18º Domingo do Tempo Comum – ano C

“Onde está o seu coração aí está o seu deus”.

A liturgia de hoje nos convida a olhar com muita sinceridade “quem é o nosso Deus”. Muitas vezes estamos tão absorvidos pelos compromissos da vida, com tantos ideais e uma luta diária de vencer, de construir, de fazer algo para mostrar a esta sociedade capitalista selvagem que somos e que podemos que nos enrolamos todo no conceito do que é a vida. No fundo nem sabemos por que estamos aqui.

Nossa sociedade exige que sejamos bons, temos que ser os melhores, tirar o primeiro lugar: no trabalho, na escola, na família, em fim somos cobrados para produzirmos algo que faça a diferença no meio social.

Afinal isso é bom ou ruim?

Temos que ver o plano de Deus para o homem, para podermos entender o que devemos fazer em e com nossas vidas. Primeiramente tudo neste mundo passa, a vida tem um termo final e depois vem a eternidade. Então o que importa é a eternidade? Este “mundo” tem que se deixar pra lá? Temos que desprezar? Não serve pra nada? Vimos na primeira leitura que o Eclesiastes não encontra nada de interessante e tudo é pura vaidade. Certamente só encontraremos resposta para tudo na vida se incluirmos Deus nesta reflexão, do contrário a vida seria um grande absurdo como muitos filósofos já concluíram. Por isso que São Pulo vai nos mostrar o caminho – “esforçai-vos por alcançar as coisas do alto… Aspirai às coisas celestes e não às coisas terrestres”. Puxa então devemos esforçar pelas coisas do alto e devemos rejeitar as coisas da terra? Certamente que não. Somos seres humanos e a terra foi dada por Deus ao homem para que pudesse “reinar” sobre a face da terra (Gn 1, 26). Deus criou o universo para o homem, mas então onde esta o problema?

O Mundo foi criado para o homem, mas o homem foi criado para Deus. Então tudo o que o homem fizer tem que ser direcionado para Deus. Não só direcionado, mas partilhado e participado em Deus e com Deus. Deus não é um ser distante que esta nos “olhando” do céu e vendo de longe o que estamos fazendo para depois nos cobrar. Não. Ele esta conosco e mora em nós e quer que juntos construamos um mundo bonito lindo à imagem de seu Reino. Por isso que Jesus no inicio de sua vida publica disse: “O reino de Deus está no meio de vós”. O problema é que em nossos atos e atitudes não colocamos Deus em primeiro lugar, ignoramos a Deus. Sabemos que Ele existe, Cremos n’Ele, mas vivemos como se nós fossemos o “senhor” de nossas vidas e muitas vezes queremos mostrar que “tudo” podemos, como se fossemos deus. Na maioria das vezes só lembramos d’Ele quando as coisas ficam “feias” e não temos como resolver.

Devemos fazer um “pit stop” em nossas vidas e colocar as coisas em seu lugar para podermos viver bem dando uma resposta a nossa própria existência. Pra isso temos que ter a consciência: • Não somos Deus; • Não somos nossos próprios criadores; • A vida neste mundo acaba; • Nada de material levamos daqui; • Apenas plantamos para outros colherem; • A minha felicidade na vida futura depende dos meus atos na vida presente; • Semeia aqui para colher na eternidade; • Não dei inicio a minha vida e nem determino o fim natural dela. Quando temos consciência destas verdades começo a perceber que São Paulo tem razão – “esforçai-vos por alcançar as coisas do alto… Aspirai às coisas celestes e não às coisas terrestres”. Como alcançar as coisas do alto? Vivendo intensamente esta vida em todas as suas áreas – trabalho, família, escola, passeio, alimentação, compromisso sociais. Em fim tudo o que fizermos e todos os ideais de vida que tivermos que seja canalizado em favor do bem comum e para a glória de Deus, assim estaremos construindo um mundo cada vez melhor e justificando a importância de nossa existência neste mundo. Afinal “ninguém caiu aqui de pára-quedas” viemos aqui por um propósito de Deus e este á para “amar e servir” como Ele assim o fez.

