4º Domingo do Tempo Comum – Ano 2012

Estamos na quarta semana do Tempo Comum. Jesus em suas pregações e milagres começa a mostrar porque veio. É sua missão trazer um ensino de poder acompanhado de milagres que comprova o que fala. Assim vemos na primeira leitura uma profecia que Deus iria enviar um profeta que seria como Moisés, mas que o superaria. Certamente eles tiveram que esperar mais de mil anos para que esse profeta aparecesse, mas se cumpriu em Jesus. E esse novo profeta é muito diferente, assusta a todos, pois nunca se viu algo igual. 

Na primeira leitura vemos a posição de Moisés diante da experiência de Deus. Esta experiência trouxe-lhe um impacto tão grande que teve medo e recusou participar de novo desta manifestação. Percebamos que a experiência de Deus abala, transforma e teroriza quem dela participa. Experimentar Deus é perceber Sua grandeza e nossa ínfima pequenez, isto gera um transtorno em nosso interior ao ponto de nos prostrarmos diante d’Ele e se calar.  Certamente devemos desejar ardentemente ter uma experiência profunda com o Senhor e se encantar com Ele. Essa experiência é algo divino, infinito, inebriante, consolador, feliz, completo, mas ao mesmo tempo gera em nós o temor de perceber quem é o nosso Deus. Bem, foi isso que Moisés sentiu naquele encontro, ao ponto de recusar uma nova experiência isto porque Moisés percebeu a grandeza  de Deus e foi tomado pelo TEMOR. O temor é perceber, sentir a grandeza de Deus e diante do incomensurável nos dobrarmos até o chão em adoração. É perceber o mistério algo palpável (pela experiência), mas incompreensível em nossa inteligência, assim é Deus. Em todas as suas manifestações deparamos com o mistério. Este como uma grande muralha intransponível que percebemos sua grandeza sentimos que vai ao infinito, tocamos o mistério, mas não conseguimos entender. Assim o mistério é algo incompreensível, mas não ininteligível. Foi isto que Moisés sentiu e que devemos procurar sentir em nossa vida com Deus. Mas Moisés não tinha ainda a graça que temos hoje – a redenção conquistada por Cristo na Cruz e a revelação trazida por Ele. Por isso que Jesus fala “o que os profetas desejaram e vós tendes em vosso meio”.

Desta forma, olhando para o mistério concordamos com Paulo de que tudo em nossa vida deve convergir para o Senhor. Somos por Ele configurados em Seu corpo e temos nossa missão, assim devemos ter uma vida consagrada ao Senhor e em todas as fazes de nossa vida devemos procurar servi-lo. Não importa o que fazemos, onde trabalhamos, que estado de vida temos o que devemos fazer é estar plenamente em comunhão com o Senhor e buscar servi-lo na pessoa do próximo.

Antonio ComDeus


LEITURA I – Deut 18,15-20

 

Leitura do Livro do Deuteronômio

 

Moisés falou ao povo, dizendo:

«O Senhor teu Deus fará surgir

no meio de ti, de entre os teus irmãos,

um profeta como eu; a ele deveis escutar.

Foi isto mesmo que pediste ao Senhor teu Deus

no Horeb, no dia da assembléia:

‘Não ouvirei jamais a voz do Senhor meu Deus,

nem verei este grande fogo, para não morrer’.

O Senhor disse-me:

‘Eles têm razão;

farei surgir para eles, do meio dos seus irmãos,

um profeta como tu.

Porei as minhas palavras na sua boca

e ele lhes dirá tudo o que Eu lhe ordenar.

Se alguém não escutar as minhas palavras

que esse profeta disser em meu nome,

Eu próprio lhe pedirei contas.

Mas se um profeta tiver a ousadia

de dizer em meu nome o que não lhe mandei,

ou de falar em nome de outros deuses,

tal profeta morrerá’».

 

 

 

SALMO RESPONSORIAL – Salmo 94 (95)

 

Refrão: Se hoje ouvirdes a voz do Senhor,

não fecheis os vossos corações.

 

Vinde, exultemos de alegria no Senhor,

aclamemos a Deus, nosso Salvador.

Vamos à sua presença e dêmos graças,

ao som de cânticos aclamemos o Senhor.

 

Vinde, prostremo-nos em terra,

adoremos o Senhor que nos criou;

pois Ele é o nosso Deus

e nós o seu povo, as ovelhas do seu rebanho.

 

Quem dera ouvísseis hoje a sua voz:

«Não endureçais os vossos corações,

como em Meriba, como no dia de Massa no deserto,

onde vossos pais Me tentaram e provocaram,

apesar de terem visto as minhas obras».

 

 

LEITURA II – 1 Cor 7,32-35

 

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios

 

Irmãos:

Não queria que andásseis preocupados.

Quem não e casado preocupa-se com as coisas do Senhor,

com o modo de agradar ao senhor.

Mas aquele que se casou preocupa-se com as coisas do mundo,

com a maneira de agradar à esposa,

e encontra-se dividido.

Da mesma forma, a mulher solteira e a virgem

preocupam-se com os interesses do Senhor,

para serem santas de corpo e espírito.

Mas a mulher casada preocupa-se com as coisas do mundo,

com a forma de agradar ao marido.

Digo isto no vosso próprio interesse

e não para vos armar uma cilada.

Tenho em vista o que mais convém

e vos pode unir ao Senhor sem desvios.

 

 

ALELUIA – Mt 4,16

 

Aleluia. Aleluia.

 

O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz;

para aqueles que habitavam na sombria região da morte

uma luz se levantou.

 

 

EVANGELHO – Mc 1,21-28

 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos

 

Jesus chegou a Cafarnaum

e quando, no sábado seguinte, entrou na sinagoga

e começou a ensinar,

todos se maravilhavam com a sua doutrina,

porque os ensinava com autoridade

e não como os escribas.

Encontrava-se na sinagoga um homem com um espírito impuro,

que começou a gritar:

«Que tens Tu a ver conosco, Jesus Nazareno?

Vieste para nos perder?

Sei quem Tu és: o Santo de Deus».

Jesus repreendeu-o, dizendo:

«Cala-te e sai desse homem».

O espírito impuro, agitando-o violentamente,

soltou um forte grito e saiu dele.

Ficaram todos tão admirados, que perguntavam uns aos outros:

«Que vem a ser isto?

Uma nova doutrina, com tal autoridade,

que até manda nos espíritos impuros e eles obedecem-Lhe!»

E logo a fama de Jesus se divulgou por toda a parte,

em toda a região da Galiléia.