Reflexão 15º Domingo do Tempo Comum: O Semeador

Temos um conteúdo vastíssimo na liturgia deste fim de semana onde podemos escrever muitas páginas sobre tamanho deste conteúdo. Mas, vamos buscar refletir um pouco. Vemos na primeira leitura “a palavra que sair de minha boca não voltará para mim vazia”. Primeiramente que toda Palavra que sai da boca de Deus irá realizar aquilo que ela diz, então da parte de Deus não existem falhas: “Porque a palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração”. (Hb 4, 12).
Mas, na segunda leitura vemos que a criação foi sujeita ao pecado e por isso “está gemendo como que em dores de parto”. Bem, agora começa a problemática levantada por Jesus. Se o problema não está na Palavra, como vimos acima, então deve estar em quem a recebe! Mas, aí, estamos diante de outro problema, a humanidade está mergulhada no pecado e “Porque tudo o que há no mundo – a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida – não procede do Pai, mas do mundo”. (1Jo 2, 16). Assim podemos encontrar terra de todos os tipos, conforme a parábola de Jesus, e algumas estão determinadas a ser assim, pois não se abrem a Deus por que seus interesses são outros. Veja bem. Jesus diz: “Havereis de ouvir, sem nada entender. Havereis de olhar, sem nada ver. Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure”. Muitos receberão a Palavra, mas estão com outras intenções, buscam em Deus a satisfação de seus interesses pessoais, curas, milagres, bens, solução rápidas de seus problemas, comodidade, vida fácil… E são incapazes de olhar a vida naquilo que ela tem de mais fundamental: “Eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós”. Na verdade é isso, muitos só vêem as necessidades do momento e são incapazes de olhar para o que virá – a vida eterna – e com ela a glória eterna. Mas são culpados por isso? São terras ruins porque querem? Será que não poderiam mudar de vida se lhes fossem apresentadas as verdades divinas de forma a lhes convencer? E, onde estão as terras ruins? Quem são esses? Nós, por acaso, nos tornamos juízes de nossos irmãos determinando quais são os terrenos que devemos pregar a Palavra ou de semear a Palavra? Nada disso compete a nós. Que existem tais terrenos é verdade, mas onde estão não sabemos. Portanto. Primeiramente seja você um terreno fértil onde a Palavra de Deus seja semeada e produza muitos frutos. E de outro lado seja um anunciador desta Palavra para que muitos irmãos possam dar frutos também. Assim, temos um compromisso de anunciar o evangelho a todos os povos e a todas as pessoas que passam por nossas vidas. E esse é o papel do semeador. De semear com uma propriedade tal que onde a semente cair irá produzir fruto, veja: “Porém, como invocarão aquele em quem não têm fé? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão falar, se não houver quem pregue?”. (Rm 10,14). Sabemos que muito não seguirão Jesus somente irão buscá-lo por necessitarem de graças, mas não assumirão um compromisso de vida com o Senhor, mas que isso não seja com você. Sabemos: “quando chega o sofrimento ou a perseguição, por causa da palavra, ele desiste logo”. Ou “aquele que ouve a palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a palavra, e ele não dá fruto”. Mas devemos desejar ser o melhor anunciador, o melhor semeador da Palavra que onde ela cair, seja a terra que for, irá transformar para que a semente possa produzir frutos, mas se caso a Palavra anunciada não produzir fruto então que olhem para nossa vida e vejam o fruto que a Palavra produz em nós, porque se “as palavras não convencem que o nosso testemunho arraste”, mas seja como for façamos de tudo para salvar, uma vida sequer, para Deus.

Não desista, semeie, com lágrimas e sangue ou com a própria vida, mas semeie. É a vontade de Deus.

 

Antonio ComDeus

 


 

PRIMEIRA LEITURA (Is 55,10-11)

 

Leitura do Livro do Profeta Isaías

Isto diz o Senhor:

10“Assim como a chuva e a neve descem do céu

e para lá não voltam mais,

mas vêm irrigar e fecundar a terra,

e fazê-la germinar

e dar semente, para o plantio e para a alimentação,

11assim a palavra que sair de minha boca:

não voltará para mim vazia;

antes, realizará tudo que for de minha vontade

e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la”.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SALMO RESPONSORIAL 64(65) (CD VI Fx 21)

 

A semente caiu em terra boa e deu fruto. (bis)

 

1. Visitais a nossa terra com as chuvas * e transborda de fartura. * Rios de Deus, que vêm dos céus, derramam águas * e preparais o nosso trigo.

