Festa de Pentecostes

Pentecostes – A Feliz comunhão no Espírito

Com o dia de pentecostes celebramos o cumprimento das promessas de Deus que se iniciaram no Antigo Testamento quando, em Ezequiel, Deus prometeu – “Derramarei sobre vós águas puras, que vos purificarão de todas as vossas imundícies e de todas as vossas abominações. Dar-vos-ei um coração novo e em vós porei um espírito novo; tirar-vos-ei do peito o coração de pedra e dar-vos-ei um coração de carne. Dentro de vós meterei meu espírito, fazendo com que obedeçais às minhas leis e sigais e observeis os meus preceitos”. (Ez 36, 25-27) e este cumprimento é também promessa de Jesus que diz:

 “Entretanto, digo-vos a verdade: convém a vós que eu vá! Porque, se eu não for o Paráclito não virá a vós; mas se eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do juízo. Convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em mim. Ele o convencerá a respeito da justiça, porque eu me vou para junto do meu Pai e vós já não me vereis; ele o convencerá a respeito do juízo, que consiste em que o príncipe deste mundo já está julgado e condenado”. (Jo 16, 7-11) Com Jesus temos a revelação das propriedades do Espírito e como será sua ação entre nós. Nada ficou às ocultas, Deus revelou no Antigo Testamento, mesmo sem uma compreensão por parte do povo de Israel, e no Novo Testamento deu todas as informações necessárias para que quando essa promessa fosse cumprida saberíamos de onde vinha e o que era que estava acontecendo. Imagine se nada tivesse sido revelado por Deus e por Jesus sobre o Espírito Santo? Certamente em sua manifestação os próprios apóstolos não saberiam discernir e nem compreender o que estava acontecendo e certamente seria um caos e desfaleceria o projeto de Deus. Mas o que foi revelado e prometido foi cumprido e entendido, afinal é o próprio Espírito que nos convence a respeito de sua própria manifestação e confirma o que tinha sido prometido.

 

Jesus diz que iria para junto do Pai e enviaria outro Paráclito, pois o primeiro Paráclito é o próprio Cristo que como homem não poderia ficar aqui na terra “eternamente” e pela sua condição humana estava sujeito ao tempo e espaço. Mas com o Espírito Santo tudo seria diferente que poderia estar habitando em todos e agindo nos corações nos conduzindo no caminho de santidade realizando em nós as graças conquistadas por Cristo na cruz. Neste sentido temos que nos informar e conscientizar sobre a pessoa do Espírito Santo e percebermos qual a grandeza e extensão de sua ação na pessoa humana. Por isso que São Paulo chega a dizer na segunda leitura – “Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo”. Isto é ninguém pode reconhecer Jesus como seu Senhor e Salvador se não for pela ação do Espírito Santo e mais: Ele recorda as coisas de Deus; faz-nos testemunhas do Evangelho; ensina todas as coisas; dá-nos força; dá-nos poder de Deus; derrama sobre nós os dons e carismas; dá-nos a missão a ser exercida neste mundo; enfim Ele … opera tudo em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito para proveito comum”. (1Cor 12, 6-7). Temos que ter mais sensibilidade em nossas vidas no tocante ao Espírito Santo, sermos mais dóceis a Ele para sentirmos mais sua ação e sua presença em nossas vidas. Pois na verdade é Ele que está agindo em nós e muitas vezes não damos a importância que Ele merece. Se pensarmos bem a pessoa do Espírito Santo esta tão presente em nós quanto o ar que respiramos, sem Ele é morte na certa, morte eterna, pois sua missão é de nos preparar, na vida de santidade, para irmos ao encontro de nosso Deus e viver eternamente em sua glória.

 

Quando olhamos para o evangelho vemos Jesus, no dia da Páscoa, à tarde, entrando na sala onde se encontrava os apóstolos e soprando sobre eles o Espírito Santo. Neste episódio vemos: primeiro – é Jesus quem nos dá o Espírito Santo, então peçamos a Jesus – envia Teu Espírito sobre nós – Segundo – a manifestação do Espírito é o nascimento da Igreja e o primeiro dom dado pelo Senhor na manifestação do Espírito é: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”. Nossa Igreja é a Igreja da misericórdia de Deus. Ela nasce para manifestar a misericórdia. É o poder de Deus dado a Sua Igreja para trazer conforto a cada um de nós que sofremos “neste vale de lágrimas” pelas concupiscências de nossos atos que nos desfiguram do projeto de Deus. Neste primeiro ato do Espírito de capacitar a Igreja a ser distribuidora, despenseira, das graças que Cristo conquistou na cruz, é manifestada em nós a salvação. Porque é pelo arrependimento que recebemos o perdão e conseqüentemente a salvação.

