Domingo de Pentecostes 2011

Nasce a Igreja com a vinda do Espírito Santo. O Paráclito, nosso advogado, defensor, veio morar em nosso meio para nos conduzir ao conhecimento da verdade e formar o corpo de Cristo com o “povo novo” resgatado pelo Seu sangue derramado na cruz. Assim inicia a missão do Espírito, em sua descida a terra para fazer sua morada no meio dos homens. Manifesta com prodígios sua presença, como nos relata Lucas, com manifestações de dons que transtorna a vida do povo que estava em festa em Jerusalém, são os prodígios do Espírito que vem inaugurar a Igreja instituída por Cristo. Importante vermos que assim como Jesus se rebaixou assumindo nossa humanidade, o Espírito Santo também se rebaixa vindo fazer sua morada no meio dos homens e como nos diz os santos padres – veio aprender a viver com os homens.

Jesus inaugurou um novo tempo, com sua encarnação nasceu um novo tipo de ser humano. A raça humana agora é divinizada pela encarnação do Verbo e com a vinda do Espírito esse novo tempo se prolonga, pois todos os batizados em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo se tornam, em Cristo, na força do Espírito, uma nova criatura. Agora temos no mundo dois tipos de ser humano, os que são fruto da carne e os que foram renascido no Espírito. É este tempo que estamos vivendo e temos que nos posicionar que “tipo de ser humano eu quero ser” – viver na carne com suas obras: “Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus!” (Gal 5,19-21) ou viver no Espírito: “Ao contrário, o fruto do Espírito é caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, brandura, temperança. Contra estas coisas não há lei. Pois os que são de Jesus Cristo crucificaram a carne, com as paixões e concupiscências. Se vivemos pelo Espírito, andemos também de acordo com o Espírito”. (Gal 5, 22-25). Aí está o “termômetro” de nossas vidas, em quem estou colocando a minha vida – no Espírito ou na carne – que cada um analise sua própria vida.

Importante observarmos que Lucas coloca de forma didática, catequética a vinda do Espírito Santo no dia em que os Judeus celebravam sua festa anual em Jerusalém por isso tinha muita gente na cidade e Ele faz questão de dizer que tinha representante de várias nações para dar uma ênfase que o Espírito veio para todos – a Salvação é universal – de outro lado apresenta com prodígios de dons que em sua manifestação transtorna o povo que fica admirado de tantos prodígios seja na língua em que todos entendem ou na pregação que muitos se convertem. Este espetáculo faz um contra ponto, uma analogia com a Torre de Babel, estes se afastaram de Deus e não se entendiam mais ao passo que com a vinda do Espírito Santo mesmo falando em diversas línguas todos se entendiam e ficavam maravilhados com os prodígios realizados pelo Espírito na pessoa dos apóstolos. É isso que deve acontecer em nossa Igreja, essa é a vontade do Espírito, operar as maravilhas de Deus no coração do homem, transformando-o no homem novo, realizando prodígios “É como está escrito: Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou (Is 64,4), tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam”. (1Cor 2,9).

No evangelho, vemos o Apóstolo João, apresentando a descida do Espírito no domingo de Páscoa, à tarde, em que estavam reunidos e Jesus aparece e derrama o Espírito sobre eles, os envia, e nesta manifestação o Espírito capacita a Igreja a ser a Misericórdia do Pai para o mundo: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão per¬doados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”. Percebemos que Sua obra é grande e que sua presença é real e pessoal ao ponto que: “Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo”. Ele é o Mestre de nossa alma: Ensina; convence: “E, quando ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do juízo”. (Jo 16, 8); dá força; faz-nos testemunhas; recorda as coisas de Deus; impulsiona; capacita com os dons; opera: “Porque é Deus quem, segundo o seu beneplácito, realiza em vós o querer e o executar”. (Fil 2,13). Ele está mais presente em nós que o ar que respiramos. Temos que ser dóceis a presença do Espírito, ter sensibilidade, estar atento e tratá-lo como um companheiro de estrada que nos ajuda a atravessar qualquer “vale escuro” (Sl 22) e nos leva, “Em verdes prados ele me faz repousar. Conduz-me junto às águas refrescantes, restaura as forças de minha alma. Pelos caminhos retos ele me leva, por amor do seu nome. (Sl 22, 2-3).

Somos templos do Espírito e fazemos parte do corpo místico de Cristo. “A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum”, “Para formarmos um único corpo”. Somos irmãos em Cristo, divinizados pela presença viva do Espírito e capacitados a sermos implantadores do Reino para que o mundo conheça o verdadeiro Deus e todos possam ser inseridos no Corpo místico de Cristo que é a Igreja.

