Reflexão 4º Domingo da Páscoa – 2012

(Retomemos nossa reflexão semanal. Peço desculpas para aqueles que acompanham esta reflexão pela falta em algumas semanas ainda mais neste tempo tão lindo para nós, mas “a messe é grande e os operários são poucos” assim muitas vezes o trabalho dobra e a dificuldade vem. Mas vamos lá).

Neste quarto domingo ao olharmos para a ousadia de Pedro em falar publicamente e defender Jesus e proclamar Seu nome, nem parece o mesmo Pedro que dias atrás negou Jesus e correu de medo de ser assassinado como o Mestre. Mas onde está a diferença? Certamente na “experiência com o Espírito Santo”. Aqui está à chave de toda nossa vida. Muitas pessoas conhecem Jesus, tem uma vida devocional, reconhecem que Jesus é poderoso e que pode lhes dar uma vida mais “abundante”. 

Mas não passaram pela experiência do ressuscitado, pela experiência com o Espírito Santo. Isso é um grande prejuízo mesmo dentro da própria Igreja, muitos levam uma vida de comunidade calcada em tradições, em conservar o que existe como nos fala o documento 94 da CNBB No 26 – uma pastoral de mera conservação ou manutenção”. Como podemos ver existe muitos mercenários dentro das comunidades que olham as ovelhas e no momento do perigo afastam e saem correndo abandonando-as nas mãos do Lobo. Temos que entender o que é mercenário no conceito do povo no tempo de Jesus – Mercenário é o funcionário que recebe para cuidar das ovelhas, não sendo o dono este não se arrisca pelas ovelhas antes salva sua “pele” e abandona as ovelhas diante do perigo. Precisamos urgente de buscar uma experiência com o Espírito Santo, Ele é quem pode conduzir a cada um de nós e toda a Igreja a sermos testemunhas do ressuscitado, de outra forma seremos mercenários nas comunidades não se importando com o outro e olhando para o próprio EU, buscando um deus pessoal que atenda suas próprias necessidades.

Nosso mestre é Jesus e como discípulos temos que acompanhar os passos do Mestre. Ele foi ao Jordão para ser batizado e recebeu a unção do Espírito Santo para iniciar sua vida pública de pregador da Palavra, transformando a sociedade e implantando sua Igreja, agora nós também temos que passar pelas mesmas fases de Jesus, mas sem a experiência pessoal com o Espírito Santo ficaremos como Pedro e os apóstolos antes de pentecostes, fugindo e largando tudo pra traz. Pensemos! Porque nossas Paróquias, movimentos, pastorais, espiritualidades parecem uma porta giratória. As pessoas entram e depois de um tempo saem e muitos nem querem mais saber da Igreja. Por quê? Falta a Experiência com o Espírito Santo. Talvez necessitemos de uma maior formação sobre esse assunto, o difícil é quem pode nos dar tal formação. O que vemos em muitas áreas de nossas comunidades é uma apatia, pessoas que debilitadas pela vida de consumismo, preocupadas em “ter”, em dar segurança a sua vida – bem entendida como bens que garantam seu sustento por longo tempo – abandonam a missão profética de anunciar que este mundo passa e a única garantia que temos é Jesus, que Ele é nosso Salvador e com Ele nada nos falta O Senhor é meu pastor, nada me faltará. Em verdes prados ele me faz repousar. Conduz-me junto às águas refrescantes, restaura as forças de minha alma. Pelos caminhos retos ele me leva, por amor do seu nome. Ainda que eu atravesse o vale escuro, nada temerei, pois estais comigo. Vosso bordão e vosso báculo são o meu amparo”. (Sl 22, 1-4).

Quanta alegria estarmos mergulhados no amor de um Deus apaixonado que a cada dia nos prepara para uma eternidade feliz. Procuremos esta experiência, não vamos ser mercenários na messe do Senhor, mesmo que sacrifiquemos nossa vida nada perderemos afinal … porque eles não são do mundo, como também eu não sou do mundo”. (Jo 17,14).