 

E podemos ir um pouco mais a fundo. Vejamos, a Palavra de Deus nos revela que o Espírito Santo “Convencerá o mundo a respeito do pecado, que consiste em não crer em mim”. Então para que possamos perceber que cometemos pecado precisamos que o Espírito Santo nos revele daí a necessidade de sermos dóceis ao Espírito. Quantas pessoas que você conhece que estão cometendo algum tipo de pecado e por mais que falem a pessoa não consegue perceber que está errando? O que é que está faltando a essa pessoa? É isso mesmo, o Espírito Santo. Olhe bem, temos a tendência de pecar e nem sempre estamos aptos a ver direito o que estamos fazendo é por isso que o “O Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza”. (Rm 8, 26). Ele é nosso mestre interior, nosso advogado, defensor, conciliador, instrutor. Com Ele não cometemos pecado, não erramos, com Ele a vida é santa e a felicidade, mesmo nas tribulações, será uma constante em nossas vidas. É o Reino de Deus acontecendo em nosso meio.

 

Por isso que celebrar Pentecostes, é celebrar o derramamento das graças, dos dons, é uma festa que o Espírito vem realizar em nós trazendo todo tipo de presentes – seus dons – para nos capacitar a fazer o melhor, e pense bem, nada é tão importante na vida quando somos capazes de fazer o melhor. E sempre o melhor e nunca parar de fazer o melhor. Que alegria!

É isso mesmo, é uma alegria ser do Espírito Santo “Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos”! (Fil 4, 4). É uma força, é coragem, é destemor, é inebriar-se Não vos embriagueis com vinho, que é uma fonte de devassidão, mas enchei-vos do Espírito”. (Ef 5, 18).

 

Feliz Pentecostes – Um grande derramamento do Espírito Santo em sua vida.

 

Antonio ComDeus


PRIMEIRA LEITURA ( At 2,1-11)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava. Moravam em Jerusalém judeus devotos de todas as nações do mundo. Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua. Cheios de espanto e de admiração, diziam: “Esses homens que estão falando não são todos galileus? Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? Nós que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judéia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia, próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciarem as maravilhas de Deus na nossa própria língua!” – Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

SALMO RESPONSORIAL 103(104)

Quando tu, Senhor, teu Espírito envias, * todo o mun­­do renasce, é grande alegria! (bis)

1. Ó minh’alma, bendize ao Senhor: * “Ó Deus grande em poder e amor, * o esplendor de tua glória reluz * e o céu é teu manto de luz”.

2. Firme e sólida a terra fundaste, * com o azul do oceano a enfeitaste! * E rebentam tuas fontes nos vales, * correm as águas e cantam as aves.

3. Lá do alto tu regas os campos, cresce a relva e os viventes se fartam. * De tuas obras a terra encheste, * todas belas e sábias fizeste.

4. Que se sumam da terra os perversos * e minh’alma te entoe os seus versos! * Glória ao Pai, pelo Filho, no Amor, * ao Deus vivo eterno louvor!

SEGUNDA LEITURA

(1Cor 12, 3b-7.12-13)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo. Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor. Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos. A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum. Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo. De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito. – Palavra do Senhor.

T. Graças a Deus.

SEQÜÊNCIA (H2 p.112 – CD XV Fx.15)

A nós descei, divina luz! (bis) em nossas almas acendei o amor, o amor de Jesus! (bis)

1a) Vinde, Santo Espírito, e do céu mandai luminoso raio, luminoso raio!

b) Vinde, pai dos pobres, doador dos dons, luz dos corações, luz dos corações!

c) Grande defensor, em nós habitai, e nos confortai, e nos confortai!

d) Na fadiga pouso, no ardor brandura, e na dor ternura, e na dor ternura!

2a) Ó luz venturosa, divinais clarões, encham os corações, encham os corações!

b) Sem um tal poder, em qualquer vivente nada há de inocente, nada há de inocente!

c) Lavai o impuro e regai o seco, sarai o enfermo, sarai o enfermo!

d) Dobrai a dureza, aquecei o frio, livrai do desvio, livrai do desvio!

3a) Aos fiéis, que oram com vibrantes sons, dai os sete dons, dai os sete dons!

b)Dai virtude e prêmio e no fim dos dias eterna alegria, eterna alegria!

c)Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis) Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis)

d)Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis) Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis)

Aclamação ao Evangelho (Fx7)

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!

Vinde, Espírito Divino, * e enchei com vossos dons * os corações dos fiéis; * e acendei neles o amor * com um fogo abrasador!

EVANGELHO (Jo 20, 19-23)

P. O Senhor esteja convosco.

T. Ele está no meio de nós.

P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

T. Glória a vós, Senhor.

P. Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. E depois de ter dito isto, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”. – Palavra da Salvação.

T. Glória a vós, Senhor.