17º Domingo do Tempo Comum – ano C

Nossa vida de fé, na maioria das vezes anda de ponta cabeça. Por que digo isso. Muitas vezes nossa busca de Deus é somente fruto de interesses pessoais – precisamos resolver um problema, estamos com doença, temos dividas a pagar, etc, etc ,etc… E corremos atrás de Deus como se Ele fosse o responsável e buscamos a todo custo que Ele supra nossas necessidades.

Neste momento temos que parar e perguntar: O que é Deus para mim? O que Ele representa em minha vida? E não adianta fazer respostas prontas como: Ele é tudo em minha vida! Ou Sem Ele não sou nada!… Temos que olhar em nossa vida, na forma com que vivemos o evangelho, em nosso testemunho diário, digo ainda mais – o quanto estamos disposto a entregar nossas vidas ao Senhor em favor de um irmão necessitado?

Irmãos, na segunda leitura o Apóstolo Paulo nos fala que – “vós estáveis mortos por causa dos vossos pecados” e “Existia contra nós uma conta a ser paga, mas ele a cancelou, apesar das obrigações legais, e a eliminou, pregando-a na cruz”. Essa é a maior verdade. Estávamos mortos, isto é, estávamos destinados e perdição eterna, ao inferno, para longe de Deus eternamente, mas Cristo nos resgatou. Se fomos resgatados por Cristo então nossa vida a Ele pertence, mas o que fazemos então se nosso relacionamento com Ele é de busca de favores em troca de nossa permanência em sua vida? Neste sentido temos que olhar o papel de Abraão que se coloca ao lado de Deus e se humilha e dialoga como a um amigo e segue seus passos e vai intercedendo pelo povo. Abraão faz comunhão com Deus em favor dos necessitados, dos que estão desprovidos da graça e nesta comunhão de vida de Abraão com Deus sua intercessão é sempre ouvida, mesmo que pareça impertinente, Deus se alegra com o amor que Abraão tem pelo povo. Esse deveria ser nosso papel – formar comunhão com Deus – foi Ele que nos chamou a viver em sua amizade, Ele nos elevou ao grau de amigo e muitas vezes não entendendo isso ficamos tratando Deus como um fazedor de favores. Sabe por que agimos assim? Porque nos falta o Espírito Santo. É o que nos diz o evangelho “Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!” É isso mesmo. Uma coisa só nos falta, uma coisa só nos basta – O Espírito Santo – Por isso o Senhor nos diz: “pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. Pois quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá”. Aí sim, de posse do Espírito Santo, conduzido pelo Paráclito saberemos cultivar uma amizade com Deus e o único interesse será o bem de nossos irmãos, mas não é só ter o Espírito Santo, todos os batizados O tem. Mas precisamos nos deixar ser conduzidos por Ele, isso é um Pentecostes, pensemos no que aconteceu com aqueles homens que foram cheios do Espírito naquela festa, saíram destemidamente a anunciar a salvação aos irmãos ao ponto que um discurso de Pedro converteu três mil homens.

Nós precisamos de um encontro pessoal com o Espírito Santo, como os apóstolos, de uma efusão, para que, conduzidos pelo Espírito possamos comungar uma vida plena com Deus, só assim seremos amigos de Deus e, sendo discípulos seremos missionários para implantar o Reino de Deus que começa aqui e que é de nossa responsabilidade implantar. Assim nossa oração terá fruto, como a de Abraão, mesmo que certas horas pareçam impertinentes, estaremos em comunhão com Deus em seu projeto de salvação dos homens. O Senhor não quer um bando de marmanjos correndo atrás d’Ele querendo coisas frívolas que atendam seus caprichos, mas de homens e mulheres que, de posse do Espírito Santo, sejam maduros em sua missão e como bom despenseiros construam o Seu Reino.

Irmão e irmã, você foi chamado (a) a ser um amigo de Deus. Olhar o mundo com os olhos de Deus, ver os problemas diários com os olhos de Deus, tomar atitudes como o próprio Deus tomaria, servir o irmão como o Senhor nos serviu, ser humilhado, mal tratado, incompreendido, rejeitado como o Senhor foi. E tudo por causa de uma só coisa a salvação do irmão.

Muitas vezes, não atendemos bem o chamado de Cristo em nossas vidas, e achamos que é para viver uma vida de bonança, mas não é, é para sermos como Cristo – dar a vida pela salvação do outro.

Peça ao Espírito Santo que te dê uma grande efusão e tudo será novo, não mais fácil, mas mais gratificante porque estará realizando o plano de Deus no mundo.

