23º Domingo do Tempo Comum – Ano A

Neste final de semana o Senhor nos convida a refletirmos sobre o amor ao próximo. Importante verificarmos que nada está acima da caridade e que é a partir dela que devemos nortear a nossa vida. Na primeira leitura vemos Deus colocando ao profeta uma condição de que, sendo ele o portador da Palavra de Deus, alerte seus irmãos que estão em erros para salvá-los de qualquer contaminação que os possa levar à perdição eterna. E isso é amor e não julgamento e muito menos condenação realizada pelo profeta. Na segunda leitura Paulo nos orienta que devemos ficar devendo aos irmãos somente o amor porque por mais que dediquemos amor ao próximo ainda é pouco. O amor não tem limites de ser exercido ao outro o que pode chegar até ao martírio.

Assim quando olhamos na Palavra de Deus Jesus vem nos falar de correção fraterna, mas o que é correção fraterna? Será que é se colocar diante da falha do irmão e acusá-lo de seus erros e esperar que ele repare suas faltas? Afinal Jesus está querendo que sejamos juízes de nossos irmãos? Veja bem quem nos deu a possibilidade de errar, de cometer pecado, de falhar em nossa caminhada na vida foi o próprio Deus, então quem é você de impedir, ou acusar seu irmão tornando juiz e arbitro da vida do próximo? Isso parece bem pesado, mas na verdade é isso mesmo. Ou então não entendemos em nada da Palavra de Deus. Cada pessoa tem seus limites, suas dificuldades, muitos tiveram uma criação tão desumana, foram criados em ambientes tão inóspitos que não conseguem chegar à perfeição de vida como SER. Mas então o que Jesus está nos dizendo?  Olhe bem! Jesus disse: Se o teu irmão pecar contra ti”. Caso “TEU” irmão peque contra ti vai conversar com ele, isto é vá conhecê-lo melhor. Vá ajudá-lo a vencer seus limites. Vá amá-lo. Amplie os horizontes de seu coração, ame com mais intensidade, vá além de seus limites, afinal fomos chamados a amar e amar sem limites, acaso não foi assim que o Senhor fez por nós? O Senhor nos chama a ser um com o outro. Muitas vezes somos ofendidos na vida e no mesmo instante procuramos revidar, ficar com raiva, ignorar a pessoa, guardar ressentimento e muitos guardam ressentimento por longos anos, mas isso faz mal pra quem? Quem é que sai perdendo? Fechar o coração nunca será a melhor opção. Portanto o que o Senhor nos diz é: ame seu irmão, desça até a altura em que ele está e veja o que se pode fazer por ele e caso ele não queira te ouvir chame outros para que juntos possam levá-lo a experimentar o amor que está em vocês e se mesmo assim não conseguir transmitir o amor a seu irmão leve-o a Igreja para que receba a orientação e com uma formação e direção espiritual ele talvez possa perceber onde errou. Isso é muito difícil. Mas nenhum de nós foi chamado a viver uma vida com facilidade. O amor é exigente, ele nos leva até a morte. Mas não foi isso que aconteceu com Jesus? Pois bem você é chamado a amar onde não há amor, amar os amigos é fácil, amar aqueles que comungam com as minhas idéias e fazem as minhas vontades é fácil, mas renunciar a si mesmo aniquilar-se para que o outro seja feliz, respeitar a opinião do outro e se render diante da intransigência de uma pessoa somente por que quer amá-la, não é fácil, mas é a proposta de Jesus. Muito dizem: ser humilde, sim, mas ser humilhado não, ser bobo não! Mas, espere! Jesus não foi humilhado? Jesus não foi tratado como um bobo que defendia o amor? Jesus não foi ultrajado, caluniado… Somente porque em Seu amor queria a nossa felicidade? Então quem somos nós para colocar condições para amar o próximo? Temos que mudar os conceitos em nosso coração. Se queremos encontrar o verdadeiro amor de Deus em nós, temos que mudar porque na maioria dos casos nosso amor é de defender nossos critérios e de atender nosso egoísmo que sempre procura tirar proveito das coisas e das pessoas para que sejamos vistos pelos homens como pessoa de bem, para sermos exaltados pela comunidade como uma pessoa “cheia de Deus”. Isso é puro Farisaísmo. Talvez ainda não entendemos o que é conversão.

