29º Domingo do Tempo Comum – ano C

“Uma andorinha, não faz verão”, já diz o velho ditado. É o que vemos na primeira leitura, foi no conjunto de ações e cada um assumindo seu papel para que a vitória se realizasse. Importante vermos que: Josué luta; Moisés reza; Aarão e Ur sustenta o braço e Moisés e com isso seu povo chega a vitória. Assim também somos nós em nossa família; em nossa comunidade, na paróquia…Cada um tem um papel a ser executado e precisamos entender o nosso papel e o dos que estão a nossa volta, pois do contrário ficamos mais de olho no que o outro está fazendo do que no que temos que fazer, certamente “a galinha do vizinho bota ovo amarelinho”.

 Isto será sempre um problema se não tivermos convicção de qual é o nosso papel, qual é a nossa vocação no mundo em que vivemos ai seremos sempre “Maria vai com as outras” ou ficamos querendo o que é dos outros. É interessante vermos na primeira leitura: Porque ganharam a batalha? Porque Moisés estava rezando? Ou porque Josué estava lutando? A batalha foi ganha porque cada um assumiu seu papel – Moisés rezou e Josué lutou. Não tem tarefa mais fácil o que tem é responsabilidade assumida e levada até as últimas conseqüências. Afinal temos em nossas mãos a maior arma de transformação do mundo: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, para argumentar, para corrigir e para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e qualificado para toda boa obra”.

É isso que Deus espera de nós. Somos membros de Seu corpo e temos uma missão e não importa qual é a sua, mas tem que levar até as últimas conseqüências. Por isso que São Paulo adverte Timóteo “proclama a palavra, insiste oportuna ou importunamente, argumenta, repreende, aconselha, com toda paciência e doutrina”. É papel de Timóteo como Bispo da Igreja e também é nosso, de evangelizar, de levar a Boa Nova a todas as pessoas, de anunciar, esta é nossa batalha, estamos em um campo de guerra, somos os saldados de Cristo temos um compromisso assumido, em nosso Batismo, de sermos anunciadores da Salvação, mas não podemos fazer sozinhos ou de qualquer forma temos que estar em comunhão com outras pessoas em uma comunidade para que juntos, cada um executando seu papel possa realizar uma grande vitória – a vitória da Cruz – na transformação de nossa sociedade.

Veja bem que coisa fantástica aconteceu em nossos dias à unidade dos Cristãos do Brasil mudou o rumo das eleições e inclusive mudou o discurso dos candidatos que agora não cansam de falar que são a favor da vida e que são religiosos e estão assistindo missa e são outras pessoas, principalmente a guerrilheira.

Temos que ser importuno se necessário for para anunciar a verdade evangélica e buscar a salvação para nossos irmãos que estão em caminhos tortuosos. Mas isso não pode ser feito de forma humana como se fossemos os construtores da história, não construímos a história sozinhos, mas somos parceiros de Deus que quis contar conosco nesta construção, por isso que “sem mim nada podeis fazer”. Aí vemos a força da oração, da persistência, da perseverança, conscientes que nada podemos sem a ajuda de Deus. Esperarmos d’Ele o momento correto para realizar o milagre da salvação. Isto quer na saúde, no emprego, na família, nas situações mais diversas de nossas vidas, Deus sempre está presente a espera nossa atitude de “orar sem cessar” na confiança que Seu amor prevalecerá. Somos o povo de Deus, membros de Sua família, herdeiros do Céu, mas muitas vezes nosso comportamento é de pessoas abandonadas, sem pai, sem teto, sem vínculo e assim nossa oração fica sem fruto, pois muitas vezes não oramos com convicção e fazemos uma oração derrotada, não cremos que o milagre de Deus vai acontecer, precisamos levantar a cabeça e clamar: “Senhor, eu creio, mas aumentai a minha fé” para que os milagres aconteçam e o mundo seja transformado pelo seu amor que nunca falha. “E Deus, não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por ele?”.

A fé move montanhas. A fé é o abandono em Deus de tal forma que não sou eu que faço é Deus que opera através de mim e comigo. Essa parceria é gloriosa.