Jesus é o Bom Pastor e nós suas ovelhas que possamos agir como tal, cheios do Espírito Santo.

 

Antonio ComDeus


1ª Leitura – At 4,8-12

Em nenhum outro há salvação

 

Leitura dos Atos dos Apóstolos 4,8-12

Naqueles dias:

8Pedro, cheio do Espírito Santo, disse:

‘Chefes do povo e anciãos:

9hoje estamos sendo interrogados

por termos feito o bem a um enfermo

e pelo modo como foi curado.

10Ficai, pois, sabendo todos vós e todo o povo de Israel:

é pelo nome de Jesus Cristo, de Nazaré,

– aquele que vós crucificastes

e que Deus ressuscitou dos mortos –

que este homem está curado, diante de vós.

11Jesus é a pedra, que vós, os construtores,

desprezastes, e que se tornou a pedra angular.

12Em nenhum outro há salvação,

pois não existe debaixo do céu outro nome dado aos

homens pelo qual possamos ser salvos’.


Palavra do Senhor.

 

Salmo – Sl 117,1.8-9.21-23.26.28cd.29 (R. 22)

 

R.A pedra que os pedreiros rejeitaram,*

tornou-se agora a pedra angular.


Ou: R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.


1Dai graças ao Senhor, porque ele é bom!

‘Eterna é a sua misericórdia!’

8É melhor buscar refúgio no Senhor,*

do que pôr no ser humano a esperança;

9é melhor buscar refúgio no Senhor,*

do que contar com os poderosos deste mundo!’R.


21Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes*

e vos tornastes para mim o Salvador!

22’A pedra que os pedreiros rejeitaram,*

tornou-se agora a pedra angular.

23Pelo Senhor é que foi feito tudo isso:*

Que maravilhas ele fez a nossos olhos!R.

 

26Bendito seja, em nome do Senhor,*

aquele que em seus átrios vai entrando!

28Vós sois meu Deus, eu vos bendigo e agradeço!*

Vós sois meu Deus, eu vos exalto com louvores!

29Dai graças ao Senhor, porque ele é bom!*

‘Eterna é a sua misericórdia!’R.

 

2ª Leitura – 1Jo 3,1-2

Veremos a Deus tal como ele é

 

Leitura da Primeira Carta de São João 3,1-2

Caríssimos:
1Vede que grande presente de amor o Pai nos deu:

de sermos chamados filhos de Deus!

E nós o somos!

Se o mundo não nos conhece,

é porque não conheceu o Pai.

2Caríssimos, desde já somos filhos de Deus,

mas nem sequer se manifestou o que seremos!

Sabemos que,

quando Jesus se manifestar,

seremos semelhantes a ele,

porque o veremos tal como ele é.

Palavra do Senhor.

 

Evangelho – Jo 10,11-18

O bom pastor dá a vida por suas ovelhas

 

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 10,11-18

Naquele tempo, disse Jesus:

11Eu sou o bom pastor.

O bom pastor dá a vida por suas ovelhas.

12O mercenário, que não é pastor

e não é dono das ovelhas,

vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e foge,

e o lobo as ataca e dispersa.

Pois ele é apenas um mercenário

e não se importa com as ovelhas.

14Eu sou o bom pastor.

Conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem,

15assim como o Pai me conhece

e eu conheço o Pai.

Eu dou minha vida pelas ovelhas.

16Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil:

também a elas devo conduzir;

escutarão a minha voz,

e haverá um só rebanho e um só pastor.

17É por isso que o Pai me ama,

porque dou a minha vida,

para depois recebê-la novamente.

18Ninguém tira a minha vida,

eu a dou por mim mesmo;

tenho poder de entregá-la

e tenho poder de recebê-la novamente;

esta é a ordem que recebi do meu Pai’.

Palavra da Salvação.