11º Domingo do Tempo Comum – ano C

Impressionante vermos o que a pessoa humana é capaz e o quanto o pecado desfigura o homem. Davi, um escolhido de Deus para comandar o povo de Israel se deixa levar por uma paixão e comete um assassinato para tomar a esposa de Urias como sua mulher. Quando vemos uma cena como esta podemos perguntar: Por que Deus não escolheu uma pessoa mais santa e capaz de ser fiel a Ele? Capaz de não cometer tal absurdo sendo um ungido? Será que Deus escolheu a pessoa errada? Ou não tinha nada melhor para Deus escolher? Certamente são muitas as perguntas que podemos elaborar, mas qual é a pedagogia de Deus em escolher pessoas para seu projeto no meio dos homens? No dito popular já dizemos “Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos”. Certo e errado ao mesmo tempo, pois Davi foi o escolhido, mas não era tão capacitado assim, pois se tornou um assassino para favorecer a si mesmo. Então como ver essa situação aos olhos de Deus? Deus, em sua infinita sabedoria, sempre escolhe os fracos para confundir os fortes e sempre é sua glória que tem que prevalecer, não necessariamente para mostrar que é poderoso, mas para mostrar que Ele tudo faz para aproximar de seus filhos e mostrar seu amor. Mas nunca deixa seus filhos permanecerem nos erro, sempre busca levá-los a um encontro mais íntimo com Ele, foi o que aconteceu com Davi, diante da barbaridade causada por ele, Deus aproximou-se através do profeta Natã e o levou a reconhecer seu erro e diante de seu arrependimento Deus o acolhe, o perdoa.

Mas essa moeda tem outro lado. E aqui temos que dar uma pausa e fazer uma reflexão sobre o que é o pecado e o que é a pena do pecado. O pecado é perdoado por Deus à partir do arrependimento e da participação no sacramento da confissão, mas a pena do pecado é de nossa responsabilidade, temos que colocar em ordem o mal que provocamos, certamente que com a graça de Deus, pois somos incapazes recuperar todo mal que fazemos com nossos pecados, mas compete a nós nos esforçarmos para colocar em ordem o que causamos, somos responsáveis pelos nossos atos. Desta forma Davi sofreu as conseqüências de seu pecado.

 

Quando Paulo nos fala que somos justificados pela fé em Jesus, é justamente para termos a consciência que não recebemos a salvação por sermos bons ou por fazer as “coisas” tudo certinho, mas que a salvação é gratuita e fruto do amor de Deus por nós. Ninguém se salva por força de suas obras ou méritos, assim sempre será a ação da graça de Deus em nós que nos recupera de toda queda e nos impulsiona a seguir no caminho de santidade. A salvação é de graça, mas a santificação é fruto de nossos esforços de vencer nossas limitações e contando com a graça de Deus para nos fortalecer nessa empreitada.

 

Assim, duas coisas, Deus quer ver em nós: O reconhecimento de Sua divindade e o abandono sincero em Seu amor. Isso gera em nós os efeitos da salvação que nos leva a caminhar na santidade e na intimidade com o Senhor como filhos e herdeiros do Reino que Ele trouxe até nós. É a vivência do amor ao próximo.

 

Nesse sentido temos que nos sentir alegres quando no evangelho o Senhor fala que “quanto mais se perdoa mais se ama”. Que bom quando acusamos os nossos pecados e reconhecemos que ofendemos a Deus, melhor ainda se não for só por remorso, por medo, mas sim por ter machucado, maculado o relacionamento de amizade com Deus e chegar ao arrependimento sincero. Deus se alegra e a libertação acontece na vida da pessoa, Ele quer que participemos plenamente de Seu amor. Muitas vezes falamos dos “pecadinhos de estimação”, são esses que nos dá remorso, mas não um arrependimento sincero por isso que sempre voltamos a pecar.

 

Temos que buscar um encontro pessoal com Jesus. Vejamos que Simão preparou para Jesus uma armadilha. As pessoas não permitem entrar, em suas casas, prostitutas, ainda mais com uma visita tão ilustre. Dá-se a impressão que foi tudo preparado para pegar Jesus, mas o tiro saiu pela culatra, À mulher ao aproximar de Jesus teve um encontro pessoal com Ele e se derramou em lágrimas chorando por seus pecados e Simão, o anfitrião, que também estava na presença de Jesus não foi beneficiado, pois suas intenções eram outras.

Assim, não basta conhecer Jesus temos que ter um encontro pessoal com Ele, reconhecê-lo como Senhor e Salvador e acusar nossos pecados para que sejamos purificados, lavados e podermos permanecer com Ele em todos os momentos de nossa vida e ai sim encontrarmos a felicidade.

 

Ser feliz é estar na intimidade com o Senhor como coração purificado pelo Seu amor. Somente o pecado pode desestruturar a nossa vida.

