Solenidade da Santíssima Trindade

Após a festa de Pentecostes e antes da festa de Corpus Christi a Igreja nos convida a celebrar a Santíssima Trindade. Certamente é um Mistério apresentado a nós, por Jesus, que nos revela as três pessoas em um só Deus. Deus em sua pedagogia foi paulatinamente mostrando sua face e suas propriedades de forma que pudéssemos entrar em seu mistério sem causar um “espanto eterno”. Assim vemos na primeira leitura Deus se apresentando a Moisés a quem revelou seu nome – YaHVeH – hwhy – Deus passou perto de Moisés que clamou por seu Nome e invocou a sua misericórdia, neste ponto do caminhar do povo de Israel eles descobrem ou lhes é revelado que Deus é um Deus de Amor e de Misericórdia.

É uma novidade, o povo não havia ainda descoberto esta propriedade de Deus. Vemos assim, que o povo escolhido, vai descobrindo quem é Deus à medida que caminha e que busca sua companhia. Desta forma observamos, em todo Antigo Testamento, a revelação que, respeitando os limites dos homens, vai acontecendo até chegar à pessoa de Jesus que completa e inaugura a presença de Deus Trino entre os homens. Assim, nasce uma nova geração – os filhos de Deus.

Quando falamos deste mistério central de nossa fé e que toda a vida da Igreja gravita em torno, estamos na verdade falando de um Deus que se apresenta a nós naquilo que lhe é próprio – Pai, Filho e Espírito Santo – e que sendo pessoa quer se relacionar conosco, é um Deus pessoal que quer ser experimentado, participar e partilhar de nossas vidas. Então mais que falar de conceitos racionais temos que experimentá-lo, Deus é pessoa e pessoa se relaciona, conhece e dá a conhecer. Foi isso que aconteceu com o povo de Israel, em sua caminhada. Foram experimentando o Deus que se revelava e a medida de suas experiências foram entendendo, participando da vida de Deus que caminhava com Seu povo. Com a vinda do Filho do Homem, prometido no A.T. Jesus revela com Sua Palavra as coisas de Deus mostrando ao Homem tudo o que Deus queria que conhecêssemos e Jesus revela a Trindade. Ele diz: Eu e o Pai somos um”. (Jo 10,30); “…como meu Pai me conhece e eu conheço o Pai…”. (Jo 10, 15). Colocando na igualdade com o Pai sem ser o Pai, ele é o filho consubstancial, da mesma substância, da mesma essência. O próprio Jesus apresenta o Espírito Santo como igual ao Pai e o Filho: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco”. (Jo 14, 16); “Quando vier o Paráclito, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim”. (Jo 15, 26). O Espírito Santo procede do Pai e do Filho, isto é, da mesma essência. Assim Jesus apresenta a Trindade.

Certamente que é um grande mistério, que deixou Santo Agostinho, o maior teólogo da Trindade, inquieto ao ponto de um dia estar à beira mar pensando neste mistério ao que uma criança brincando na areia, pegava um pouco de água e colocava em um pequeno buraco, o Santo, observando, pergunta o que ela estava fazendo. Ela diz: “Estou colocando a água do oceano neste buraco”, mas isso é impossível, responde o Santo, e recebe a resposta que cala sua vida e sossega sua alma – “É mais fácil colocar toda a água do mar neste pequeno buraco do que o senhor entender o Mistério da Santíssima Trindade”. Olhe bem. É um mistério, mas é uma verdade, pois Jesus revelou a nós e o que o Senhor fala é verdade, além disso, nossa vida de fé é cercada pela ação da Trindade com quem relacionamos todos os dias. Vejamos a parábola da videira, Jesus diz: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em mim, ele o cortará; e podará todo o que der fruto, para que produza mais fruto”. (Jo 15, 1-2). O Pai é o agricultor que rega, aduba poda e colhe os frutos; Jesus é o tronco onde estamos fixados sendo parte de Seu corpo e o Espírito Santo é a seiva que alimenta toda a videira. Desta forma a Trindade está diariamente participando de nossas vidas. Por isso que mais que buscar um entendimento racional, devemos buscar uma experiência, foi assim no A.T., foi assim na comunidade nascente e é assim em toda caminhada da Igreja. Afinal toda a vida é mistério, toda ciência está cercada de mistério, não existe nada que não seja um mistério, por isso que, quando Deus se revela em três pessoas, não pode ser absurdo, mas, uma parte de tudo que somos – um mistério. Sim, um mistério. Mas que sentimos, temos afinidade, participamos e que nos enche de felicidade e vida, e que queremos amar e servir todos os dias de nossas vidas por toda eternidade.

Amém.

 

Antonio ComDeus


 

PRIMEIRA LEITURA (Ex 34,4b-6.8-9)

Leitura do livro do Êxodo

Naqueles dias,

4Moisés levantou-se, quando ainda era noite,

e subiu ao monte Sinai,

como o Senhor lhe havia mandado,

levando consigo as duas tábuas de pedra.

5O Senhor desceu na nuvem e permaneceu com Moisés,

e este invocou o nome do Senhor.

6Enquanto o Senhor passava diante dele,

Moisés gritou:

“Senhor, Senhor! Deus misericordioso e clemente,

paciente, rico em bondade e fiel”.

8Imediatamente, Moisés curvou-se até o chão

9e, prostrado por terra, disse:

“Senhor, se é verdade que gozo de teu favor,

peço-te, caminha conosco;

embora este seja um povo de cabeça dura,

perdoa nossas culpas e nossos pecados

e acolhe-nos como propriedade tua”.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SALMO RESPONSORIAL

(Dn 3, 52.-56 – Fx 16)

A vós louvor, honra e glória eternamente!*Honra e glória* eternamente!

 

1. Sede bendito, Senhor Deus de nossos pais. * Sede bendito, nome santo e glorioso. * No templo santo onde refulge a vossa glória. * E em vosso trono de poder vitorioso.

2. Sede bendito, que sondais as profundezas. * E superior aos querubins vos assentais. * Sede bendito no celeste firmamento. * Sede bendito no celeste firmamento.

 

SEGUNDA LEITURA – 2Cor 13,11-13

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios

11Irmãos:

alegrai-vos,

trabalhai no vosso aperfeiçoamento,

encorajai-vos, cultivai a concórdia, vivei em paz,

e o Deus do amor e da paz estará convosco.

12Saudai-vos uns aos outros com o beijo santo.

Todos os santos vos saúdam.

13A graça do Senhor Jesus Cristo,

o amor de Deus

e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Fx 18)

Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis)

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Divino, ao Deus que é, que era e que vem, pelos séculos. Amém.

 

EVANGELHO (Jo 3,16-18)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

T. Glória a vós, Senhor.

P. 16Deus amou tanto o mundo,

que deu o seu Filho unigênito,

para que não morra todo o que nele crer,

mas tenha a vida eterna.

17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo

para condenar o mundo,

mas para que o mundo seja salvo por ele.

18Quem nele crê, não é condenado,

mas quem não crê, já está condenado,

porque não acreditou no nome do Filho unigênito.

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.