Reflexão 4º Domingo do Advento

alt

Deus desde toda eternidade já havia determinado em seu projeto de criação do ser humano a sua imagem e semelhança e que agiria na pessoa humana com a sua participação e faria do ser humano um parceiro na construção de seu Reino. Neste caminhar, Deus vai se manifestando ao povo de sua criação á medida que o homem está capacitado a reconhecê-lo. Neste caminho o qual chamamos de “economia da salvação” (processo de salvação) nada escapa das mãos do criador que há seu tempo fala aos homens e os direciona mesmo e também contando com seus erros e pecados. Deus dirige e governa o universo conforme sua vontade para atingir seus objetivos e a pessoa humana em seus atos livres participa de forma positiva ou negativa, mas sempre participa, pois nada escapa do conhecimento de Deus. 

Desta forma vemos o profeta Isaias dizendo: “aquele que dominará em Israel; sua origem vem de tempos remotos, desde os dias da eternidade. Isto é tudo está em ato no coração de Deus e acontece à medida que Ele assim determinar.

Isto é bom, podemos colocar toda nossa confiança em Deus, pois tudo será conforme sua vontade e não é o ser humano ou o demônio que determinará o rumo da humanidade. Por isso que, ao celebrar este tempo do advento temos que nos preparar, em Deus, a espera de sua promessa: “Tu não quiseste vítima nem oferenda, mas formaste-me um corpo”. “Por isso eu disse: Eis que eu venho”. Certo que desde toda eternidade o Pai já havia determinado que seu Filho viesse na carne para ser um conosco e trazer a salvação, não de forma jurídica por uma decisão do Pai de querer salvar o ser humano, mas por um gesto de amor infinito que seu filho único se tornaria um de nós, de nossa raça e como um ser humano pudesse gerar, com seu sacrifício, a salvação de toda humanidade.

Esta verdade do Pai proclamada pelos Profetas e preparada em quase dois mil anos foi culminada na anunciação do Anjo e na descida do Espírito Santo sobre Maria onde Ele fez sua morada e encarnou no ventre de Maria o Filho de Deus em nossa humanidade. Importante refletirmos que a primeira pessoa a fazer morada no meio dos homens foi o Espírito Santo na pessoa de Maria, esta concebida sem pecado pela força do mesmo Espírito, para que pudesse recebê-lo como presença na encarnação do Verbo. Maria é a portadora do Espírito Santo, nela Ele se faz presença, diferentemente no que aconteceu com os profetas onde o Espírito Santo agia como uma força que animava e revelava a vontade do Pai, em Maria não é simplesmente uma força, mas uma presença, uma vida a dois, um companheiro de caminhada, um Mestre interior. Tanto isto é verdade que se mostra de forma gloriosa no encontro de Maria com sua prima Isabel: “Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. A saudação de Maria trouxe a Isabel à força do Espírito Santo e somente pode proclamar uma profecia quem estiver com a força do Espírito: “‘Bendita és tu entre as mulheres

e bendito é o fruto do teu ventre!’ Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar?’”. Isabel faz uma profecia que Maria é bendita entre todas as mulheres, isto é nada do que aconteceu na terra até neste momento pode ser comparado a Maria, e a ela Deus disse pela boca do Anjo “Ave, cheia de graça”, isto é “Feliz é você, pois não existe graça que Eu não tenha lhe dado”. E Isabel também faz outra revelação ao chamar de: “Mãe do meu Senhor”. Este título é dado somente a Deus com isso Isabel revela quem é que está no seio de Maria, o Filho de Deus, um com o Pai – Jesus. Por isso que Maria é Mãe de Deus – Theotokos – Jesus é uma pessoa com duas naturezas, verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem.

 

Este tempo de espera deve ser para cada um de nós um tempo de reflexão nestas verdades reveladas por Deus para que possamos viver com muita intensidade os mistérios de nossa fé.

“Vem Senhor, nasça em nossos corações, faça aqui sua morada e transforme a face da terra a partir de mim o maior dos pecadores”.

 

Antonio ComDeus

 


1ª Leitura – Mq 5,1-4a

De ti há de sair àquele que dominará em Israel.

Leitura da Profecia de Miquéias 5,1-4a

Assim diz o Senhor:

1Tu, Belém de Éfrata,

pequenina entre os mil povoados de Judá,

de ti há de sair

aquele que dominará em Israel;

sua origem vem de tempos remotos,

desde os dias da eternidade.

2Deus deixará seu povo ao abandono,

até ao tempo em que uma mãe der à luz;

e o resto de seus irmãos

se voltará para os filhos de Israel.

3Ele não recuará, apascentará com a força do Senhor

e com a majestade do nome do Senhor seu Deus;

os homens viverão em paz,

pois ele agora estenderá o poder

até aos confins da terra,

4e ele mesmo será a Paz.

Palavra do Senhor.

 

Salmo – Sl 79 2ac.3b.15-16.18-19

R. Iluminai a vossa face sobre nós,

convertei-nos para que sejamos salvos!


2aAo Pastor de Israel, prestai ouvidos.

2cVós que sobre os querubins vos assentais,*

aparecei cheio de glória e esplendor!

3bDespertai vosso poder, ó nosso Deus*

e vinde logo nos trazer a salvação! R.


15Voltai-vos para nós, Deus do universo!

Olhai dos altos céus e observai.*

Visitai a vossa vinha e protegei-a!

16Foi a vossa mão direita que a plantou;*

protegei-a, e ao rebento que firmastes! R.


18Pousai a mão por sobre o vosso Protegido,*

o filho do homem que escolhestes para vós!

19E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus!*

Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! R.

 

2ª Leitura – Hb 10,5-10

Eis que eu venho para fazer a tua vontade.

Leitura da Carta aos Hebreus 10,5-10

Irmãos:
5Ao entrar no mundo, Cristo afirma:

‘Tu não quiseste vítima nem oferenda,

mas formaste-me um corpo.

6Não foram do teu agrado holocaustos

nem sacrifícios pelo pecado.

7Por isso eu disse: Eis que eu venho.

No livro está escrito a meu respeito:

Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade.’

8Depois de dizer:

‘Tu não quiseste nem te agradaram vítimas,

oferendas, holocaustos, sacrifícios pelo pecado’

– coisas oferecidas segundo a Lei –

9ele acrescenta: ‘Eu vim para fazer a tua vontade’.

Com isso, suprime o primeiro sacrifício,

para estabelecer o segundo.

10É graças a esta vontade que somos santificados

pela oferenda do corpo de Jesus Cristo,

realizada uma vez por todas.

Palavra do Senhor.

 

Evangelho – Lc 1,39-45

Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar?

 

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 1,39-45

39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa,

dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia.

40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel.

41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria,

a criança pulou no seu ventre

e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.

42Com um grande grito, exclamou:

‘Bendita és tu entre as mulheres

e bendito é o fruto do teu ventre!’

43Como posso merecer

que a mãe do meu Senhor me venha visitar?

44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos,

a criança pulou de alegria no meu ventre.

45Bem-aventurada aquela que acreditou,

porque será cumprido, o que o Senhor lhe prometeu.’

Palavra da Salvação.