2. É assim que preparais a nossa terra: * vós a regais e a aplainais; * os seus sulcos com a chuva amoleceis * e abençoais as sementeiras.

3. O ano todo coroais com vossos dons, * os vossos passos são fecun­dos; * transborda a fartura onde pas­sais, * brotam pastos no deserto.

4. As colinas se enfeitam de alegria * e os campos, de rebanhos; * nossos vales se revestem de trigais: * tudo canta de alegria.

 

SEGUNDA LEITURA – (Rm 8,18-23)

 

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:

18Eu entendo que os sofrimentos do tempo presente

nem merecem ser comparados com a glória

que deve ser revelada em nós.

19De fato, toda a criação está esperando ansiosamente

o momento de se revelarem os filhos de Deus.

20Pois a criação ficou sujeita à vaidade,

não por sua livre vontade,

mas por sua dependência daquele que a sujeitou;

21também ela espera ser libertada

da escravidão da corrupção

e, assim, participar da liberdade

e da glória dos filhos de Deus.

22Com efeito, sabemos que toda a criação,

até o tempo presente,

está gemendo como que em dores de parto.

23E não somente ela, mas nós também,

que temos os primeiros frutos do Espírito,

estamos interiormente gemendo,

aguardando a adoção filial

e a libertação para o nosso corpo.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(CD VI Fx 20)

Aleluia, Aleluia, Aleluia! (bis)

Semente é de Deus a Palavra, * o Cristo é o semeador, * todo aquele que o encontra, * vida eterna encontrou!

 

EVANGELHO (Mt 13,1-23)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

T. Glória a vós, Senhor.

P.1Naquele dia, Jesus saiu de casa

e foi sentar-se às margens do mar da Galiléia.

2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele.

Por isso Jesus entrou numa barca e sentou-se,

enquanto a multidão ficava de pé, na praia.

3E disse-lhes muitas coisas em parábolas:

“O semeador saiu para semear.

4Enquanto semeava,

algumas sementes caíram à beira do caminho,

e os pássaros vieram e as comeram.

5Outras sementes caíram em terreno pedregoso,

onde não havia muita terra.

As sementes logo brotaram,

porque a terra não era profunda.

6Mas, quando o sol apareceu,

as plantas ficaram queimadas e secaram,

porque não tinham raiz.

7Outras sementes caíram no meio dos espinhos.

Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas.

8Outras sementes, porém, caíram em terra boa,

e produziram à base de cem,

de sessenta e de trinta frutos por semente.

9Quem tem ouvidos, ouça!”

10Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus:

“Por que tu falas ao povo em parábolas?”

11Jesus respondeu:

“Porque a vós foi dado o conhecimento

dos mistérios do Reino dos Céus,

mas a eles não é dado.

12Pois à pessoa que tem,

será dado ainda mais, e terá em abundância;

mas à pessoa que não tem,

será tirado até o pouco que tem.

13É por isso que eu lhes falo em parábolas:

porque olhando, eles não veem,

e ouvindo, eles não escutam, nem compreendem.

14Deste modo se cumpre neles a profecia de Isaías:

‘Havereis de ouvir, sem nada entender.

Havereis de olhar, sem nada ver.

15Porque o coração deste povo se tornou insensível.

Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos,

para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos,

nem compreender com o coração,

de modo que se convertam e eu os cure’.

16Felizes sois vós, porque vossos olhos veem

e vossos ouvidos ouvem.

17Em verdade vos digo,

muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes,

e não viram, desejaram ouvir o que ouvis,

e não ouviram.

18Ouvi, portanto, a parábola do semeador:

19Todo aquele que ouve a palavra do Reino

e não a compreende,

vem o maligno e rouba o que foi semeado em seu coração.

Este é o que foi semeado à beira do caminho.

20A semente que caiu em terreno pedregoso

é aquele que ouve a palavra

e logo a recebe com alegria;

21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento:

quando chega o sofrimento ou a perseguição,

por causa da palavra,

ele desiste logo.

22A semente que caiu no meio dos espinhos

é aquele que ouve a palavra,

mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza

sufocam a palavra, e ele não dá fruto.

23A semente que caiu em boa terra

é aquele que ouve a palavra e a compreende.

Esse produz fruto.

Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”.

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.