22º Domingo do Tempo Comum – ano C

Dia Nacional do Catequista

O centro da reflexão da liturgia deste final de semana é a “humildade”. Ninguém perde por ser humilde. Na primeira leitura vemos as “máximas” do livro do Eclesiástico que nos ensinam o melhor caminho a seguir diante da sociedade para ser uma pessoa de bem e acolhido pelos homens.

Este livro ganhou este título por ser usado na Igreja (Ecclésia) na formação dos jovens em preparação para a vida, mostrando como deve ser seu comportamento e seu trato com as pessoas para ser feliz diante dos homens e diante de Deus, infelizmente hoje não se dá o valor que o livro requer. Este livro é dividido por temas e seu nome original é Sirácidas. Podemos observar que cada versículo é uma máxima que pode ser lida separada das outras que não perde o sentido. Mas “Muitos são altaneiros e ilustres, mas é aos humildes que ele revela seus mistérios”. Esta é a chave para toda pessoa sensata. Se quiseres aproximar de seu Senhor e conhecer seus mistérios, pois tem “Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou (Is 64,4), tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (ICor 2, 9). Busque a humildade, pois ninguém foi mais humilde que o próprio Deus.

Observando o evangelho, podemos muitas vezes fazer esta mesma observação em reuniões; festa que proporcionamos; almoço em que se reúnem os familiares, as coisas se repetem. É o que Jesus observou naquele jantar e nós também observamos em nosso meio. Quantas vezes os parentes querem medir forças mostrando que progrediram na vida, mostrando seus bens, suas capacidades, gera até uma concorrência familiar ou social onde surgem as fofocas, as maledicências, as invejas e aqueles que por um motivo ou outro não “cabe” nos conceitos dos mais abastados são discriminados e deixados de lado ou tratados como “coitados” e isto até mesmo de forma inconsciente ou não. Isto não leva crescimento a ninguém e pode até haver rompimento entre as pessoas e alguns se afastarem por ser tratado de forma discriminatória. Não quero dizer e Jesus também não o diz que não devemos progredir e procurar sucesso em nossa vida social, profissional… Mas não podemos deixar o nosso progresso passar a frente do amor ao próximo. Devemos também fazer a distinção entre fazer caridade e participar de reuniões e festas em que somos convidados. É o que Jesus nos fala: ”Quando tu fores convidado para uma festa de casamento, não ocupes o primeiro lugar”. Isto quer dizer coloque-se diante das pessoas com humildade, não deixe à soberba entrar em seu coração e querer ter a atenção de todos, seja humilde, isto é, seja “um com todos”.

Agora se queres dar um passo em sua vida e ser mais humilde ainda caminhando na perfeição à semelhança de seu Deus, pratique a caridade. Dê uma festa aos pobres, traga-os para dentro de sua casa e ofereça algo que jamais a vida lhes dará, aí sim – “Então tu serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos”. A caridade é o que mais nos aproxima de Deus e é o que vai ser contado no último dia, “porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes”. (MT 25, 35).

O ensinamento de Jesus para nós é “Dou-vos um novo mandamento: Amai-vos uns aos outros. Como eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros”. (Jo 13, 34). Quem ama como Deus não erra.

A Palavra de Deus também nos diz: “Bens e males, vida e morte, pobreza e riqueza vêm de Deus”. (Eclesiástico 11,14). Deus nos dá tudo o que precisamos para construirmos Seu Reino e a cada um capacita e favorece para exercer sua missão, desta forma o rico tem um papel importante de ser gerador de comunhão, partilha, integração… É a pessoa em que Deus, deposita sua confiança para formar uma sociedade aos moldes do evangelho, não que Deus não conte com todos, mas como o poder financeiro está nas mãos dos ricos eles têm a maior responsabilidade na condução da vida social, na geração de vida entre o povo na sociedade. Precisamos evangelizar os ricos para que entenda seu papel, afinal não é rico por acaso.

Reflitamos sobre a proposta de Jesus e caminhemos na humildade e seremos felizes.

 

 

Antonio ComDeus

 


 

PRIMEIRA LEITURA (Eclo 3,19-21. 30-31)

Leitura do Livro do Eclesiástico.

19Filho, realiza teus trabalhos com mansidão e serás amado mais do que um homem generoso. 20Na medida em que fores grande, deverás praticar a humildade, e assim encontrarás graça diante do Senhor. Muitos são altaneiros e ilustres, mas é aos humildes que ele revela seus mistérios. 21Pois grande é o poder do Senhor, mas ele é glorificado pelos humildes. 30Para o mal do orgulhoso não existe remédio, pois uma planta de pecado está enraizada nele, e ele não compreende. 31O homem inteligente reflete sobre as palavras dos sábios, e com ouvido atento deseja a sabedoria.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SALMO RESPONSORIAL67(68)

(CD XII fx 3)

 

Com carinho preparastes uma mesa para o pobre.

 

1. Os justos se alegram na presença do Senhor, rejubilam satisfeitos e exultam de alegria. Cantai a Deus, a Deus louvai, cantai um salmo a seu nome! O Seu nome é Senhor: exultai diante dele!

 

2. Dos órfãos ele é Pai e das viúvas protetor; é assim o nosso Deus em sua santa habitação. É o Senhor quem dá abrigo, dá um lar aos deserdados, quem liberta os prisioneiros e os sacia com fartura.

 

3. Derramastes, lá do alto, uma chuva generosa e vossa terra, vossa herança, já cansada renovastes e ali vosso rebanho encontrou sua morada; com carinho preparastes essa terra para o pobre.

 

SEGUNDA LEITURA

(Hb 12, 18-19.22-24a)

Leitura da Carta aos Hebreus.

 

Irmãos: 18Vós não vos aproxi­mastes de uma realidade palpável: “fogo ardente e escuridão, trevas e tempestade, 19som da trombeta e voz poderosa”, que os ouvintes suplicaram não continuasse. 22Mas vós vos aproximastes do monte Sião e da cidade do Deus vivo, a Jerusalém celeste; da reunião festiva de milhões de anjos; 23da assembléia dos primogênitos, cujos nomes estão escritos nos céus; de Deus, o Juiz de todos; dos espíritos dos justos, que chegaram à perfeição; 24de Jesus, mediador da nova aliança.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

 

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!

Tomai meu jogo sobre vós e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração.

 

EVANGELHO (Lc 14,1.7-14)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

T. Glória a vós, Senhor.

 

P. 1Aconteceu que, num dia de sábado, Jesus foi comer na casa de um dos chefes dos fariseus. E eles o observavam. 7Jesus notou como os convidados escolhiam os primeiros lugares. Então contou-lhes uma parábola: 8”Quando tu fores convidado para uma festa de casamento, não ocupes o primeiro lugar. Pode ser que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu, 9e o dono da casa, que convidou os dois, venha te dizer: ‘Dá o lugar a ele’. Então tu ficarás envergonhado e irás ocupar o último lugar. 10Mas, quando tu fores convidado, vai sentar-te no último lugar. Assim, quando chegar quem te convidou, te dirá: ‘Amigo, vem mais para cima’. E isto vai ser uma honra para ti diante de todos os convidados. 11Porque quem se eleva, será humilhado e quem se humilha, será elevado”. 12E disse também a quem o tinha convidado: “Quando tu deres um almoço ou um jantar, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem teus vizinhos ricos. Pois estes poderiam também convidar-te e isto já seria a tua recompensa. 13Pelo contrário, quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. 14Então tu serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos.”

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.