Do contrário tudo é vaidade.

Fiquemos na Paz e com a disposição de construir um mundo muito bonito para Deus e para os nossos pósteros.

 

Antonio ComDeus


 

PRIMEIRA LEITURA (Ecl 1, 2; 2, 21-23)

 

Leitura do Livro do Eclesiastes.

 

2“Vaidade das vaidades, diz o Eclesiastes, vaidade das vaidades! Tudo é vaidade”. 2,21Por exemplo: um homem que trabalhou com inteligência, competência e sucesso, vê-se obrigado a deixar tudo em herança a outro que em nada colaborou. Também isso é vaidade e grande desgraça. 22De fato, que resta ao homem de todos os trabalhos e preocupações que o desgastam debaixo do sol? 23Toda a sua vida é sofrimento, sua ocupação, um tormento. Nem mesmo de noite repousa o seu coração. Também isso é vaidade.

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SALMO RESPONSORIAL89(90)

(CD XI – Fx 21)

 

Vós fostes, ó Senhor, um refúgio para nós! (bis)

 

1. Vós fazeis voltar ao pó todo mortal, quando dizeis: “Voltai ao pó, filhos de Adão!” Pois mil anos para vós são como ontem, qual vigília de uma noite que passou.

 

2. Eles passam como o sono da manhã, são iguais à erva verde pelos campos: De manhã, ela floresce vicejante, mas vem a tarde, é cortada e fica seca.

 

3. Ensinai-nos a contar os nossos dias, e dai ao nosso coração sabedoria! Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis? Tende piedade e compaixão de vossos servos!

 

4. Saciai-nos, de manhã, com vosso amor e exultaremos de alegria, todo o dia! Que a bondade do Senhor e nosso Deus repouse sobre nós e nos conduza!

 

SEGUNDA LEITURA (Cl 3, 1-5.9-11)

 

Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses

 

Irmãos: 1Se ressuscitastes com Cristo, esforçai-vos por alcançar as coisas do alto, onde está Cristo, sentado à direita de Deus; 2aspirai às coisas celestes e não às coisas terrestres. 3Pois vós morrestes, e a vossa vida está escondida, com Cristo, em Deus. 4Quando Cristo, vossa vida, aparecer em seu triunfo, então vós aparecereis também com ele, revestidos de glória. 5Portanto, fazei morrer o que em vós pertence à terra: imoralidade, impureza, paixão, maus desejos e a cobiça, que é idolatria. 9Não mintais uns aos outros. Já vos despojastes do homem velho e da sua maneira de agir 10e vos revestistes do homem novo, que se renova segundo a imagem do seu Criador, em ordem ao conhecimento. 11Aí não se faz distinção entre grego e judeu, circunciso e incircunciso, inculto, selvagem, escravo e livre, mas Cristo é tudo em todos. 

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

EVANGELHO (Lc 12,13-21)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

T. Glória a vós, Senhor.

 

P. Naquele tempo, 13alguém, do meio da multidão, disse a Jesus: “Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo”. 14Jesus respondeu: “Homem, quem me encarregou de julgar ou de dividir vossos bens?” 15E disse-lhes: “Atenção! Tomai cuidado contra todo tipo de ganância, porque, mesmo que alguém tenha muitas coisas, a vida de um homem não consiste na abundância de bens”. 16E contou-lhes uma parábola: “A terra de um homem rico deu uma grande colheita. 17Ele pensava consigo mesmo: ‘O que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita’. 18Então resolveu: ‘Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens. 19Então poderei dizer a mim mesmo: Meu caro, tu tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, aproveita!’ 20Mas Deus lhe disse: ‘Louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida. E para quem ficará o que tu acumulaste?’ 21Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus”

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.