33º Domingo do Tempo Comum – ano C

Estamos chegando ao final de nosso tempo litúrgico, é tempo de refletirmos sobre os acontecimentos finais. Tempo em que o joio e o trigo serão separados e a cada um será dado o destino conforme foi plantado durante a vida. Assim mostra Malaquias de forma muito severa para os ímpios e a recompensa para os justos. Esse é o grande desafio de nossas vidas: “o que queremos ser”. Por isso que na segunda leitura São Paulo tenta advertir sua comunidade, ela está esperando a vinda do Salvador e por isso não querem trabalhar, estão buscando a ociosidade como se a salvação não implicasse nossa adesão em todos os aspectos de nossa vida.

Olhe bem. Somos trigo ou joio e o pior dentro de nós existe trigo e joio e temos que lutar muito, dedicar tempo e muita luta para aniquilar o joio e buscar fazer o trigo crescer e isso não é fácil. Existe os problemas internos dentro de nosso coração que precisa ser trabalhados, as paixões que muitas vezes nos leva a tomar decisões erradas e depois vem as conseqüências e que muitas vezes são desastrosas. Mas também tem os desafios externos que nos envolve e exige de nós uma postura de “ser trigo”, que exige nosso testemunho, nossa entrega radical ao que é correto, justo, ético e que esteja dentro da moral que nosso Deus nos coloca através de Sua Igreja. Que o nosso “Sim, se é sim; não, se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno. (MT 5, 37).

Portanto os dias são exigentes e não temos como colocar “o burro na sombra” e achar que não é conosco ou que não faz parte de nossa vida ou da nossa conta. Tudo que está a nossa volta, isto é, o UNIVERSO pertence a nós e é de nossa responsabilidade. Pois um dia o Senhor voltará e irá querer ver o que fizemos com o mundo que ele nos deu. Ele sabe que o egoísmo e a ganância do homem o levará a querer ser o deus do mundo e isso provocará guerras e o planeta responderá com seus efeitos que já estamos sentindo pela destruição da natureza, e quando os enviados de Deus tentarem alertar os homens serão perseguidos e levados à morte, no século passado tivemos o maior número de mártires de todos os tempos.

Todas essas coisas já estão acontecendo. O que não sabemos é a qual intensidade que isso irá chegar. Precisamos acordar. Você se acha preparado (a) para um encontro definitivo com o seu Criador? Tem estado em comunhão com Ele todos os dias, nas orações pessoais, na participação nos sacramentos, na ajuda ao próximo, na solidariedade com os que sofrem e com os marginalizados? Será que estamos preparados para atender esse desafio: “Sereis entregues até mesmo pelos próprios pais, irmãos, parentes e amigos. E eles matarão alguns de vós. Todos vos odiarão por causa do meu nome”. Certamente temos muito que revisar, refletir e o mais importante tomar uma postura de mudança “Vigiai, pois, com cuidado sobre a vossa conduta: que ela não seja conduta de insensatos, mas de sábios, que aproveitam ciosamente o tempo, pois os dias são maus”. (Ef 5, 15-16).

Marana’tha – Vem Senhor Jesus!

 

Antonio ComDeus

 


 

 

PRIMEIRA LEITURA (Ml 3, 19-20a)

Leitura da Profecia de Malaquias.

19Eis que virá o dia, abrasador como fornalha,

em que todos os soberbos e ímpios serão como palha;

e esse dia vindouro haverá de queimá-los,

diz o Senhor dos exércitos,

tal que não lhes deixará raiz nem ramo.

20Para vós, que temeis o meu nome,

nascerá o sol da justiça,

trazendo salvação em suas asas.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SEGUNDA LEITURA (2Ts 3, 7-12)

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Tessalonicenses.

Irmãos,

7bem sabeis como deveis seguir o nosso exemplo,

pois não temos vivido entre vós na ociosidade.

8De ninguém re­ce­bemos de graça o pão que come­mos.

Pelo contrário, trabalhamos com esforço e cansaço,

de dia e de noite, para não sermos pesados a ninguém.

9Não que não tivéssemos o direito de fazê-lo,

mas queríamos apresentar-nos como exemplo a ser imitado.

11Com efeito, quando estávamos entre vós,

demos esta regra:

“Quem não quer trabalhar, também não deve comer”.

11Ora, ouvimos dizer que entre vós há alguns

que vivem à toa, muito ocupados em não fazer nada.

12Em nome do Senhor Jesus Cristo,

ordenamos e exortamos a estas pessoas que, trabalhando,

comam na tranqüilidade o seu próprio pão.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

EVANGELHO (Lc 21,5-19)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

T. Glória a Vós, Senhor.

P. Naquele tempo,

5algumas pessoas comentavam a respeito do Templo

que era enfeitado com belas pedras

e com ofertas votivas.

Jesus disse:

6″Vós admirais estas coisas?

Dias virão em que não ficará pedra sobre pedra.

Tudo será destruído”.

7Mas eles perguntaram:

“Mestre, quando acontecerá isto?

E qual vai ser o sinal

de que estas coisas estão para acontecer?”

8Jesus respondeu:

“Cuidado para não serdes enganados,

porque muitos virão em meu nome, dizendo:

‘Sou eu’ e ainda: ‘O tempo está próximo’.

Não sigais essa gente!

9Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções,

não fiqueis apavorados.

É preciso que estas coisas aconteçam primeiro,

mas não será logo o fim”.

10E Jesus continuou:

“Um povo se levantará contra outro povo,

um país atacará outro país.

11Haverá grandes terremotos,

fomes e pestes em muitos lugares;

acontecerão coisas pavorosas

e grandes sinais serão vistos no céu.

12Antes, porém, que estas coisas aconteçam,

sereis presos e perseguidos;

sereis entregues às sinagogas e postos na prisão;

sereis levados diante de reis e governadores

por causa do meu nome.

13Esta será a ocasião

em que testemunhareis a vossa fé.

14Fazei o firme propósito

de não planejar com antecedência a própria defesa;

15porque eu vos darei palavras tão acertadas,

que nenhum dos inimigos vos poderá resistir ou rebater.

16Sereis entregues até mesmo pelos próprios pais,

irmãos, parentes e amigos.

E eles matarão alguns de vós.

17Todos vos odiarão por causa do meu nome.

18Mas vós não perdereis

um só fio de cabelo da vossa cabeça.

19É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!”

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.