Antonio ComDeus


PRIMEIRA LEITURA (Ez 33,7-9)

Leitura da Profecia de Ezequiel

Assim diz o Senhor:

7“Quanto a ti, filho do homem,

eu te estabeleci como vigia para a casa de Israel.

Logo que ouvires alguma palavra de minha boca,

tu os deves advertir em meu nome.

8Se eu disser ao ímpio

que ele vai morrer, e tu não lhe falares,

advertindo-o a respeito de sua conduta,

o ímpio vai morrer por própria culpa,

mas eu te pedirei contas da sua morte.

9Mas, se advertires o ímpio a respeito de sua conduta,

para que se arrependa,

e ele não se arrepender,

o ímpio morrerá por própria culpa,

porém tu salvarás tua vida”.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

7. SALMO RESPONSORIAL 94(95)

(HL3, p. 144-145 – Fx5)

Não fecheis o coração, ouvi, hoje, a voz de Deus!

1. Vinde, exultemos de alegria no Senhor, * aclamemos o rochedo que nos salva! * Ao seu encontro caminhemos com louvores * e com cantos de alegria o celebremos!

2. Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra * e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! * Porque ele é nosso Deus, nosso pastor, * e nós somos o seu povo e seu rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão.

3. Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: *Não fecheis os corações, como em Meriba, * como em Massa, no deserto, aquele dia, * em que, outrora, vossos pais me provocaram * apesar de terem visto as minhas obras.

 

8. SEGUNDA LEITURA (Rm 13,8-10)

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:

8Não fiqueis devendo nada a ninguém,

a não ser o amor mútuo,

pois quem ama o próximo está cumprindo a lei.

9De fato, os mandamentos:

“não cometerás adultério”,

“não matarás”,

“não roubarás”,

“não cobiçarás”,

e qualquer outro mandamento, se resumem neste:

“Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”.

10O amor não faz nenhum mal contra o próximo.

Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei.

 -Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Fx 7)

 Aleluia, aleluia, aleluia.

O Senhor reconciliou o mundo em Cristo, confiando-nos sua Palavra; a Palavra da reconciliação, a Palavra que hoje, aqui, nos salva.

 

10. EVANGELHO (Mt 18,15-20)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos:

15“Se o teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo,

mas em particular, a sós contigo!

Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão.

16Se ele não te ouvir,

toma contigo mais uma ou duas pessoas,

para que toda a questão seja decidida

sob a palavra de duas ou três testemunhas.

17Se ele não vos der ouvido, dize-o à Igreja.

Se nem mesmo à Igreja ele ouvir,

seja tratado como se fosse um pagão

ou um pecador público.

18Em verdade vos digo,

tudo o que ligardes na terra será ligado no céu,

e tudo o que desligardes na terra

será desligado no céu.

19De novo, eu vos digo:

se dois de vós estiverem de acordo na terra

sobre qualquer coisa que quiserem pedir,

isto vos será concedido por meu Pai que está nos céus.

20Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome

eu estou aí, no meio deles”.

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.

 

 

 LEITURAS DA SEMANA: de 5 a 11 de Setembro de 2011

 

2ª-: Cl 1, 24 – 2, 3; Sl 61(62), 6-7. 9 (R/. 8a); Lc 6, 6-11

3ª-: Cl 2, 6-15; Sl 144 (145), 1-2. 8-9. 10-11 (R/. 9a); Lc 6, 12-19

4ª-: Cl 3, 1-11; Sl 144 (145), 2-3. 10-11. 12-13ab (R/. 9a); Lc 6, 20-26

5ª-: Mq 5, 1-4a ou Rm 8, 28-30; Sl 12(13), 6ab. 6dc (R/. Is 61, 10); Mt 1, 1-16.18-23

6ª-: 1Tm 1, 1-2.12-14; Sl 15 (16), 1-2a. e 5. 7-8. 11 (R/. cf. 5a); Lc 6, 39-42

Sab.: 1Tm 1, 15-17; Sl 112 (113), 1-2. 3-4. 5a e 6-7 (R/. 2); Lc 6, 43-49

24º DTC Eclo 27, 33 – 28, 9; Sl 102 (103), 1-2. 3-4. 9-10. 11-12 (R/. 8); Rm 14, 7-9; Mt 18, 21-35