 

Antonio Castro – ComDeus


 

PRIMEIRA LEITURA ( Ex 17,8-13)

Leitura do Livro do Êxodo.

Naqueles dias,

8os amalecitas vieram atacar Israel em Rafidim.

9Moisés disse a Josué:

“Escolhe alguns homens e vai combater

contra os amalecitas.

Amanhã estarei, de pé, no alto da colina,

com a vara de Deus na mão”.

10Josué fez o que Moisés lhe tinha mandado

e combateu os amalecitas.

Moisés, Aarão e Ur subiram ao topo da colina.

11E, enquanto Moisés conservava a mão levantada,

Israel vencia;

quando abaixava a mão, vencia Amalec.

12Ora, as mãos de Moisés tornaram-se pesadas.

Pegando então uma pedra,

colocaram-na debaixo dele para que se sentasse,

e Aarão e Ur, um de cada lado

sustentavam as mãos de Moisés.

Assim, suas mãos não se fatigaram até ao pôr do sol,

13e Josué derrotou Amalec e sua gente a fio de espada.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SALMO RESPONSORIAL 120(121)

(CD XII Fx 12)

 

Do Senhor é que me vem o meu socorro, do Senhor que fez o céu e fez a terra.

 

1. Eu levanto os meus olhos para os montes, de onde pode vir o meu socorro? “Do Senhor é que me vem o meu socorro, do Senhor que fez o céu e fez a terra!”

 

2. Ele não deixa tropeçarem os meus pés e não dorme quem te guarda e te vigia. Oh! Não, ele não dorme, nem cochila aquele que é o guarda de Israel!

 

3. O Senhor é o teu guarda, o teu vigia, é uma sombra protetora à tua direita. Não vai o sol durante o dia te ferir nem a lua, através de toda a noite.

 

4. O Senhor te guardará de todo o mal, ele mesmo vai cuidar da tua vida! Deus te guarda na partida e na chegada, ele te guarda, desde agora e para sempre.

 

SEGUNDA LEITURA (2Tm 3,14 – 4,2)

Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo.

Caríssimo,

14permanece firme naquilo que aprendeste

e aceitaste como verdade;

tu sabes de quem o aprendeste.

15Desde a infância conheces as Sagradas Escrituras:

elas têm o poder de te comunicar a sabedoria

que conduz à salvação pela fé em Cristo Jesus.

16Toda a Escritura é inspirada por Deus

e útil para ensinar, para argumentar,

para corrigir e para educar na justiça,

17a fim de que o homem de Deus seja perfeito

e qualificado para toda boa obra.

 4,1Diante de Deus e de Cristo Jesus,

que há de vir a julgar os vivos e os mortos,

e em virtude da sua manifestação gloriosa

e do seu Reino, eu te peço com insistência:

2proclama a palavra,

insiste oportuna ou importunamente,

argumenta, repreende, aconselha,

com toda paciência e doutrina.

.- Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(CD XII Fx 13)

Aleluia, aleluia, aleluia!

1. A Palavra de Deus é viva e eficaz. Vai ao mais íntimo de nossos corações!

 

EVANGELHO (Lc 18,1-8)

 

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

T. Glória a vós, Senhor.

 

P. Naquele tempo,

1Jesus contou aos discípulos uma parábola,

para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre,

e nunca desistir, dizendo:

2“Numa cidade havia um juiz que não temia a Deus,

e não respeitava homem algum.

3Na mesma cidade havia uma viúva,

que vinha à procura do juiz, pedindo:

 ‘Faze-me justiça contra o meu adversário!’

4Durante muito tempo, o juiz se recusou.

Por fim, ele pensou:

‘Eu não temo a Deus, e não respeito homem algum.

5Mas esta viúva já me está aborrecendo.

Vou fazer-lhe justiça,

para que ela não venha a agredir-me!’”

6E o Senhor acrescentou:

“Escutai o que diz este juiz injusto.

7E Deus, não fará justiça aos seus escolhidos,

que dia e noite gritam por ele?

Será que vai fazê-los esperar?

8Eu vos digo que Deus lhes fará justiça bem depressa.

Mas o Filho do Homem, quando vier,

será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?”

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.