 

Antonio ComDeus

 


 

 

PRIMEIRA LEITURA (2Sm 12,7-10.13)

Leitura do Segundo Livro de Samuel.

 

Naqueles dias, 7.Natã disse então a Davi: Tu és esse homem. Eis o que diz o Senhor Deus de Israel: ungi-te rei de Israel, salvei-te das mãos de Saul, 8.dei-te a casa do teu senhor e pus as suas mulheres nos teus braços. Entreguei-te a casa de Israel e de Judá e, se isso fosse ainda pouco, eu teria ajuntado outros favores. 9.Por que desprezaste o Senhor, fazendo o que é mau aos seus olhos? Feriste com a espada Urias, o hiteu, para fazer de sua mulher a tua esposa, e o fizeste perecer pela espada dos amonitas. 10.Por isso, jamais se afastará a espada de tua casa, porque me desprezaste, tomando a mulher de Urias, o hiteu, para fazer dela a tua esposa. 13.Davi disse a Natã: Pequei contra o Senhor. Natã respondeu-lhe: O Senhor perdoa o teu pecado; não morrerás.

 

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

 

SALMO RESPONSORIAL 31(32) (CD XI Fx 11)

 

Eu confessei, afinal, meu pecado e perdoastes, Senhor, minha falta!

 

1. Feliz o homem que foi perdoado e cuja falta já foi encoberta! Feliz o homem a quem o Senhor não olha mais como sendo culpado!

 

2. Eu confessei, afinal, meu pecado e minha falta vos fiz conhecer. Disse: “Eu irei confessar meu pecado!” E perdoastes, Senhor, minha falta.

 

3. Sois para mim proteção e refúgio; na minha angústia me haveis de salvar e envolvereis a minha alma no gozo da salvação que me vem só de vós.

 

4. Quem confia em Deus, o Senhor, é envolvido por graça e perdão. Regozijai-vos, ó justos, em Deus, corações retos, cantai jubilosos!

 

SEGUNDA LEITURA (Gl 2,16.19-21)

Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas

 

Irmãos:

16.sabemos, contudo, que ninguém se justifica pela prática da lei, mas somente pela fé em Jesus Cristo. Também nós cremos em Jesus Cristo, e tiramos assim a nossa justificação da fé em Cristo, e não pela prática da lei. Pois, pela prática da lei, nenhum homem será justificado. 19.Na realidade, pela fé eu morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou pregado à cruz de Cristo. 20.Eu vivo, mas já não sou eu; é Cristo que vive em mim. A minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. 21.Não menosprezo a graça de Deus; mas, em verdade, se a justiça se obtém pela lei, Cristo morreu em vão.

 

– Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

 

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO (Cd XI – Fx 13)

 

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia (bis)

O Reino do Céu está perto! Convertam-se, irmãos, é preciso! Creiam todos no evangelho, Creiam todos no evangelho

 

EVANGELHO (Lc 7, 36-50) (Breve)

 

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Naquele tempo,

 

36.Um fariseu convidou Jesus a ir comer com ele. Jesus entrou na casa dele e pôs-se à mesa. 37.Uma mulher pecadora da cidade, quando soube que estava à mesa em casa do fariseu, trouxe um vaso de alabastro cheio de perfume; 38.e, estando a seus pés, por detrás dele, começou a chorar. Pouco depois suas lágrimas banhavam os pés do Senhor e ela os enxugava com os cabelos, beijava-os e os ungia com o perfume. 39.Ao presenciar isto, o fariseu, que o tinha convidado, dizia consigo mesmo: Se este homem fosse profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que o toca, pois é pecadora. 40.Então Jesus lhe disse: Simão, tenho uma coisa a dizer-te. Fala, Mestre, disse ele. 41.Um credor tinha dois devedores: um lhe devia quinhentos denários e o outro, cinqüenta. 42.Não tendo eles com que pagar, perdoou a ambos a sua dívida. Qual deles o amará mais? 43.Simão respondeu: A meu ver, aquele a quem ele mais perdoou. Jesus replicou-lhe: Julgaste bem. 44.E voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês esta mulher? Entrei em tua casa e não me deste água para lavar os pés; mas esta, com as suas lágrimas, regou-me os pés e enxugou-os com os seus cabelos.  45.Não me deste o ósculo; mas esta, desde que entrou, não cessou de beijar-me os pés. 46.Não me ungiste a cabeça com óleo; mas esta, com perfume, ungiu-me os pés.  47.Por isso te digo: seus numerosos pecados lhe foram perdoados, porque ela tem demonstrado muito amor. Mas ao que pouco se perdoa, pouco ama.  48.E disse a ela: Perdoados te são os pecados. 49.Os que estavam com ele à mesa começaram a dizer, então: Quem é este homem que até perdoa pecados?  50.Mas Jesus, dirigindo-se à mulher, disse-lhe: Tua fé te salvou; vai em paz.

 – Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.