Reflexão 6º Domingo da Páscoa – 2012

Neste domingo o Senhor nos dá uma ordem: “Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros”. É importante notar que o Senhor sempre propõe em suas pregações e ensino, mas neste momento Ele manda, dá uma ordem. É um imperativo de Jesus que não nos dá opção. Quem ama permanece em seu amor quem não ama nem o conhece.

Assim vemos Pedro e seus companheiros que enviados por Deus a casa de Cornélio se depara com uma situação constrangedora tanto para Pedro como para seus companheiros.

Existia entre os Judeus convertidos a Cristo um apego a lei do Antigo Testamento que os levava a pensar que todos aqueles que não eram Judeu, isto é, os gentios ou os pagãos, que para aceitar Jesus deveriam primeiro ser circuncidado e depois batizado. O Senhor enviou Pedro à casa de Cornélio, que era pagão, e quando Pedro começou a falar o Espírito Santo veio sobre “todos de sua casa” assim Pedro entendeu o recado do Senhor. “Então, Pedro tomou a palavra e disse: ‘De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas. Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença”.

Assim, na verdade, Deus estava tentando mostrar a eles que a lei do AT havia cessado em Cristo e agora não precisava mais de aplicar a circuncisão como o próprio Paulo nos fala “Antes que viesse a fé, estávamos encerrados sob a vigilância de uma lei, esperando a revelação da fé. Assim a lei se nos tornou pedagogo encarregado de levar-nos a Cristo, para sermos justificados pela fé. Mas, depois que veio a fé, já não dependemos de pedagogo, porque todos sois filhos de Deus pela fé em Jesus Cristo”. (Gal 3, 23-26). O termo “pedagogo” no pensamento da época era o escravo que levava o filho do seu senhor a escola, por isso que Paulo fala que o pedagogo, isto é todo o AT, teve a missão de levar o povo até Jesus, mas agora não precisamos mais do pedagogo, pois todos somos, pelo batismo, filhos de Deus. Temos que levar em conta que perdemos a filiação divina com o pecado e estávamos apartados de Deus somente com Cristo fomos adotados como filhos de Deus pelo batismo.

Esta experiência que Pedro passa na casa de Cornélio o leva a perceber que agora o mandamento não é mais a Lei antiga e sim o “amor”. No pensamento Judaico o que importava era a lei, mesmo que faltasse com a caridade com o próximo, como é o caso da parábola do Bom Samaritano – Os que passaram perto daquele homem, que foi assaltado, estavam sob o julgo da lei e não podiam tocar em sangue, o samaritano que não estava, teve a liberdade de ajudar o irmão necessitado – Assim como outras tantas parábolas que Jesus conta aos judeus.

Se os homens buscavam a justiça, Jesus vem nos mostrar que devemos buscar o amor. Na verdade Deus nos trata com misericórdia e sempre manifesta em nós seu amor misericordioso, agora Ele exige que sejamos portadores deste mesmo amor misericordioso para com o próximo, daí vem à ordem de Jesus. Amar como Ele nos amou, afinal “Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos”. E nos orienta “Se guardardes os meus mandamentos,
permanecereis no meu amor”
, assim temos a chave de como viver o amor ao próximo e como agradar a Deus – “guardar seus mandamentos” – isto é uma ordem, isto é, sermos testemunhas vivas de seu amor entre os homens. Amar como Ele amou. Foi humilhado, foi traído, caluniado, surrado, condenado sem ter feito nenhum mal e morto como mal feitor, todo desfigurado pelos ferimentos, somente porque amou. E nos manda a fazer o mesmo. Então crie coragem para amar a todos sem exigir que seja amado. Muitas vezes as pessoas falam que “ser humilde sim, mas humilhado não”. Como não ser humilhado, sendo que Jesus o foi e nada tinha feito de errado. Não somos mais que Jesus, portanto amar a Deus é se doar totalmente ao próximo sem esperar nada em troca.

“Amar é uma arte que somente os artífices no Espírito conseguem forjar os contornos de Deus na vida do irmão levando-o a ser imagem do criador”.

