26º Domingo do Tempo Comum – ano C

Combate o bom combate da fé, conquista a vida eterna. Muitas vezes vivemos a vida meio que despreocupados e nosso empenho em conquistar a vida eterna é muito débil. “Temos que ver pra crer” “temos que por a mão para sentir” e no tocante a vida eterna fica somente uma ideia em nossa cabeça que parece algo tão distante que a própria palavra de Jesus nos soa como um futuro tão distante que não precisamos nos preocupar, afinal o nosso hoje exige de nós muito empenho – trabalho, bens, alimentação, saúde e tantas outras coisas nos empatam o tempo que pensar em algo que transcende a vida é ter muito “luxo”.

No fundo a pessoa luta para esticar a vida… Regimes, academias, produtos ligth, diet… Buscando uma divinização de si, uma “eternidade” neste mundo, como se a vida fosse uma determinação pessoal que se controla o quanto se quer viver. Não quero dizer que não temos que cuidar da saúde, mas não podemos divinizar o corpo. E neste sentido tudo se torna relativo. Estamos vivendo em uma sociedade relativista que o “certo” se tornou a conveniência de cada um. A “moral” é uma forma de ver as coisas. O “prazer” é tirar proveito das coisas ou das pessoas. O “amor” é o egoísmo disfarçado de bom. A “amizade” é a intensidade do que me interessa. Enfim estamos em uma sociedade de ponta cabeça. E aqueles que querem ficar de cabeça pra cima são taxados de retrógados, antiquados, ortodoxos…

A Palavra de Deus não cansa de nos advertir para refletirmos mais sobre a eternidade e de como queremos chegar lá, mas isso parece somente um detalhe. Infelizmente até nas homilias vemos certo desinteresse. Se o mundo fosse mais consciente sobre a vida futura teríamos menos tragédia, menos corrupções, menos injustiça, perceberiam que este estágio que fazemos nesta terra nos trará um índice de aproveitamento que soará para toda eternidade. Vemos o caso de Lázaro e o homem rico. A começar que o pobre tem nome e o rico um adjetivo. O final dos dois foi definido pelas suas atitudes e condições com que se portaram neste mundo. O rico foi para o inferno por ser rico? Certamente que não, mas porque não soube usar dos talentos que recebeu de Deus para proporcionar o bem comum. E o Lázaro foi pro céu por que era pobre? Certamente que não, mas porque foi resignado em sua vida buscando ajuda para transformar sua condição e que nunca foi atendido. De outro lado vemos ai alguns ensinamentos de Jesus:

• Existe vida após a morte;

• Existem dois caminhos: Vida eterna ou suplício eterno;

• A sorte eterna é definida nesta vida a partir de nossos atos;

• Não existe mudança de condição após a morte;

• Não existe retorno para os que foram mesmo para “avisar” alguém. Então os que pensarem em invocação dos mortos estão invocando outra coisa.

• A Igreja é o caminho em que Deus nos alerta e nos ensina. Não existe outro caminho de instrução de Deus, a revelação já aconteceu e está na Igreja instituída por Jesus;

• Não existe reencarnação do contrário o rico iria se reencarnar e tudo estaria resolvido;

• A sorte eterna que foi escolhida pela pessoa é definitiva, ninguém muda de sorte após a morte;

• Não existe consolo para os que se perderam, estão apartados da graça;

• Quando o rico pede para que Lázaro avise sua família, não quer dizer que ele ficou “bonzinho”, mas que não quer que sua família tenha a mesma sorte que ele, pois desta forma sua aflição iria aumentar. Afinal o que ele deveria fazer aqui na terra não fez.

• Os que vão para Deus estão em uma felicidade sem limites;

• A eternidade não é um tempo e sim um estado de vida sem fim.

 

Bem, parece repetitivo, mas onde queremos chegar e como queremos viver a eternidade? Saiba que Deus não manda ninguém para o inferno a escolha é nossa, fruto de nossos atos. Somos responsáveis pelo que fazemos e isso foi uma graça recebida de Deus para participarmos livremente de seu amor. Por isso a vida é feita de opções que gera naturalmente suas conseqüências. Certamente que aqueles que buscam viver sua vida em uma amizade com Deus tem mais sabedoria para discernir os passos que deve ser dado e assim erra menos e tira uma “nota” mais positiva na prova final que é a morte. Cuide-se.

 

Antonio ComDeus

 


 

PRIMEIRA LEITURA (Am 6,1a.4-7)

Leitura da Profecia de Amós.

