Para ser Filho, aprender a obedecer

“Vede que grande presente de amor o Pai nos deu: sermos chamados filhos de Deus! E nós o somos! Se o mundo não nos conhece, é porque não conheceu o Pai. Caríssimos, desde já somos filhos de Deus, mas nem sequer se manifestou o que seremos! Sabemos que, quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é” (1 Jo 3,1-2).

Adão, pela criação, foi feito de barro, foi homem terreno. Por Adão, também nós somos terrenos. Jesus, pela ressurreição, é homem celeste, espiritual. Por Jesus, também nós nos tornaremos seres celestiais, espirituais. Da mesma forma como pela geração carnal nascemos parecidos com Adão, o velho homem, assim, pela geração espiritual do batismo renascemos parecidos com Jesus, o homem novo.

 Se pelo batismo somos parecidos com o Filho de Deus, é porque nós também somos filhos e filhas de Deus. Este é o nosso maior título de honra. Por isso, o papa São Leão Magno recomendava: “Reconhece, ó cristão, a tua dignidade”!

Não basta, porém, o batismo para que nos tornemos filhos e filhas de Deus, semelhantes a Jesus. É preciso que, após o batismo, nos comportemos como autênticos filhos e filhas de Deus, discípulos e discípulas de Jesus. Em última análise, é preciso obedecer à Palavra de Deus, obedecer a Cristo Jesus.

Obedecer! Essa palavra hoje dói nos ouvidos de muitas pessoas. Elas até se arrepiam, causa-lhes mal-estar. No entanto, a obediência é o segredo da salvação. Nós fomos salvos pela obediência de Jesus a seu Pai. Dupla obediência: o Filho obedeceu ao Pai quando este o enviou ao mundo, e em obediência ao Pai aceitou morrer em nosso lugar.

São Pedro falando ao povo no dia de Pentecostes disse a respeito de Jesus: “Deus, em seu desígnio e previsão, determinou que Jesus fosse entregue pelas mãos dos ímpios.” (Atos 2,23). Jesus foi consciente disto e assumiu essa obediência ao Pai de modo coerente. Ele foi obediente como um manso cordeiro. Ora, se a obediência de Jesus ao Pai foi causa de nossa salvação, nossa obediência a Jesus será também para nós fonte de salvação. É o que o mesmo São Pedro diz em sua primeira carta. Ele a dirige aos “eleitos conforme a presciência de Deus e pela santificação do Espírito, para obedecerem a Jesus Cristo e serem aspergidos com o seu sangue.” (1Pedro 1,2).

Obedecer a Jesus Cristo significa submeter-se, hoje, agora, à pessoa viva de Jesus, que é o Filho de Deus, nosso Salvador, e que pela ressurreição foi constituído único Mediador, Senhor do mundo, Rei do universo, Juiz da humanidade. Significa submeter-se à sua Palavra, a seus mandamentos, à sua Igreja que o prolonga visivelmente no mundo e na história.

A obediência é que tornará você mais parecido com Jesus e, portanto, autenticamente filho ou filha de Deus. Ele mesmo disse: “Meu alimento é fazer a vontade do meu Pai” (João 4,34). Este é também para você o caminho da filiação verdadeira e da sua salvação: obedecer ao Pai, à sua Palavra, ao seu Filho Jesus.

 

Por Dom Hilário – Fonte: http://www.domhilario.blogspot.com/