Predestinação: Isso existe?

Sermos predestinados à salvação, que alegria!

Será que isso existe? Existe, mas é preciso entender bem: ninguém é predestinado a isto ou àquilo a ponto de ser privado da liberdade. O destino não existe; seria contrário ao Deus Criador. Afinal, para quê Deus nos criaria livres, se de antemão Ele iria determinar tudo o que deveria acontecer, tudo o que deveríamos fazer?

Deus não brinca com sua criatura predileta. Prefere correr o risco de ver o ser humano abusar da liberdade a criar bonecos comandados à distância. Quando dizemos que fomos predestinados à salvação não é no sentido de que, haja o que houver, iremos nos salvar sem falta; nem que, por mais que pequemos, iremos nos condenar. Isso não existe.

Que Deus predestina todos à salvação significa que ele cria todos para a felicidade nesta vida e na vida futura. Por meio da liberdade cabe-nos escolher o melhor caminho para alcançar a felicidade eterna. Infelizmente, por causa do pecado, podemos também usar mal da liberdade e escolher o caminho da infelicidade. Esse é o risco.

É preciso, então, entender bem o que nos diz São Pedro: “Graças à fé, e pelo poder de Deus, estais guardados (=predestinados) para a salvação que deve revelar-se nos últimos tempos. Isso é motivo de alegria para vós, embora seja necessário que no momento estejais por algum tempo aflitos, por causa de várias provações.” (1Pedro 1,5-6). Alegremo-nos, pois, porque o nosso nome está escrito no Livro da Vida, mas não abusemos da liberdade. O risco de se perder também existe.

A grande luz que deve iluminar a nossa vida é saber que Deus é Amor e que fomos criados para o amor: este é o sentido da nossa vida. Procurando viver assim, confiemos em Deus, e deixemos o problema da predestinação para os teólogos discutirem. Concretamente, não vale a pena perder tempo com ele e, sobretudo, perder a paz por causa dele.

Dom Hilário

http://www.domhilario.blogspot.com/