Mãos a obra!


Antonio ComDeus


PRIMEIRA LEITURA (At 2,1-11)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

1Quando chegou o dia de Pentecostes,

os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar.

2De repente, veio do céu um barulho

como se fosse uma forte ventania,

que encheu a casa onde eles se encontravam.

3Então apareceram línguas como de fogo

que se repartiram e pousaram sobre cada um deles.

4Todos ficaram cheios do Espírito Santo

e começaram a falar em outras línguas,

conforme o Espírito os inspirava.

5Moravam em Jerusalém judeus devotos

de todas as nações do mundo.

6Quando ouviram o barulho,

juntou-se a multidão, e todos ficaram confusos,

pois cada um ouvia os discípulos

falar em sua própria língua.

7Cheios de espanto e de admiração, diziam:

“Esses homens que estão falando não são todos galileus?

8Como é que nós os escutamos na nossa própria língua?

9Nós que somos partos, medos e elamitas,

habitantes da Mesopotâmia, da Judéia e da Capadócia,

do Ponto e da Ásia,

10da Frígia e da Panfília,

do Egito e da parte da Líbia, próxima de Cirene,

também romanos que aqui residem;

11judeus e prosélitos, cretenses e árabes,

todos nós os escutamos anunciarem as maravilhas de Deus

na nossa própria língua!”

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SALMO RESPONSORIAL 103(104)


Enviai o vosso Espírito, Senhor, * e da terra toda a face renovai!

1. Bendize, ó minha alma, ao Senhor! * Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande! * Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras: * encheu-se a terra com as vossas criaturas!

2. Se tirais o seu respiro, elas perecem * e voltam para o pó, de onde vieram; * enviais o vosso Espírito e renascem * e da terra toda a face renovais.

3. Que a glória do Senhor perdure sempre * e alegre-se o Senhor em suas obras, * hoje seja-lhe agradável o meu canto, * pois o Senhor é minha grande alegria!

 

SEGUNDA LEITURA

(1Cor 12,3b-7.12-13)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos:

3Ninguém pode dizer:

Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo.

4Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito.

5Há diversidade de ministérios,

mas um mesmo é o Senhor.

6Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus

que realiza todas as coisas em todos.

7A cada um é dada a manifestação do Espírito

em vista do bem comum.

12Como o corpo é um, embora tenha muitos membros,

e como todos os membros do corpo,

embora sejam muitos, formam um só corpo,

assim também acontece com Cristo.

13De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres,

fomos batizados num único Espírito,

para formarmos um único corpo,

e todos nós bebemos de um único Espírito.

-Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SEQUÊNCIA (HL 2 p. 138 CO 338)

1. Espírito de Deus, * enviai dos céus * um raio de luz!

2. Vinde Pai dos pobres, * dai aos corações * vossos setes dons .

3. Consolo que acalma, * hóspede da alma, * doce alívio, vinde!

4. No labor descanso, * na aflição remanso, * no calor aragem.

5. Enchei, luz bendita, * chama que crepita, * o íntimo de nós!

6. Sem a luz que acode, * nada o ho¬¬¬mem pode, * nenhum bem há nele.

7. Ao sujo lavai, * ao seco regai, *curai o doente!

8. Dobrai o que é duro,* guiai no escuro, * o frio aquecei.

9. Dai à vossa Igreja * que espera e deseja * vossos sete dons!

10. Dai em prêmio ao forte * uma santa morte, * alegria eterna! * Amém!

 

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO


Aleluia, aleluia, aleluia!

Vinde, Espírito Divino * e enchei os corações * dos fiéis com vossos dons! * Acendei neles o amor * como um fogo abrasador!

 

EVANGELHO (Jo 20,19-23)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

T. Glória a vós, Senhor.

P. 19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana,

estando fechadas, por medo dos judeus,

as portas do lugar onde os discípulos se encontravam,

Jesus entrou e pondo-se no meio deles,

disse: “A paz esteja convosco”.

20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado.

Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.

21Novamente, Jesus disse:

“A paz esteja convosco.

Como o Pai me enviou, também eu vos envio”.

22E depois de ter dito isto,

soprou sobre eles e disse:

“Recebei o Espírito Santo.

23A quem perdoardes os pecados,

eles lhes serão per¬doados;

a quem não os perdoardes,

eles lhes serão retidos”.

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.