Antonio ComDeus


1ª Leitura – At 10,25-26.34-35.44-48

O dom do Espírito Santo também
foi derramado sobre os pagãos

 

Leitura dos Atos dos Apóstolos 10,25-26.34-35.44-48


25Quando Pedro estava para entrar em casa,
Cornélio saiu-lhe ao encontro,
caiu a seus pés e se prostrou.
26Mas Pedro levantou-o, dizendo:
‘Levanta-te. Eu, também, sou apenas um homem’.
34Então, Pedro tomou a palavra e disse:
‘De fato, estou compreendendo
que Deus não faz distinção entre as pessoas.
35Pelo contrário, ele aceita quem o teme
e pratica a justiça,
qualquer que seja a nação a que pertença.
44Pedro estava ainda falando,
quando o Espírito Santo desceu
sobre todos os que ouviam a palavra.
45Os fiéis de origem judaica, que tinham vindo com Pedro,
ficaram admirados de que o dom do Espírito Santo
fosse derramado também sobre os pagãos.
46Pois eles os ouviam falar e louvar a grandeza de Deus
em línguas estranhas.
Então Pedro falou:
47’Podemos, por acaso, negar a água do batismo
a estas pessoas que receberam, como nós,
o Espírito Santo?’
48E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo.
Eles pediram, então,
que Pedro ficasse alguns dias com eles.
Palavra do Senhor.

 

Salmo – Sl 97,1.2-3ab.3cd-4 (R. cf. 2b)

 

R. O Senhor fez conhecer a salvação e
revelou sua justiça às nações.

Ou:R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.

1Cantai ao Senhor Deus um canto novo,*
porque ele fez prodígios!
Sua mão e o seu braço forte e santo*
alcançaram-lhe a vitória.R.

2O Senhor fez conhecer a salvação,*
e às nações, sua justiça;
3arecordou o seu amor sempre fiel*
3bpela casa de Israel.R.

3cOs confins do universo contemplaram*
3da salvação do nosso Deus.
4Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira,*
alegrai-vos e exultai!R.

 

2ª Leitura – 1Jo 4,7-10

Deus é amor

 

Leitura da Primeira Carta de São João 4,7-10


Caríssimos:
7Amemo-nos uns aos outros,
porque o amor vem de Deus
e todo aquele que ama
nasceu de Deus e conhece Deus.
8Quem não ama, não chegou a conhecer a Deus,
pois Deus é amor.
9Foi assim que o amor de Deus se manifestou entre nós:
Deus enviou o seu Filho único ao mundo,
para que tenhamos vida por meio dele.
10Nisto consiste o amor:
não fomos nós que amamos a Deus,
mas foi ele que nos amou
e enviou o seu Filho
como vítima de reparação pelos nossos pecados.
Palavra do Senhor.

 

Evangelho – Jo 15,9-17

Ninguém tem maior amor do que
aquele que dá a vida pelos amigos

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 15,9-17


Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
9Como meu Pai me amou,
assim também eu vos amei.
Permanecei no meu amor.
10Se guardardes os meus mandamentos,
permanecereis no meu amor,
assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai
e permaneço no seu amor.
11Eu vos disse isto,
para que a minha alegria esteja em vós
e a vossa alegria seja plena.
12Este é o meu mandamento:
amai-vos uns aos outros,
assim como eu vos amei.
13Ninguém tem amor maior
do que aquele que dá sua vida pelos amigos.
14Vós sois meus amigos,
se fizerdes o que eu vos mando.
15Já não vos chamo servos,
pois o servo não sabe o que faz o seu senhor.
Eu vos chamo amigos,
porque vos dei a conhecer
tudo o que ouvi de meu Pai.
16Não fostes vós que me escolhestes,
mas fui eu que vos escolhi
e vos designei para irdes e para que produzais fruto
e o vosso fruto permaneça.
O que então pedirdes ao Pai em meu nome,
ele vo-lo concederá.
17Isto é o que vos ordeno:
amai-vos uns aos outros.
Palavra da Salvação.