estabelecer a justiça na terra;

os países distantes esperam seus ensinamentos.’

6’Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te

tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o

centro de aliança do povo, luz das nações,

7para abrires os olhos dos cegos, tirar os cativos da

prisão, livrar do cárcere os que vivem nas trevas.

Palavra do Senhor.

R. Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!

tributai-lhe a glória e o poder!

2Dai-lhe a glória devida ao seu nome;*

adorai-o com santo ornamento! R.

 

3aEis a voz do Senhor sobre as águas,*

3csua voz sobre as águas imensas!

4Eis a voz do Senhor com poder!*

Eis a voz do Senhor majestosa. R.

 

9bNo seu templo os fiéis bradam: ‘Glória!’

10É o Senhor que domina os dilúvios,*

 Senhor reinará para sempre! R.

 

Foi ungido por Deus com o Espírito Santo.

Naqueles dias,

34Pedro tomou a palavra e disse:

‘De fato, estou compreendendo

que Deus não faz distinção entre as pessoas.

35Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça,

qualquer que seja a nação a que pertença.

36Deus enviou sua palavra aos israelitas

e lhes anunciou a Boa-Nova da paz,

por meio de Jesus Cristo, que é o Senhor de todos.

37Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judéia,

a começar pela Galiléia, depois do batismo

pregado por João:

38como Jesus de Nazaré foi ungido por Deus

com o Espírito Santo e com poder.

Ele andou por toda a parte, fazendo o bem e curando

a todos os que estavam dominados pelo demônio;

porque Deus estava com ele.

Palavra do Senhor.

 

 

Jesus recebeu o batismo.

E, enquanto rezava, o céu se abriu.

15O povo estava na expectativa

e todos se perguntavam no seu íntimo

se João não seria o Messias.

16Por isso, João declarou a todos:

‘Eu vos batizo com água,

mas virá aquele que é mais forte do que eu.

Eu não sou digno de desamarrar

a correia de suas sandálias.

Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo.

21Quando todo o povo estava sendo batizado,

Jesus também recebeu o batismo.

E, enquanto rezava, o céu se abriu

22e o Espírito Santo desceu sobre Jesus

em forma visível, como pomba.

E do céu veio uma voz:

‘Tu és o meu Filho amado,

em ti ponho o meu bem-querer.’