21º Domingo do Tempo Comum – ano C

O povo que Deus escolheu para se manifestar são os descendentes de Abraão que é o povo de Israel o qual chamamos de Judeus, mas por uma graça de Deus uma parte deste povo não aceitou a pessoa de Cristo e com isso fomos privilegiados em participar deste anúncio, “11 Pergunto ainda: Tropeçaram acaso (os Judeus) para cair? De modo algum. Mas sua queda, tornando a salvação acessível aos pagãos, incitou-os à emulação. 17 Se alguns dos ramos foram cortados, e (…) tu, oliveira selvagem, foste enxertada em seu lugar e agora recebes seiva da raiz da oliveira…”. (Rom 11, 11.17).

Certamente isto era plano de Deus, por isso que Jesus fala no evangelho: “Virão homens do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no Reino de Deus”. Desta forma o evangelho veio até nós e fomos inseridos no Reino e pelo Batismo tomamos parte nesta família – o Povo de Deus. Já que fazemos parte temos muitas obrigações.

Na primeira leitura já nos mostra que somos “mensageiros” enviados a terras distantes para anunciar o evangelho e conduzir o povo para a “Cidade Santa – Jerusalém”. Esta cidade não é necessariamente a cidade geográfica, mas a cidade eterna a “Jerusalém Celeste”, assim somos todos convocados a implantar o Reino de Deus e conduzir seu povo. “Esses enviados anunciarão às nações minha glória, e reconduzirão, de toda parte, até meu santo monte em Jerusalém…”. Se fomos elevados ao grau de filhos de Deus somos tratados como filhos e herdeiros, assim Deus nos quer educar para fazermos Sua vontade e neste caso temos que estar preparados para receber d’Ele suas correções, certamente que isso varia muito de pessoa para pessoa, pois se o filho é mais obediente, prestativo, atento a voz do Pai, sensível nas coisas que o cerca… Sofrerá menos e terá mais êxito em sua jornada, ao passo que os rebeldes, os intransigentes… Terão mais problemas, pois sofrerão as correções necessárias para chegarem a corresponder ao titulo que possuem de “Filhos do Pai” criador de todas as coisas. Por isso que Jesus nos fala: “Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão”. Este ponto é crucial na vida dos cristãos, muitos querem levar uma vida religiosa – com práticas religiosas, mas seu testemunho, sua forma de viver não condiz com a fé que tenta demonstrar. A fé e a vida acabam sendo contraditórias. A fé nos leva ao amor aos irmãos, mas que irmãos? Somente os pobres, miseráveis? Sim, também eles os quais devemos por obrigação sermos generosos e auxiliarmos em suas necessidades, mas isso também cabe a todas as áreas de nossa vida como: no trabalho; na empresa; no trato com as pessoas, no comércio; nos negócios realizados… Em todas as nossas atividades temos que dar testemunho de quem somos e isto em última analise – somos Filhos de Deus. De outro lado podemos ser surpreendidos como uma palavra que irá ressoar por toda a eternidade “Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça!”. Ser chamado de filho de Deus é fazer a escolha de entrar pela porta estreita, mas isto não é sinônimo de infelicidade, de prisão, de pressão exercida por Deus a nós, mas de comunhão com Deus, de buscarmos a perfeição como ser e de sentar ao lado de Deus como herdeiro do Céu.

Somos filhos, temos que cuidar das coisas de nossa casa, para isso não estamos sozinhos o Espírito Santo está em nós para nos auxiliar nesta empreitada e nos fortalecer para atingirmos nossa missão, assim mesmo que em certas horas sentirmos fracos, desanimados e o peso estiver muito grande sobre nossos ombros, busquemos o que nos fala a Palavra: “Portanto, ‘firmai as mãos cansadas e os joelhos enfraquecidos; acertai os passos dos vossos pés’, para que não se extravie o que é manco, mas antes seja curado”. E possamos ser ofertas agradáveis ao nosso Pai e “como os filhos (…), levarão sua oferenda em vasos purificados para a casa do Senhor”.

O Senhor faz todo esforço para nos formar como filhos, herdeiros, capacitados para toda boa obra.

Busquemos isso e encontraremos a plena felicidade.

 

 

Antonio ComDeus

 


 

PRIMEIRA LEITURA (Is 66, 18-21)

Leitura do Livro do Profeta Isaías.

Assim diz o Senhor: 18“Eu que conheço suas obras e seus pensamentos, virei para reunir todos os povos e línguas; eles virão e verão minha glória. 19Porei no meio deles um sinal, e enviarei, dentre os que foram salvos, mensageiros para os povos de Tarsis, Fut, Lud, Mosoc, Ros, Tubal e Javã, para as terras distantes, e, para aquelas que ainda não ouviram falar em mim e não viram minha glória. Esses enviados anunciarão às nações minha glória, 20e reconduzirão, de toda parte, até meu santo monte em Jerusalém, como oferenda ao Senhor, irmãos vossos, a cavalo, em carros e liteiras, montados em mulas e dromedários, – diz o Senhor – e como os filhos de Israel, levarão sua oferenda em vasos purificados para a casa do Senhor. 21Escolherei dentre eles alguns para serem sacerdotes e levitas, diz o Senhor”.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SALMO RESPONSORIALSl 116(117)

(CD XII Fx. 2)

 

Proclamai o Evangelho a toda criatura! (bis)

 

1- Cantai louvores ao Senhor, todas as gentes, povos todos, festejai-o!

2- Pois comprovado é seu amor para conosco, para sempre ele é fiel!

 

SEGUNDA LEITURA (Hb 12,5-7.11-13)

Irmãos: 5Já esquecestes as palavras de encorajamento que vos foram dirigidas como a filhos: “Meu filho, não desprezes a educação do Senhor, não desanimes quando ele te repreende; 6pois o Senhor corrige a quem ele ama e castiga a quem aceita como filho”. 7É para a vossa educação que sofreis, e é como filhos que Deus vos trata. Pois qual é o filho a quem o pai não corrige? 11No momento mesmo, nenhuma correção parece alegrar, mas causa dor. Depois, porém, produz um fruto de paz e de justiça para aqueles que nela foram exercitados. 12Portanto, “firmai as mãos cansadas e os joelhos enfraquecidos; 13acertai os passos dos vossos pés”, para que não se extravie o que é manco, mas antes seja curado.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

 

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!

Eu sou o Caminho, a Verdade e Vida; ninguém chega ao Pai senão por mim!

 

EVANGELHO (Lc 13,22-30)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo: 22Jesus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém. 23Alguém lhe perguntou: “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?” Jesus respondeu: 24“Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão. 25Uma vez que o dono da casa se levantar e fechar a porta, vós, do lado de fora, começareis a bater, dizendo: ‘Senhor, abre-nos a porta!’ Ele responderá: ‘Não sei de onde sois’. 26Então começareis a dizer: ‘Nós comemos e bebemos diante de ti, e tu ensinaste em nossas praças!’ 27Ele, porém, responderá: ‘Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça!’ 28Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaac e Jacó, junto com todos os profetas no reino de Deus, e vós, porém, sendo lançados fora. 29Virão homens do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no Reino de Deus. 30E assim há últimos que serão primeiros, e primeiros que serão últimos”. – Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.