 

Fique na paz.

 

Antonio ComDeus


 

PRIMEIRA LEITURA (Gn 18,20-32)

 

Leitura do Livro do Gênesis

 

Naqueles dias, 20o Senhor disse a Abraão: “O clamor contra Sodoma e Gomorra cresceu, e agravou-se muito o seu pecado. 21Vou descer para verificar se as suas obras correspondem ou não ao clamor que chegou até mim”. 22Partindo dali, os homens dirigiram-se a Sodoma, enquanto Abraão ficou na presença do Senhor. 23Então, aproximando-se, disse Abraão: “Vais realmente exterminar o justo com o ímpio? 24Se houvesse cinqüenta justos na cidade, acaso irias exterminá-los? Não pouparias o lugar por causa dos cinqüenta justos que ali vivem? 25Longe de ti agir assim, fazendo morrer o justo com o ímpio, como se o justo fosse igual ao ímpio. Longe de ti! O juiz de toda a terra não faria justiça?” 26O Senhor respondeu: “Se eu encontrasse em Sodoma cinqüenta justos, pouparia por causa deles a cidade inteira”. 27Abraão prosseguiu dizendo: “Estou sendo atrevido em falar a meu Senhor, eu que sou pó e cinza. 28Se dos cinqüenta justos faltassem cinco, destruirias por causa dos cinco a cidade inteira?” O Senhor respondeu: “Não destruiria, se achasse ali quarenta e cinco justos”. 29Insistiu ainda Abraão e disse: “E se houvesse quarenta?” Ele respondeu: “Por causa dos quarenta, não o faria”. 30Abraão tornou a insistir: “Não se irrite o meu Senhor, se ainda falo. E se houvesse apenas trinta justos?”. Ele respondeu: “Também não o faria, se encontrasse trinta”. 31Tornou Abraão a insistir: “Já que me atrevi a falar a meu Senhor, e se houver vinte justos?” Ele respondeu: “Não a iria destruir por causa dos vinte”. 32Abraão disse: “Que o meu Senhor não se irrite, se eu falar só mais uma vez: e se houvesse apenas dez?” Ele respondeu: “Por causa dos dez, não a destruiria”.

 

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

SALMO RESPONSORIALSl 137(138)

 

Naquele dia em que gritei, * vós me escutastes, ó Senhor! (bis)

 

1. Ó Senhor, de coração eu vos dou graças, porque ouvistes as palavras dos meus lábios!

• Perante os vossos anjos vou cantar-vos e ante o vosso templo vou prostrar-me.

2. Eu agradeço vosso amor, vossa verdade, porque fizestes muito mais que prometestes;

• Naquele dia em que gritei, vós me escutastes e aumentastes o vigor da minha alma.

3. Altíssimo é o Senhor, mas olha os pobres e de longe reconhece os orgulhosos.

• Se no meio da desgraça eu caminhar, vós me fazeis voltar à vida novamente.

4. Vós me estendeis o vosso braço e me ajudais e com vossa mão direita me salvais.

• Eu vos peço: não deixeis inacabada esta obra que fizeram vossas mãos!

 

SEGUNDA LEITURA (Cl 2,12-14)

 

Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses

 

Irmãos: 12Com Cristo fostes sepultados no batismo; com ele também fostes ressuscitados por meio da fé no poder de Deus, que ressuscitou a Cristo dentre os mortos.13Ora, vós estáveis mortos por causa dos vossos pecados, e vossos corpos não tinham recebido a circuncisão, até que Deus vos trouxe para a vida, junto com Cristo, e a todos nós perdoou os pecados. 14Existia contra nós uma conta a ser paga, mas ele a cancelou, apesar das obrigações legais, e a eliminou, pregando-a na cruz.

 

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

 

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!

Recebestes o Espírito de adoção: é por ele que clamamos: Aba, Pai!

 

EVANGELHO (Lc 11,1-13)

 

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

T. Glória a vós, Senhor.

 

P. 1Jesus estava rezando num certo lugar. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”.2Jesus respondeu: “Quando rezardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. 3Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos, 4e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação’”. 5E Jesus acrescentou: “Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: ‘Amigo, empresta-me três pães, 6porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’, 7e se o outro responder lá de dentro: ‘Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães’; 8eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário. 9Portanto, eu vos digo: pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. 10Pois quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá. 11Será que algum de vós que é pai, se o filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? 12Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? 13Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!”

 

– Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.