Assim diz o Senhor todo-poderoso:

1Ai dos que vivem despreocupadamente em Sião,

os que se sentem seguros nas alturas de Samaria!

4Os que dormem em camas de marfim,

deitam-se em almofadas,

comendo cordeiros do rebanho

e novilhos do seu gado;

5os que cantam ao som das harpas,

ou, como Davi, dedilham instrumentos musicais;

6os que bebem vinho em taças,

e se perfumam com os mais finos ungüentos

e não se preocupam com a ruína de José.

7Por isso, eles irão agora

para o desterro, na primeira fila,

e o bando dos gozadores será desfeito.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SALMO RESPONSORIAL 145(146) (melodia CD XII Fx 6)

 

Bendize, minh’alma, e louva o Senhor, e louva o Senhor!

 

1. O Senhor é fiel para sempre, faz justiça aos que são oprimidos; ele dá alimento aos famintos, é o Senhor quem liberta os cativos.

 

2. O Senhor abre os olhos aos cegos, o Senhor faz erguer-se o caído; o Senhor ama aquele que é justo, é o Senhor quem protege o estrangeiro.

 

3. Ele ampara a viúva e o órfão, mas confunde os caminhos dos maus. O Senhor reinará para sempre! Ó Sião, o teu Deus reinará para sempre e por todos os séculos!

 

SEGUNDA LEITURA (1 Tm 6,11-16)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo.

11Tu que és um homem de Deus,

foge das coisas perversas,

procura a justiça, a piedade, a fé,

o amor, a firmeza, a mansidão.

12Combate o bom combate da fé,

conquista a vida eterna,

para a qual foste chamado

e pela qual fizeste tua nobre profissão de fé

diante de muitas testemunhas.

13Diante de Deus, que dá a vida a todas as coisas,

e de Cristo Jesus,

que deu o bom testemunho da verdade

perante Pôncio Pilatos, eu te ordeno:

14guarda o teu mandato íntegro e sem mancha

até a manifestação gloriosa de nosso Senhor Jesus Cristo.

15Esta manifestação será feita no tempo oportuno

pelo bendito e único Soberano,

o Rei dos reis e Senhor dos senhores,

16o único que possui a imortalidade

e que habita numa luz inacessível,

que nenhum homem viu, nem pode ver.

A ele, honra e poder eterno. Amém.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

 

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia, aleluia.

 

Jesus Cristo, sendo rico, se fez pobre, por amor, para que sua pobreza nos, assim, enriquecesse.

 

EVANGELHO (Lc 16,19-31)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo, Jesus disse aos fariseus:

19“Havia um homem rico,

que se vestia com roupas finas e elegantes

e fazia festas esplêndidas todos os dias.

20Um pobre, chamado Lázaro, cheio de feridas,

estava no chão à porta do rico.

21Ele queria matar a fome

com as sobras que caíam da mesa do rico.

E, além disso, vinham os cachorros lamber suas feridas.

22Quando o pobre morreu,

os anjos levaram-no para junto de Abraão.

Morreu também o rico e foi enterrado.

23Na região dos mortos, no meio dos tormentos,

o rico levantou os olhos e viu de longe a Abraão,

com Lázaro ao seu lado.

24Então gritou: ‘Pai Abraão, tem piedade de mim!

Manda Lázaro molhar a ponta do dedo

para me refrescar a língua,

porque sofro muito nestas chamas’.

25Mas Abraão respondeu:

‘Filho, lembra-te que tu recebeste teus bens durante a vida

e Lázaro, por sua vez, os males.

Agora, porém, ele encontra aqui consolo

e tu és atormentado.

26E, além disso, há um grande abismo entre nós:

por mais que alguém desejasse,

não poderia passar daqui para junto de vós,

e nem os daí poderiam atravessar até nós’.

27O rico insistiu:

‘Pai, eu te suplico, manda Lázaro à casa do meu pai,

28porque eu tenho cinco irmãos.

Manda preveni-los, para que não venham também eles

para este lugar de tormento’.

29Mas Abraão respondeu:

‘Eles têm Moisés e os Profetas, que os escutem!’

30O rico insistiu:

‘Não, Pai Abraão,

mas se um dos mortos for até eles,

certamente vão se converter’.

31Mas Abraão lhe disse:

‘Se não escutam a Moisés, nem aos profetas,

eles não acreditarão,

mesmo que alguém ressuscite dos mortos’”.

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.